Título Original: Girl in pieces
Autor: Kathleen Glasgow

Editora: Planeta
Ano: 2017
Páginas: 384
Gênero: Ficção / Romance / Jovem Adulto / Literatura Estrangeira
Comprar: Amazon
Sinopse: Além de enfrentar anos de bullying na escola, Charlotte Davis perde o pai e a melhor amiga, precisando então lidar com essa dor e com as consequências do Transtorno do Controle do Impulso - um distúrbio que leva as pessoas a se automutilarem. "Viver não é fácil". Quando o plano de saúde de sua mãe suspende seu tratamento numa clínica psiquiátrica - para onde foi após se cortar até quase ficar sem vida -, Charlotte Davis troca a gelada Minneapolis pela ensolarada Tucson, no Arizona (EUA), na tentativa de superar seus medos e decepções. Apesar do esforço em acertar, nessa nova fase da vida ela acaba se envolvendo com uma série de tipos não muito inspiradores. Cansada de se alimentar do sofrimento, a jovem se imbui de uma enorme força de vontade e decide viver e não mais sobreviver. Para fugir do círculo vicioso da dor, Charlotte usa seu talento para o desenho e foca em algo produtivo, embarcando de cabeça no mundo das artes. Esse é o caminho que ela traça em busca da cura para as feridas deixadas por suas perdas e os cortes profundos e reais que imprimiu em seu corpo. (SKOOB)


Sabe aquele livro em que a capa e o título te chamam a atenção e faz com que você ignore totalmente a sinopse e se jogue na leitura sem ter a mínima ideia do que lhe espera? 'Garota Em Pedaços' fez exatamente isso comigo. E que bela estória meus amigos, com uma protagonista forte e problemática ao mesmo tempo, a conclusão então (para mim) foi maravilhosa. To morrendo de amores, mas não é uma estória leve, calma que eu explico.


'Garota Em Pedaços' vai contar a estória da Charlotte (Charlie), uma garota menor de idade que após diversos acontecimentos que acabaram com seu psicológico, foge de casa e começa a aderir a automutilação como uma forma de se manter em controle com aquilo. Depois de muito sofrer na rua, seus amigos a encontram a beira da morte após mais uma de suas crises (digamos assim).

Vendo a morte de perto, a mãe de Charlie e sua avó internam ela em uma clinica de recuperação, mas o dinheiro de sua avó acaba logo após o primeiro mês de tratamento e Charlie tem que voltar a morar com sua mãe, que por sua vez não aceita a filha de volta. Agora, Charlie se vê sozinha e em um cenário em que precisa fazer algo para se ajudar, pois ela quer melhorar e seus amigos acreditam nela.


É com a ajuda de um amigo que nossa protagonista consegue um teto para ficar, o problema é que nos fundos da casa mora uma artista pouco conhecida que recentemente perdeu o filho para as drogas, e com um intimato da dona da casa para que ela não more ali para sempre, Char se vê procurando um emprego e um apartamento para recomeçar do zero. Tudo isto sozinha, longe de sua família e amigos.
Quando eu fico sufocada e não consigo me concentrar em uma única coisa, quando todas as coisas horríveis me atinge de uma só vez, sinto que sou um daqueles furacões enormes de desenho animado, do tipo cinzento e peludo que suga que tem no caminho: o carteiro distraído, uma vaca, um cachorro, um hidrante. O meu Eu Furacão suga todas as coisas ruins que já fiz, todas as pessoas que já ferrei, todos os cortes que já fiz, tudo, tudo. O meu Eu Furacão gira e gira e vai ficando mais imenso e mais lotado. Tenho que tomar cuidado. Ficar sufocada, me sentir imponente, ficar presa no meu furacão de vergonha e vazio são gatilhos.
Daí por diante a estória vai tratar de superação, embora tenha cenas fortes, é um livro que da uma pontinha de esperança e que diz 'não importa o quão fundo do poço você esteja, você consegue, você merece mais que isso'.


Kethleen Glasgow é uma autora fantástica, a forma que ela abordou um tema tão delicado retratando uma vida cheia de altos e baixos e ainda com uma esperança no fim do túnel, foi extremamente tocante. Tudo isso porque ela mesmo já sofreu depressão e se automutilava, até mesmo no final do livro ela conta que demorou nove anos para escrever, a estória passou por quatorze rascunhos, e tudo aconteceu depois que uma moça que havia a pele igual a dela sentou do seu lado no ônibus e quando percebeu que Kethleen estava olhando suas cicatrizes, ela se cobriu com vergonha de suas marcas.



É notável o crescimento e amadurecimento de Charlie ao decorrer do livro, para mim (Ágata) foi realmente inspirador a volta que a vida dela deu, os altos e baixos, todo o amadurecimento que a personagem foi obrigada a ter ao longo do livro para superar cada situação em que era submetida. 

Com uma escrita leve, Kathleen Glasgow faz com que o leitor queira saber cada vez mais, eu fiquei completamente viciada na leitura, dormia pensando no que poderia acontecer com a Char no capítulo seguinte, torcendo para que ela conseguisse achar uma solução para cada situação. 

Creio que seja praticamente impossível não se simpatizar com a personagem logo de cara, o passado dela é tocante, foi muito bem construído pela autora. Essa empatia com a personagem é instantânea pelo fato de ser a própria Charlie quem nos narra todos os fatos, isso torna possível sentir na pele até mesmo as suas aflições.


Preciso abrir um parenteses para essa edição, a capa é extremamente convidativa, esse rosinha me encantou desde a primeira vez que vi o livro na livraria. O título meramente auto explicativo com os riscos já nos da uma ideia sobre o que se trata a estória (embora eu não tenha percebido isso). E essa diagramação está linda e confortável, o que acaba deixando a leitura mais fluida. O livro também é dividido em três partes, mas não tem a numeração dos capítulos. No começo de cada capítulo tem dois riscos que conforme a leitura vai avançando é perceptível que se refere as cicatrizes da protagonista.

Embora eu tenha amado 'Garota em Pedaços' e tenha a vontade de recomenda-lo para todo mundo, sei que não é uma leitura simples, então levem em consideração que terá cenas descritas de automutilação e sofrimento. Recomendo para pessoas que não tenham depressão e crise de ansiedade, pois tem cenas fortes que podem servir para alguma espécie de gatilho e não é isso que a autora propôs ao leitor. Na verdade, a mensagem é que 'você pode sim dar a volta por cima, você é suficiente e você vai sair dessa'.


Espero que tenham gostado <3

NOTA: 

Kathleen Glasgow é uma autora nascida da Pennyslvania, Estados Unidos, e que estreia em romance com Garota em Pedaços, um dos "Livros do Ano" da Amazon/EUA de 2016 e da revista TeenVogue e best-seller do The New York Times. Fã de J.D. Salinger, é muito ativa nas redes sociais - principalmente no twitter -, meio que usa para manter a conexão com seus leitores. Mãe de duas crianças, ela vive em Tucson, no estado americado do Arizona.

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!