Título Original: Homem-objeto e Outras Coisas Sobre ser Mulher
Autor: Tati Bernardi
Série: Livro único
Páginas: 256
Gênero: Literatura Brasileiro / Crônicas
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2018
Comprar: Amazon 

Sinopse: Reunião das melhores cronicas de uma das mais irreverentes escritoras contemporâneas. Desde que começou a escrever semanalmente para a Folha de S.Paulo, em 2013, Tati Bernardi não parou de conquistar leitores. Com sua prosa hilariante de inteligencia frenética, ela se tornou uma das principais criticas dos costumes da classe media meio intelectual, meio de esquerda usando aqui a expressão cunhada por Antonio Prata, autor da mesma geração. Homem-objeto reúne seus melhores textos e traz uma cronica inédita, Meu marido joga videogame , que retrata um dos temas que se sobressaem no conjunto, não apenas pela recorrência, mas pela originalidade e destemor com que e tratado: a experiencia de ser mulher no mundo contemporâneo. Tati diverte como poucos autores, e são muitos os leitores que abaixam o jornal para que a gargalhada possa ecoar como deve. Como dizia um velho filosofo, nos rimos porque doí. Talvez o elemento comum entre suas cronicas sobre constipação, espermograma ou taquicardia seja que todas tratam de sentimentos íntimos e profundos. O resultado, esperado ou não, e uma surpreendente dose de poesia.
"Tati Bernardi consegue transformar suas idiossincrasias cotidianas em literatura, numa mistura hilariante de desespero e humanidade. Ela seria cômica, se não fosse trágica." - Fernanda Torres (SKOOB)

Oieeee, gente! Tudo bom?
Sou uma grande amante de crônicas, gosto pela forma leve e pela crítica bem humorada da sociedade, minha autora preferida de crônicas é a Martha Medeiros, mas tenho lido outros autores e reafirmando meu grande amor por esse gênero. Tati Bernardi foi a minha surpresa mais recente.



Li 'Homem-Objeto e Outras Coisas Sobre ser Mulher', com as melhores crônicas de Tati Bernardi, um livro que tem foco em muitos dos dilemas que nós mulheres passamos todos os dias, alguns mais leves outros bem mais pesados e posso dizer que Tati Bernadi me agradou muito.

A autora foca na vida da mulher. O universo feminino é explorado ao máximo, Tati tem uma criatividade imensa para títulos, cada crônica faz reflexões interessantes e por vezes pensei "Meu Deus, como eu nunca pensei isso?"


É complicado fazer resenha de crônicas porque como são textos variados e com assuntos diferentes fica difícil fazer uma crítica sobre cada um deles, mas como já perceberam eu gostei muito deste livro, e os textos que me fizeram repensar algumas atitudes das pessoas que me cercam e até mesmo minhas, foram:

'Uma mulher boazinha', que faz uma reflexão sobre estereótipos do comportamento feminino, a obrigação da mulher de ser boazinha, delicada e adorável.


'Tv de Cachorro' que mostra como eram nossos hábitos em relação à mídia antigamente e como hoje pelas redes sociais acompanhamos o tempo todo e por consequência acabamos por tentar a perfeição que eles nos passam, principalmente no que se refere à alimentação.
Hoje se inverteu tudo. Agora o importante é comer como as celebridades fitness do Instagram ou como chefs renomados dos reality shows e, nos intervalos, quiçá, trabalhar, respirar, transar, ler e dormir. - Pág 74 
Ainda nessa crônica, Tati mostra como estamos sendo bombardeados por regras que vão desde não comer nenhuma gordura a consumir água orgânica, tudo com um tom muito forte de ironia que faz o leitor repensar o fanatismo por seguir padrões alimentares.


'Dr. Machismo' explora o fato de o machismo está nos lugares altos da sociedade, inclusive em profissões como médico. Tati conta situações que passou ao ir ao médico, posturas extremamente machistas e que são reproduzidas por muitas pessoas. Numa consulta ao obstetra, ele diz "Se for menina, o cérebro demora mais para se formar, se é que um dia se forma", gente olha que absurdo, obviamente essa piada não teve graça. Tati conta essa e outras experiências em que passou por situações assim, fazendo com que a leitora reflita sobre o machismo disfarçado e também o explícito na sociedade.



Um outro texto que me deixou muito pensativa foi 'Casamento não é spa', que mostra que apesar de tanta modernidade a responsabilidade de cuidar da casa e alimentar a todos ainda não saiu das costas da mulher.
Mulheres já fazem balizas, empresas e livros melhor do que os homens. Mas, uma vez dentro de um relacionamento, não importa se você trabalhou 14 horas (...) ele vai perguntar 'O que tem pra comer?' -  Pág 142
Essa mesma crônica diz que casamento não é uma férias, que ás vezes os rapazes não fazem isso por mal, apenas fazem. Essas incitações que Tati propôs a cada página me fazia pensar, argumentar e rever conceitos.

As crônicas refletem questões e questões que são feitas às mulheres, questões essas que vêm  cercadas de pressões a respeito do papel da mulher: "Quando vai ter filho?"; "Vai casar não? Tá ficando velha!"; " Mantenha-se atraente para seu marido."; "Foi estuprada porque provocou".



A escrita de Tati é leve, fluída e muito irônica, algumas vezes tive que reler um ou outro trecho a fim de entender melhor a ironias ou acidez da autora, isso não me desagradou, pelo contrário já que isso me fez sentir ainda mais a persuasão de Tati.


Sobre a edição, o livro conta com uma ótima fonte, letras num tamanho agradável e uma capa muito bonita, melhor dizendo, o tom de rosa escolhido para a capa é maravilhoso (ahhh) e ele ser rosa também faz parte da ironia de ser "mulherzinha" ( sinta a ironia...)

Tati Bernardi também escreveu 'Meu Passado me Condena' e roteirizou o filme, além de 'Amor e sexo', aquele programa da Globo que a Fernanda Lima apresenta, ou seja Tati é renomada não só como escritora, mas também como roteirista.


No entanto confesso que algumas crônicas não me convenceram, mas foram poucas, cinco crônicas que discordei do ponto de vista da autora em relação ao feminismo, mas isso não tirou o brilho desta obra, aliás, até essas cinco crônicas me fizeram pensar por outro ângulo. Então, recomendo 'Homem-Objeto e Outras Coisas Sobre ser Mulher' pra quem deseja uma leitura rápida e que saia da zona de conforto, vale a pena!

E você gosta de crônicas?
Conta aí, quero muito saber!
Beijo e até  breve!


NOTA:  

Tati Bernardi é paulistana e nasceu em abril de 1979. É formada em propaganda e marketing e fez pós graduação cinema, literatura e psicanálise. Trabalhou como redatora nas melhores agências de propaganda do país durante oito anos (W/Brasil, LeoBurnett, Neogama, Click...) e lançou os livros “A mulher que não prestava” e “Tô com vontade de alguma coisa que eu não sei o que é” pela Panda Books, o livro “Click Aqui” sobre propaganda e os romances infanto-juvenis “A menina da árvore” pela Ed. Moderna e “A menina que pensava demais” pela Pensamento Cultrix. