Título Original: The Tattooist of Auschwitz

Autora: Heather Morris
Editora: Planeta de Livros
Páginas: 240
Ano: 2018
Gênero: Ficção Inglesa / Romance
Comprar: Amazon

Sinopse: Nesse romance histórico, um testemunho da coragem daqueles que ousaram enfrentar o sistema da Alemanha nazista, o leitor será conduzido pelos horrores vividos dentro dos campos de concentração nazistas e verá que o amor não pode ser limitado por muros e cercas. Lale Sokolov e Gita Fuhrmannova, dois judeus eslovacos, se conheceram em um dos mais terríveis lugares que a humanidade já viu: o campo de concentração e extermínio de Auschwitz, durante a Segunda Guerra Mundial. No campo, Lale foi incumbido de tatuar os números de série dos prisioneiros que chegavam trazidos pelos nazistas – literalmente marcando na pele das vítimas o que se tornaria um grande símbolo do Holocausto. Ainda que fosse acusado de compactuar com os carcereiros, Lale, no entanto, aproveitava sua posição privilegiada para ajudar outros prisioneiros, trocando joias e dinheiro por comida para mantê-los vivos e designando funções administrativas para poupar seus companheiros do trabalho braçal do campo.Nesse ambiente, feito para destruir tudo o que tocasse, Lale e Gita viveram um amor proibido, permitindo-se viver mesmo sabendo que a morte era iminente. (SKOOB)

Vocês já leram um livro que após a leitura qualquer palavra usada para descreve-lo será insignificante de tão bela e tocante que é a obra?
Vou tentar usar as palavras certas, espero que consiga.

'O Tatuador de Auschwitz' é um livro escrito por Heather Morris em que são relatadas as lembranças terríveis de Ludwing Eisenberg, ou simplesmente Lale. Um presente da Editora Planeta aos seus leitores.


Aqui somos apresentados a Lale, que no campo de concentração é conhecido como Tätowierer. Foi exercendo a função de tatuar os prisioneiros que ele viu pela primeira vez Gita, ou a prisoneira 34902, a mulher pela qual se apaixonou.
Ah, Tätowierer - diz ele -, ela não fala muito. Acho que você deveria escolher outra namorada. - (Página 55)
Porém o livro não trata apenas do romance entre Lale e Gita, ele vai muito mais afundo, ele nos mostrara os horrores da Segunda Guerra Mundial, através de um sobrevivente que só por ter acordado mais um dia via uma esperança no fim do túnel.

Lale chegou ao campo de concentração depois de se habilitar voluntariamente ao partido nazista para trabalhar, pois a Eslováquia recebeu ordens da Alemanha para que de cada família judia um membro fosse enviado para essa finalidade.

Após um acontecimento no livro (lindo e triste) que acabou por salvar a sua vida, o Tätowierer prometeu a si mesmo que sairia vivo daquele lugar.


Vários outros fatos são descritos nessa leitura, como por exemplo quando ele ajudou Gita a se manter viva e salvar e faze-la acreditar que sairia de lá, quando é relatado o momento em que conhece Mengele, o anjo da morte, o médico que fazia experiências com os prisioneiros ou quando por diversas vezes ele salvou vidas e viu vidas serem tiradas.

Gosto bastante de livros que tem como tema a Segunda Guerra Mundial, mas essa foi a primeira vez que li um em que os fatos são reais. Acho que nem em meus piores pesadelos imaginaria as coisas que foram descritas.

Mas de tudo que foi descrito o que me marcou foi bem no início da história e eu vou deixar um trecho do acontecimento para que vocês possam ter uma noção:
Vi um homem meio morto de fome arriscar sua vida para te salvar. Imagino que você deva ser alguém que valha a pena ser salvo. - (Página 35)
Um livro com um conteúdo lindo (triste também, mas ainda belo) e uma diagramação excelente , que apesar dos relatos difíceis trás uma leitura leve que me fez termina-lo muito rápido.

'O Tatuador de Auschwitz' reforça a minha crença de que ações horríveis e desumanas do passado devem sempre ser lembradas para que não voltem a acontecer.

Vocês já leram 'O Tatuador de Auschwitz'?
Já leram algum outro livro baseado em fatos reais sobre o tema?
Essa é a minha dica de leitura e espero que aprendam tanto quanto eu aprendi.

Até mais!
NOTA: 

Nascida na Nova Zelândia, Heather Morris trabalha e vive em Melbourne, na Austrália. Em 2003, ela conheceu Lale Sokolov, num encontro que mudou a vida de ambos. Conforme a amizade dos dois se desenvolveu, ele deu a ela a tarefa de contar ao mundo os segredos da sua vida durante o Holocausto. Inicialmente, Heather concebeu O Tatuador de Auschwitz como roteiro para o cinema, mas antes conseguiu concretizá-lo no livro que é hoje.

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!