Título Original: Cell
Autor: Stephen King

Editora: Suma de Letras
Ano: 2018
Páginas: 384
Gênero: Horror / Suspense e Mistério / Terror
Comprar: Amazon

Sinopse: Onde você estava no dia 1º de outubro? O protagonista Clay Riddell estava em Boston, quando o inferno surgiu diante de seus olhos. Bastou um toque de celular para que tudo se transformasse em carnificina. Stephen King - que já nos assustou com gatos, cachorros, palhaços, vampiros, lobisomens, alienígenas e fantasmas, entre outros personagens malévolos - elegeu os zumbis como responsáveis pelo caos desta vez. Depois de anos de tentativas frustradas, o artista gráfico Clay Riddell finalmente consegue vender um de seus livros de histórias em quadrinhos. Para comemorar, decide tomar um sorvete. Mas, antes de poder saboreá-lo, as pessoas ao seu redor, que por acaso falavam ao celular naquele momento, enlouquecem. Fora de si, começam a atacar e matar quem passa pela frente. Carros e caminhões colidem e avançam pelas calçadas em alta velocidade, destruindo tudo. Aviões batem nos prédios. Ouvem-se tiros e explosões vindos de todas as partes. Neste cenário de horror, Clay usa seu pesado portfolio para defender um homem prestes a ser abatido, Tom McCourt, e eles se tornam amigos. Juntos, eles resgatam Alice Maxwell, uma menina de 15 anos que sobreviveu a um ataque da própria mãe. Os três sortudos - entre outros poucos que estavam sem celular naquele dia - tentam se proteger ao mesmo tempo em que buscam desesperadamente o filho de Clay. Assim, em ritmo alucinante, se desenrola esta história. O desafio é sobreviver num mundo virado às avessas. Será possível? (SKOOB)


Em 2018 finalmente a Editora Suma de Letras publicou 'Celular', um título antigo do Stephen King que só era encontrado em Sebos (e olhe lá) pois a versão antiga é muito rara. Essa nova edição chegou linda, com uma estória eletrizante de arrepiar e que obriga ao leitor a fechar o livro e respirar  em certos momentos tamanho o efeito de horror que a escrita do Stephen causa nesse enredo.


'Celular' é uma estória pós-apocalíptica que se passa enquanto nosso protagonista, Clayton, estava na cidade para uma entrevista em uma editora para publicar seus quadrinhos, mas no dia 1 de Outubro às 15 horas da tarde ocorreu o que ele passou a chamar de 'Pulso', todos que estavam no celular naquele exato horário simplesmente surtaram, preservando apenas seus instintos mais primitivos que é o de matar ou morrer, sem nenhuma explicação plausível para isso.

Rapidamente o mundo virou um caos, as ruas ficaram desertas, fazer ligações para os familiares para saber se estavam bem virou algo fora de cogitação, emissoras de tv ficaram sem ter o sinal transmitido e tudo o que Clay queria era voltar para sua cidade no interior para saber se sua mulher e seu filho estavam bem, mas como chegar lá com assassinos brutais que não pensam a solta e com as ruas congestionadas dos carros abandonados e que sofreram acidentes?


Nessa aventura em busca de sobrevivência, Clay conhece Tom e Alice ainda no primeiro dia do 'pulso', os três formam um grupo para sobreviver e aprender sobre os 'fonaticos' enquanto o objetivo de Clay é ir em busca de sua família no norte, mas para sobreviverem e fugirem dos fonaticos, eles terão que dormir durante o dia e viajar durante a noite para se manterem em segurança.


