Titulo Original: Gabriela, Cravo e Canela
Autor: Jorge Amado
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 424
Ano: 2008
Gênero: Literatura Brasileira
Comprar: Amazon; Lojas Americanas; Submarino; Shoptime

Sinopse: O romance entre o sírio Nacib e a mulata Gabriela tem como cenário os anos 20, em plena luta pela modernização material e cultural de Ilhéus, então em franco desenvolvimento graças às exportações de cacau. O eixo da história é a relação entre as transformações materiais e as idéias morais. Com sua sensualidade inocente, a cozinheira Gabriela não só conquista o coração de Nacib como também seduz um sem-número de homens ilheenses, colocando em xeque a férrea lei local que exigia que a desonra do adultério feminino fosse lavada com sangue. Um momento da vida social brasileira serve de pano de fundo a uma história de amor. (SKOOB)

Oi, genteeeeee!
Olha eu aqui de volta com mais um dica de leitura MA-RA-VI-LHO-SA.

Há muito tempo tenho ouvido falar de Jorge Amado, da forma como ele escreveu, das histórias que são narradas em seus livros e o quanto o escritor faz as pessoas se apaixonarem por seus personagens.
Posso dizer que estou apaixonada? Posso! Pois eu tenho um autor que me fez suspirar a cada página lida.


Publicado pela magnífica Companhia das Letras, 'Gabriela, Cravo e Canela' se inicia nos informando do assassinato de Sinhazinha Mendonça e do dentista Osmundo Pimentel, ambos mortos pelo coronel Jesuíno Mendonça que encontrou a esposa com o amante.

Bem, pela lei de Ilhéus nos anos 20, a sentença para a esposa que traia o marido era a morte, assim como a mesma sentença cabia para o amante, todavia essa lei só era válida para a mulher, se fosse o marido, o assunto era outro.

E nesse mesmo dia o sírio Nacib perde a sua cozinheira, que decide ir morar com os filhos, deixando o patrão na mão bem perto de cumprir uma encomenda para um jantar importante.
Enquanto na cidade as pessoas comentavam sobre as mortes, o sírio segue atrás de uma nova cozinheira e depois de muito procurar e cansado de tanto procurar, decide contratar uma jovem que veio junto com alguns retirantes a procura de trabalho. Essa jovem, é Gabriela. Se chama Gabriela mesmo, pois não tem registro de nascimento, não sabe o sobrenome, a idade, não sabe nem em que estado nasceu, sabe que foi no nordeste, mas o estado, sabe não.
- E você não tem vontade de ser uma senhora, mandar numa casa, sair de braço com seu marido, vestir do bom e do melhor, ter representação?
- Era capaz de ter de calçar sapato todo dia... Gosto não... De calçar sapato. De casar com seu Nacib era até capaz de gostar. Ficar a vida toda cozinhando pra ele ajudando ele... - Página 202
Gabriela, Nacib, Sinhazinha, o dentista Osmundo e até mesmo o coronel Jesuíno vão se juntar a outros personagens que farão a história se desenrolar. Veremos brigas políticas entre Ramiro Bastos, um coronel importante da cidade, e o exportado Mundinho Falcão, vindo do Rio de Janeiro, representam o contraste entre o passado e o futuro.


Vi pessoas falando que o livro retrata do amor de Gabriela e Nacib, mas também vi outras falando que o autor queria retratar era o povo brasileiro e eu cheguei a conclusão que ambos estão certos. Leremos sobre como era imposta uma vida sem escolhas as mulheres, como era gritante o preconceito daquele lugar e como a leitura é importante para ampliar os nossos horizontes, nesse quesito podemos observar Malvina, minha personagem favorita, que lia para poder sonhar com um destino diferente daquele que a aguardava.
Mulher é para viver dentro de casa, cuidando dos filhos e do lar. Moça solteira é para esperar marido, sabendo coser, tocar piano, dirigir a cozinha. - Página 74
Narrado em terceira pessoa e dividido em duas partes, Amado fez com que pudéssemos ver o que se passa com os personagens como um todo, como se estivéssemos de cima e logo a baixo a vida acontecesse. A escrita é leve e engraçada, embora muitas vezes triste também.


Sempre que leio um livro que gosto tento pôr os pontos que me fizeram amar a obra, entretanto, acredito que Jorge Amado é um daqueles escritores que posso recomendar, mas você só saberá quando provar da escrita. Ah, Amado é poesia, gente!

E é suspirando que finalizo a resenha de hoje, desejando que ao ler esta obra você possa se apaixonar também porque é tão bom quando isso acontece.

Um forte abraço e até mais!

COMPRE SEU EXEMPLAR COM UM DOS NOSSOS LINKS E AJUDE O BLOG SEM PAGAR NADA A MAIS POR ISSO

NOTA:

Jorge Amado (1912-2001), baiano de Itabuna, foi um dos mais importantes escritores brasileiros do século XX e um dosmais difundidos em todo o mundo. Seus romances estão traduzidos em dezenas de idiomas e foram adaptados para o cinema, o teatro e a televisão. Entre eles destacam-se Mar Morto, Capitães da Areia, Tenda dos Milagres, Dona Flor e seus Dois Maridos, Tieta do Agreste e Terras do Sem-fim.

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!