Titulo Original: Oblivion Song
Série: Oblivion Song #1
Autor: Robert Kirkman
Editora: Intrínseca
Páginas: 144
Ano: 2019
Gênero: HQ/ Ficção científica/ Literatura Estrangeira
Comprar: Amazon

Sinopse: Anos atrás, 300 mil habitantes da Filadélfia foram transportados para Oblivion, uma nova dimensão aterrorizante que surgiu de forma inexplicável e destruiu áreas da cidade. Os desaparecidos tentam sobreviver enfrentando seres monstruosos em um ambiente inóspito e atordoante, marcado por raros momentos de calmaria. 
O governo investiu muitos recursos em incursões para resgatar as vítimas, mas depois de dez anos as buscas foram encerradas. Mesmo lamentando a perda de entes queridos, a vida seguiu seu curso para grande parte da cidade, e monumentos, memoriais e museus foram erguidos em homenagem aos que se foram. No entanto, se depender do cientista Nathan Cole, ninguém vai ficar para trás. Nathan desenvolveu uma tecnologia extremamente instável que lhe permite visitar Oblivion todos os dias. Ele arrisca a própria vida em viagens solitárias, perigosas e muitas vezes infrutíferas na tentativa de resgatar sobreviventes. Cada vez que volta de lá, se mostra mais determinado. Mas o que Nathan procura? Por que não consegue resistir ao chamado de Oblivion, à canção silenciosa de um mundo prestes a ruir e a levá-lo junto? 
Criador de The Walking Dead — série vencedora do prestigiado Eisner Awards —, Robert Kirkman retorna com seu talento para contar histórias de caos em cenários pós-apocalípticos. Oblivion Song: Canção do Silêncio narra o luto, os traumas e os limites impensáveis que ultrapassamos para consertar os erros do passado. Com o traço único de Lorenzo De Felici, o primeiro volume reúne os seis fascículos iniciais da série. (SKOOB)

'Oblivion Song' é a primeira HQ da série, com roteiro de Robert Kirkman (mesmo criador de The Walking Dead) e publicada aqui no Brasil esse ano de 2019 pela Editora Intrínseca.


Aqui nós temos o início da história de Nathan, que viu seu mundo passar por um acontecimento drástico: parte da população da Filadélfia sumiu. Depois disso o resto da população teve que se adaptar à nova realidade e tentar lidar com a perda de entes queridos, tudo isso sem contar que eles foram parar em outro lugar e que existem pessoas que podem ajudar a trazer essas pessoas de volta; confesso que aqui fiquei sentindo uma nostalgia à la 'Vingadores'.


Primeiramente eu gostaria de contar sobre essa experiência, eu nunca tinha lido uma HQ e fiquei receosa por conta da progressão mais rápida da história, além de um desenvolvimento de personagens mais “raso”. Entretanto, 'Oblivion Song' me surpreendeu bastante, a história intercala momentos de ação com momentos introspectivos que permite que o leitor conheça mais sobre as motivações dos personagens.

A arte é muito bonita e as ilustrações bem coloridas, o que dá uma vivacidade maior a história, e ajuda na imersão, uma vez que há adventos próprios desse mundo e com as ilustrações é muito mais fácil se conectar com essas particularidades. A organização dos quadrinhos é bastante clara também, isso contribui para que um leitor com pouco experiência, como é o meu caso, possa acompanhar a progressão da narrativa sem ficar confuso com a ordem dos quadrinhos.


As primeiras páginas são recheadas de ação e o início pode ser um pouco confuso por nos “jogar de cara”, mas acredito que isso contribuiu para que nas páginas seguintes o autor nos explicasse algumas coisas ao mesmo tempo em que desenvolve a personalidade dos personagens. O protagonista é Nathan Cole que viaja entre essas realidades e fez da sua missão encontrar essas pessoas desaparecidas, principalmente seu irmão já que a última vez que estiveram juntos, as coisas não acabaram bem. 
Talvez ele queira consertar tudo.
Ele é ajudado por dois cientistas: Duncan e Bridget, ambos suscitaram algumas perguntas que foram deixadas sem resposta, mas acredito que é proposital e com o intuito de nos próximos volumes se aprofundar mais no que é Oblivion. Nate, Duncan e Bridget infelizmente não possuem a ajuda do governo que resolveu parar as buscas, sendo essa uma das grandes frustrações do protagonista e acaba afetando seu relacionamento com Heather, que trabalha para o governo.


A HQ não se limita apenas a visão de Nate, embora dê maior destaque a ela, e isso é maravilhoso, pois permite que vejamos as consequências do desaparecimento e retorno das pessoas, o TEPT – transtorno de estresse pós-traumático – apresentado foi bastante real e é um elemento fundamental para aumentar a nossa empatia com os personagens: o medo do barulho, a luta pela sobrevivência, a noção de que Oblivion mudou algo intrínseco neles é bastante realista. 
A brisa, as criaturas ao longe, os insetos... tudo se misturava. E nunca ouvi nada parecido desde então... era como música.
Por fim, eu indico essa HQ a todos os amantes da ficção científica, o volume um nos mostra apenas uma parte do quebra-cabeça e termina de forma incrível, não foi a mais original, mas surpreendeu e deixou pistas para o surgimento de novos conflitos.
Robert Kirkman é um escritor de história em quadrinhos americano, conhecido por seus trabalhos para os quadrinhos The Walking Dead e Invencível, ambos para a Skybound e a Image Comics, da qual é um dos cinco sócios, sendo o único entre eles que não é co-fundador da empresa.                                                                      

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!