Título Original: Bind, Torture, Kill: The Inside Story of the Serial Killer Next Door
Autor: Roy Wenzl; Tim Potter; Hurst Laviana; Laura L. Kelly
Editora: Darkside Books
Páginas: 416
Ano: 2019
Gênero: Crime / Literatura Estrangeira / Não-ficção / Psicologia / Romance policial / Sociologia / Suspense e Mistério
Comprar: Amazon; Submarino; Americanas; Shoptime; Darkside

Sinopse: Ao longo de três décadas, um monstro aterrorizou os moradores de Wichita, Kansas. Um assassino em série que amarrava, torturava e matava mulheres, homens e crianças, iludiu a polícia por anos a fio enquanto se vangloriava de suas terríveis façanhas para a mídia. A nação ficou chocada quando os crimes de BTK - a sigla para os termos em inglês bind, torture, kill, que eram sua assinatura criminosa - foram enfim associados a Dennis Rader, um vizinho amigável, marido devoto e respeitado presidente da congregação de uma igreja local. (...) BTK Profile: Máscara da Maldade é um livro que investiga a mente e o comportamento humano e entra para a Coleção Profile da linha Crime Scene® ao lado de Ted Bundy: Um Estranho ao Meu Lado e Killer Clown Profile: Retrato de um Assassino. O trabalho de Wenzl, Potter, Laviana e Kelly nos faz questionar se realmente conhecemos as pessoas que convivem conosco - e o que nos torna vulneráveis diante do perigo. (SKOOB)

Eu gosto muito de assistir séries ao estilo 'Criminal Minds' (Mentes Criminosas) e 'Mindhunter', então quando dei de cara com o livro 'BTK Profile: Máscara da Maldade', um dos recentes lançamentos do selo Crime Scene da Editora Darkside Books, não pensei duas vezes em começar a leitura. Inclusive o BTK é um dos personagens que aparece na série 'Mindhunter', que já está na sua segunda temporada na Netflix.


BTK é a sigla em inglês para bind, torture e kill, que significa amarrar, torturar e matar, exatamente o que esse assassino em série fazia com suas vitimas. Nessa leitura é possível acompanhar com detalhes a história do serial killer que durante trinta anos aterrorizou a cidade de Wichita, no Kansas.

Essa foi a primeira vez que li um livro desse estilo, e confesso que a leitura vai muito além do banho de sangue que eu esperava encontrar, pois em 'BTK Profile: Máscara da Maldade' nós conhecemos os três lados da história: o da polícia, o da imprensa e o do próprio assassino.


Nos momentos em que não estava matando, Dennis Rader não passava de um cara amigável, pai de família e presidente da congregação de uma igreja local, o tipo de pessoa incapaz de levantar qualquer suspeita.

Na maioria das vezes, Rader se aproveitou de seu emprego para vigiar e entrar na casa de suas vitimas, ele escolhia mulheres que passavam a maior parte do tempo sozinhas em casa, mas alguns imprevistos o fez colocar homens e crianças na lista de seus dez assassinatos.

Seu primeiro crime foi cometido em 1974 e alguns fatos como por exemplo o tempo que ele levou para cometer novos crimes e a forma como escolhia suas vitimas totalmente aleatória, dificultou um pouco a investigação da policia. O que se sabia era que o BTK costumava cortar a linha telefônica de cada cenário por qual ele passava. Se não fosse a sua necessidade de procurar a imprensa para deixar explicito que havia cometido um novo crime, talvez a policia nunca o pegaria.


O livro da enfase também no dia a dia dos policiais envolvidos nesse caso, tendo um foco maior em Ken Landwehr, o chefe do departamento na época em o BTK foi finalmente preso, é exatamente essa alternação entre a rotina de todos os envolvidos, que faz da leitura algo extremamente incrível.


Por muitas vezes no decorrer da leitura eu parei para me perguntar se a policia estava realmente querendo pegar esse assassino, e conforme o enredo avançava ficou possível enxergar que com a pouca tecnologia que existia em 1974 e o caminho pelo qual os investigadores e até mesmo o FBI já estavam acostumados a trilhar, não seria suficiente mesmo para pega-lo. Mas não se enganem, isso não tem nada a ver com uma mente brilhante de mais um inteligente serial killer, e sim da forma inesperada que Dennis Rader decidiu agir, o que novamente nos faz crer que ele matava apenas por matar e não por algum gatilho do seu passado.
As pessoas que temiam o BTK quando eram crianças passaram a se preocupar com ele de novo, e entravam em casa como se estivessem esperando a qualquer momento uma emboscada.
Ao mesmo tempo que 'BTK Profile: Máscara da Maldade' foi uma leitura instigante que me fazia querer saber mais e mais sobre o caso, também me causou ânsia diversas vezes, e não pela narração das cenas dos crimes e sim por conta da monstruosa mente de Dennis Rader, não é fácil aceitar que existe seres humanos assim.


Por fim, posso dizer que esse com certeza foi o livro que me abriu caminho para mais leituras desse gênero, é perturbador tentar entender a mente e o comportamento humano, mas ver o trabalho de pessoas do bem que cortam um dobrado para por esses tipos de monstros atrás das grades é o que torna esse estilo de conteúdo ainda mais incrível.

Então se você gosta das séries 'Criminal Minds' (Mentes Criminosas) e 'Mindhunter' que eu citei no começo dessa resenha, está acostumado a ler enredos desse estilo ou quer começar a se aventurar nessa área, eu supere recomendo 'BTK Profile: Máscara da Maldade'. Além disso a edição da Darkside Books está super caprichada, contendo fotos do caso, capa dura e uma fita marca páginas amarela estampada com o selo Crime Scene.

COMPRE COM UM DE NOSSOS LINKS E AJUDE O BLOG SEM PAGAR NADA A MAIS POR ISSO

NOTA:

Roy Wenzl trabalhou no Wichita Eagle entre 1996 e 2017. Já recebeu diversos prêmios pelos seus escritos, em especial o Pulitzer de 1982 enquanto trabalhava com a equipe do Kansas City Star e Times na cobertura do colapso da passarela do Hyatt Regency em 1981. Também escreveu o livro The Miracle of Father Kapaun (2013), que inspirou um documentário coproduzido por Wenzl.
Tim Potter trabalha no Wichita Eagle desde 1991. Em seus quase trinta anos no jornal, especializou-se na cobertura de crimes e segurança pública e já escreveu especiais para o Washington Times, Miami Herald, The Charlotte Observer, entre outros.
Hurst Laviana se formou em matemática e jornalismo pela Universidade do Kansas, e trabalhou no Wichita Eagle entre 1982 e 2014. Atualmente vive com a família em Pittsburgh, Pensilvânia.
Laura L. Kelly é especialista em comunicação pela Universidade Estadual de Wichita e trabalhou como editora assistente e repórter no Wichita Eagle entre 1981 e 2006. Foi líder do projeto do livro dentro do jornal e dedicou-se intensamente aos deveres com a obra. Desde 2008 administra uma empresa de consultoria de mídia e em 2015 publicou um conto chamado “Listen to Your Heart”.

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!