Título Original: Feminism Is for Everybody: Passionate Politics
Autor: bell hooks (Gloria Jean Watkins)
Editora: Rosa dos Tempos
Ano: 2018
Gênero: Política; Sociologia
Páginas: 176
Comprar: Amazon; Shoptime; Americanas; Submarino

Sinopse: O feminismo sob a visão de uma das mais importantes feministas negras da atualidade. Eleita uma das principais intelectuais norte-americanas, pela revista Atlantic Monthly, e uma das 100 Pessoas Visionárias que Podem Mudar Sua Vida, pela revista Utne Reader, a aclamada feminista negra bell hooks nos apresenta, nesta acessível cartilha, a natureza do feminismo e seu compromisso contra sexismo, exploração sexista e qualquer forma de opressão. Com peculiar clareza e franqueza, hooks incentiva leitores a descobrir como o feminismo pode tocar e mudar, para melhor, a vida de todo mundo. Homens, mulheres, crianças, pessoas de todos os gêneros, jovens e adultos: todos podem educar e ser educados para o feminismo. Apenas assim poderemos construir uma sociedade com mais amor e justiça. O livro apresenta uma visão original sobre políticas feministas, direitos reprodutivos, beleza, luta de classes feminista, feminismo global, trabalho, raça e gênero e o fim da violência. Além disso, esclarece sobre temas como educação feminista para uma consciência crítica, masculinidade feminista, maternagem e paternagem feministas, casamento e companheirismo libertadores, política sexual feminista, lesbianidade e feminismo, amor feminista, espiritualidade feminista e o feminismo visionário. (SKOOB)

Desde quando ouvi o termo feminismo pela primeira vez e decidi pesquisar sobre o tema a fim de entende-lo, o nome da autora bell hooks foi um dos principais a aparecer nas minhas pesquisar, principalmente quando me aprofundei na temática do feminismo negro.

Em 'O Feminismo é Para Todo Mundo', a autora discorre de maneira didática sobre as várias nuances do feminismo e chama a atenção para o que ao meu ver é um dos pontos mais importantes; a importância de popularização não só do movimento, mas também os estudos e o entendimento do que é esse movimento.

Partindo dessa premissa, o livro trás as diversas agendas que o feminismo cobre, tais como sexualidade, raça, maternidade, sororidade, matrimonio, politica, violência e outros. E trabalha-os de forma acessível, e de forma que as pessoas em contato com a leitura dele entendam qual o papel do feminismo dentro de cada um desses tópicos.


Acredito que o feminismo é um processo de constante aprendizagem, e a leitura de 'O Feminismo é Para Todo Mundo' foi inquestionavelmente um grande passo nesse processo. Confesso que ao finalizar a leitura eu desejei ter lido ele antes, principalmente quando comecei minha caminhada, pois como disse, a premissa é realmente ensinar, e a autora faz isso maravilhosamente bem.


Por isso, digo que a leitura desse livro é obrigatória para todos, independente de raça, gênero, religião ou qualquer outra 'caixinha' que a sociedade nos coloca. Mas digo, que  principalmente as mulheres que estão em busca de aprender mais sobre o feminismo, e diria que até mesmo sobre elas mesma, precisam colocar esse livro no topo da lista de próximas leituras.


bell hooks é o pseudônimo de Gloria Jean Watkins, escritora norte-americana nascida em 25 de setembro de 1952, no Kentucky – EUA. O apelido que escolheu para assinar suas obras é uma homenagem a tataravó Bell Blair Hooks. A justificativa do nome ser escrito todo em letra minúsculas, é servir a duas funções: distinguir-se de sua parente homenageada, e estabelecer a importância do conteúdo de seus textos em comparação com a sua biografia. bell hooks usou a própria vida como fonte dos seus primeiros estudos sobre raça, classe e gênero, sempre buscando nesses três elementos, os fatores da perpetuação dos sistemas de opressão e dominação. A autora, feminista e ativista social assumida, foi premiada com um 'The American Book Award', um dos prêmios literários de maior prestígio em seu país. Entre as influências de hooks, além de Martin Luther King, Malcom X e Eric Fromm, figuram a feminista Sojourner Truth (cujo discurso 'Ain't I a Woman?' inspirou uma das obras de hooks), o educador Paulo Freire, o teologista e padre dominicano Gustavo Gutierrez, Lorraine Hansberry, o monge Budista Thich Nhat Hanh, o escritor James Baldwin, e o historiador guianense Walter Rodney.

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!