Título: Submerso
Autor: Eduardo Cilto

Editora: Planeta
Ano: 2018
Páginas: 192
Gênero: Ficção, Jovem Adulto, LGBT, GLS, Romance, Literatura Nacional
Comprar:  Amazon
Sinopse: Aos dezessete anos, Dimitri não é mais capaz de enxergar a si mesmo quando encara o próprio reflexo no espelho. Dividindo seu tempo entre o colégio e um emprego na última locadora de filmes da cidade, ele vê sua realidade colidir quando um simples encontro com os amigos acaba sendo gatilho para uma de suas maiores crises. Lutando contra a nova vida e consigo mesmo, Dimitri é obrigado a passar o resto do ano em um acampamento para jovens desajustados que promete colocá-lo de volta aos eixos. Porém, um lugar que abriga tantos desajustados pode não ser tão perfeito quanto todos pensam, o que antes parecia ser a solução dos problemas, acaba se tornando apenas o começo de um dos maiores deles. (SKOOB)

Já faz algum tempo que acompanho o Eduardo Cilto no Youtube, e assim que soube que ele estava lançando sua carreira de escritor fiquei curiosa para ler alguma de suas obras. Finalmente tive a oportunidade de conhecer sua escrita através de "Submerso"Confesso que me surpreendi, esperava um romance água com açúcar, não estava psicologicamente preparada para os questionamentos e os assuntos abordados ao longo da obra, ou seja ADOREI O LIVRO.


Ao longo de "Submerso", vamos acompanhar a estória de Dimitri, um garoto de 17 anos que desde que sua mãe faleceu tem perdido o controle de sua vida, agindo por impulso ao sair com seus amigos depois do trabalho. Clarissa e Bernando são seus únicos amigos, eles despertam o melhor e o pior de Dimitri, ou "Demo", como eles o chamam.

Cansado de se lamentar pela morte da mãe, Dimitri resolve preencher o vazio em si saindo com Clarissa e Bernando para beber e se drogar 'por diversão'. A verdade é que os colegas estão tão ferrados psicologicamente quanto Demo.
Mentes bagunçadas se conhecem com facilidade.
Após sua última aventura com os amigos, Demo vai parar na delegacia por usar identidade falsa. É então que ele percebe o quanto seu pai estava esgotado com a situação, afinal, lidar com Dimitri não vem sendo fácil para ele. O estado é tão crítico que até seu avô oferece ajuda, e após Demo ver o quão tóxico está sendo tudo isso para seu pai, o deixando com mais fios de cabelo branco, olheiras e linhas de expressão, ele resolve aceitar ajuda.

A solução que seu avô lhe propõe é um acampamento de jovens desajustados que promete coloca-los 'de volta nos eixos', e para chegar no acampamento, um motorista vai buscar o jovem na sua casa para que ninguém saiba a localização, afinal, se não souberem onde fica, não poderão tentar fugir.
É estranho como os corpos se comunicam sem que precisemos abrir a boca para falar. As conversas mais significativas tendem a ser aquelas em que mal trocamos palavras porque estamos conectados o suficiente para entender o que a outra pessoa quer dizer.
Chegando lá, Demo percebe que não é tão ruim quanto imaginava. Os adolescentes se divertem e estão sempre ocupados 'acumulando pontos' para poder ir para a casa nas férias, por incrível que pareça, o acampamento é um lugar ideal para esquecer dos problemas. Junto com Demo, vamos acompanhar Alma, que é a filha dos diretores do acampamento, e Henrique, que é o colega de quarto de Demo. Juntos, eles formam uma amizade quase que inseparável e são essenciais na melhora uns dos outros, já que todos que estão no acampamento tem algum motivo para estar lá.


Iremos acompanhar dois desfechos em "Submerso". O primeiro e o principal é o Dimitri em si, a forma que ele aprende a lidar com seus problemas e seus questionamentos, principalmente quando um garoto entra em sua vida e ele não sabe o que está acontecendo com ele, mas a cada toque do garoto em sua pele é eletrizante e surge borboletas em seu estômago.

O outro desfecho que da um rumo na estória logo no inicio, é que um grande mistério assombra o acampamento. Um dos adolescentes, em uma das primeiras noites de Dimitri no acampamento, escreveu na parede de um dos prédios "não confiem neles!", o que levantou muitas dúvidas nos campistas sobre os diretores e o lugar. Depois desse primeiro ato misterioso, os campistas denominaram de "fantasma" quem estava tentando alertados. Mas afinal, algo de terrível aconteceu naquele lugar anos atrás que a direção tenta esconder. Sobre o que será que o fantasma está tentando alertar os campistas?



A forma em que Eduardo deu vida à Dimitri, com suas inseguranças e questionamentos, foi algo cativante durante a leitura. É nitidamente perceptível a evolução de Demo ao longo do livro. A maturidade que ele adquiriu no acampamento nos faz questionar o quão dramática nossa vida na cidade grande se torna em volta de tanta tecnologia e confusão, já que ele em um acampamento onde não sabe nem onde fica e não tem contato com o mundo externo, tudo se torna mais leve.
O mundo é grande demais para deixar de ser quem eu sou por causa de pessoas com mentes tão pequenas.
Senti que Eduardo passou uma mensagem muito bonita no enredo, basicamente que para ser quem você é, não importa quem está a sua volta. Conhecem aquela frase "dance como se ninguém estivesse olhando"? É essa a mensagem que eu tirei do livro. Seja você mesmo.

A edição está maravilhosa. A diagramação é a melhor amiga do leitor junto com a escrita do Eduardo para que a leitura flua rapidamente, afinal, é um livro que é possível sim ler em um dia (eu li rs).

Preciso dizer que a estória me lembrou um pouco "O Mau Exemplo de Cameron Post", pois ambos os livros tem a mesma proposta. Adolescentes com problemas e que vão para um acampamento se desligar do mundo para resolve-los, entender seu lugar no mundo e quem são. Mas tirando esta parte, a originalidade do desenvolvimento da estória é envolvente.

Embora o livro seja muito bom, o que me decepcionou um pouco, foi o fato que esperava ter mais romance e menos mistério ao longo da leitura. Bem que poderia rolar uma continuação mais focada no romance do Dimitri né? Eu ficaria bem feliz.

De todo jeito, super recomendo a leitura de "Submerso" para quem gosta de livros com a temática LGBT, envolvendo descobertas pessoais, segredos de famílias, amizades complicadas e sinceras, além de um pouco de mistério.

Espero que tenham gostado <3 XOXO


NOTA: 

Eduardo Cilto sempre se identificou mais com personagens de livros do que com as pessoas que conhecia. Nascido em 1996, na cidade de Santo André/SP, ele passa boa parte do seu tempo deslizando os olhos entre as páginas e tem o costume de inventar histórias sobre as pessoas que vê na rua. Em 2012, sua paixão por livros o levou a criar um canal no youtube 'Perdido nos Livros', onde expressa suas opiniões e surta sobre seus personagens favoritos junto com mais de 200 mil seguidores.

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!