Esse livro é mais um que tem a formula perfeita para que eu ame e recomende eternamente. Vivo em uma busca eterna de livros de horror que me cause repulsa e arrepios e esse livro conseguiu me causar um medo de olhar a hora no celular e virar uma 'fonatica', que é perfeito pra quem precisa desapegar desse aparelho que ocupa tanto do nosso dia, leia 'Celular' e pronto, terá medo até de chegar perto de um (hahahaha).
Vamos nos limitar ao seguinte: o homem dominou o planeta graças a dois traços essenciais. Um é a inteligência. O outro é a completa disposição para matar tudo e todos que possam se colocar no seu caminho.
Um detalhe que eu preciso comentar é que até mesmo o inicio do livro, na forma em como as pessoas agem após o 'surto', me lembrou o início do livro 'Caixa de Pássaros', senti que a ideia de 'loucura' em ambos os casos sejam o mesmo, embora em 'Celular' sejam as pessoas que estavam no celular as 15h da tarde em 1 de Outubro, e em 'Caixa de Pássaros' as pessoas veem algo na rua/céu e enlouquecem matando a outras pessoas e a si mesmas. Mas pelo livro do Stephen ser bem mais antigo que 'Caixa de Pássaros', a ideia foi super original para 2006 que foi quando o livro foi lançado mundialmente, mas as obras se parecessem apenas neste aspecto.

O que eu achei muito bacana é que Stephen King gosta muito da Shirley Jackson, da para saber pelas dedicatórias nos livros como a rainha do horror, mas enfim, em 'Celular' tem uma referência do livro 'A Assombração na Casa da Colina' que já foi resenhado aqui no blog também!
Jornadas terminam no encontro dos amantes.
O plano de fundo do cenário pós apocalíptico, a busca da sobrevivência e pelas respostas é algo que prende o leitor do inicio ao fim, o enredo foi capaz até mesmo de tirar meu sono porque eu queria ler mais mesmo não aguentando mais de sono, a escrita de Stephen tem esse poder sobre mim, é tão detalhada e envolvente que quando percebo já se foram 50 páginas porque flui muito.

E mais uma vez o mestre não decepcionou, cada personagem tem sua profundidade exata, o passado de cada um é revelado aos poucos e na quantidade exata, sem deixar muita informação desnecessária, apenas o necessário para que a estória se feche como deveria ser. Eu achei um diferencial nesse livro do King, possivelmente por não ser um livro policial, a narrativa é feita apenas pelo Clay e quando eu percebi isso fiquei chocada, afinal, até agora todos os outros livros que li do Stephen vários personagens contavam seu ponto de vista.

Devo dizer que a capa está linda e com detalhes em alto relevo, a diagramação segue a mesma dos livros da Suma de Letras, pelo menos dos livros que já li, letra pequena, pouco espaço entre as linhas, nada que atrapalhe muito, porém para ler a noite fica um pouco mais difícil. O livro também é dividido em partes, onde basicamente marca o local/cidade onde o grupo está indo e isso ajuda a ir localizando ao decorrer da estória.


'Celular' é um livro mais que recomendado para amantes de horror, é perfeito para quem gosta de ficar sem folego e lendo cada vez mais rápido para descobrir o que vem a seguir. Fala sobre esperança no fim do túnel, na busca incansável pela família e sobre amizade. Sinceramente, o melhor do Stephen King para mim até agora. Lembrando que o horror é a sensação de ficar ansioso, sem folego, talvez até mesmo com repulsa. Não confundam com terror que normalmente deixa a pessoa sem sono por medo.

Espero que tenham gostado <3

NOTA:  

OUTROS LIVROS DO AUTOR RESENHADOS NO BLOG:

  

Stephen King nasceu em Portland, no Maine, em 1947. Seu primeiro conto foi publicado vinte anos depois na revista Starling Mystery Stories. Em 1971, ele começou a dar aulas, escrevendo à noite e aos fins de semana. Em 1974, publicou seu primeiro livro, Carrie, a estranha, que se tornou um best-seller e é considerado um clássico do terror. Desde então, King escreveu mais de cinquenta livros, alguns dos quais ficaram mundialmente famosos e deram origem a adaptações de sucesso, seja para o cinema ou para a televisão.

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!