Título Original: Recursion 
Autor: Blake Crouch 
Editora: Intrínseca 
Páginas: 320 
Gênero: Ficção / Ficção científica / Literatura Estrangeira 
Ano: 2020 
Comprar: Amazon

Sinopse: E se um dia memórias vívidas de coisas que nunca aconteceram se infiltrassem em sua mente, pintando em tons de cinza todas as suas certezas? É dessa premissa que Blake Crouch parte em Recursão, uma obra tão impactante que teve os direitos de adaptação audiovisual adquiridos pela Netflix, que produzirá um filme e uma série baseados no livro, ambos a cargo de Shonda Rhimes. Barry Sutton é policial em Nova York e convive com a tristeza da morte da filha. Ao ser acionado para intervir em uma tentativa de suicídio, ele se depara com uma mulher que sofre da Síndrome da Falsa Memória, uma doença misteriosa que planta na cabeça de suas vítimas lembranças de vidas que elas nunca tiveram. A neurocientista Helena Smith está desenvolvendo uma tecnologia para a cura do Alzheimer. Inesperadamente, um dos homens mais ricos do mundo se oferece para financiar sua pesquisa. Helena vê surgir a chance de propiciar um grande bem para a humanidade. No entanto, não poderia estar mais enganada... A tecnologia que deveria salvar vidas acelera a marcha galopante do caos, gerando uma guerra pelo poder e criando recursos que começam a esfacelar a realidade. O tempo não é mais como o conhecemos, e Barry e Helena terão de se unir se quiserem sobreviver — e salvar a todos nós. Um dos nomes mais importantes da ficção científica contemporânea, Blake Crouch constrói uma jornada desnorteante, com personagens complexos, que nos fazem refletir sobre nossa identidade. Uma trama intrincada, ágil e emocionante, que mostra que, quando nada é mais importante do que a memória, perdê-la significa perder a si mesmo. (FONTE)

O livro 'Recursão' de Blake Crouch, o mesmo autor de 'Matéria Escura', foi lançado com uma edição lindíssima (e capa dura) no começo desse ano de 2020 pela Editora Intrínseca, no entanto os assinantes do Club Intrínsecos tiveram a oportunidade de lê-lo antes mesmo de sua chegada as livrarias.

Nosso protagonista Barry Sutton é um investigador da Divisão de Roubos da Polícia de Nova York, anos atrás ele perdeu a filha num atropelamento e desde então sua vida mudou drasticamente; é num dia aparentemente comum que ele é chamado para impedir uma tentativa de suicídio de mais uma vítima da SFM – síndrome da falsa memória – uma doença na qual as pessoas passam a ter lembranças de momentos nunca vividos. 

Helena Smith é especialista em neurociência, depois de sua mãe desenvolver Alzheimer, ela cria um projeto que envolve armazenar as lembranças dos pacientes para que nos estágios mais avançados da doença, eles possam ter acesso a elas e assim retardar a perda completa da memória. Quando Helena recebe uma proposta de trabalho irrecusável, sua vida vai se entrelaçar com a do policial Sutton e tantas outras.
Hoje, ele está em paz com a ideia de que faz parte da vida encarar nossos fracassos, e às vezes esses fracassos são as pessoas que um dia amamos. - Página 20

Esse foi o meu primeiro contato com o autor, eu acompanhei toda a hype envolvendo seu livro anterior, 'Matéria Escura', mas confesso que fiquei com o pé atrás por saber que envolvia uma ficção científica nível hard. Só posso dizer como estou arrependida! 'Recursão' também tem uma temática sci-fi e apesar de todos os termos técnicos e conceitos de física, Blake Crouch apresenta claramente o plot principal da história, de forma que a compreensão de determinadas minúcias não afete o andamento do enredo. 

A trama é instigante e eu consegui me conectar com ambos os protagonistas, inclusive a narrativa alternada contribuiu muito para a fluidez do livro, toda vez que iniciava um novo capítulo eu me via presa nos acontecimentos e tentando interligar a história dos dois personagens. O enredo tem uma vibe bastante introspectiva, passamos muito tempo na mente dos personagens, mas à medida que os pormenores são revelados o leitor começa a ter um senso de urgência pelas infinitas possibilidades apresentadas. 

'Recursão' me conquistou principalmente pelo tema abordado (não vou dizer qual foi, porque o incrível é descobrir aos poucos com a leitura) e seus questionamentos, confesso que depois de terminar a leitura fiquei dias refletindo sobre a capacidade humana de ultrapassar todos os limites por poder. Eu não notei nenhum gatilho no livro, mas os capítulos finais trouxeram cenas fortes que me deixaram chocada e isso só encaixou perfeitamente com o que vemos dos personagens, com as reflexões propostas pelo autor e principalmente sobre o momento atual que estamos vivendo. 
Pense na vida como um livro. Cada página é um momento distinto, mas só conseguimos aprender um momento, uma página de cada vez. - Página 105

Mas como nem tudo é perfeito, alguns pontos me incomodaram um pouco durante a leitura, no início achei a narrativa de Barry muito poética, com diversas expressões que ao meu ver não condiziam com quem o personagem era, no final isso até faz sentido, mas no começo descaracterizou um pouco o personagem. E por fim o final; pelo andamento da história e pelo que eu tinha acompanhado dos protagonistas, eu tinha plena convicção de que eles poderiam solucionar o problema de outra forma, achei que a escolha do autor trouxe muita facilidade, principalmente pela forma como foi construído.

Independente desses pontos, o livro como um todo é incrível e eu amei a experiência, com certeza lerei outras obras de Blake Crouch e indico para todo mundo que quer conhecer o gênero ou é fã de sci-fi, mas sem aquela jornada clássica de space opera, e principalmente para quem se interessa por livros sobre a compreensão humana acerca da vida e do tempo.


Blake Crouch é roteirista e autor de diversos best-sellers internacionais. Sua trilogia Wayward Pines foi adaptada para uma série de TV exibida pela Fox. Seus livros foram traduzidos para mais de trinta idiomas e venderam mais de um milhão de exemplares. Mora no estado americano do Colorado, com a família. Pela Intrínseca, publicou também Matéria escura, sucesso de crítica e público.

Comentários via Facebook

1 comentários:

  1. Olá,
    Sci-fi ou ficção científica não são meu forte na leitura, mas tinha lido tantos elogios sobre esse livro que fiquei curiosa só por isso. Não sei se eu conseguiria ler, mas adorei sua resenha.

    Beijo!
    www.amorpelaspaginas.com

    ResponderExcluir

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!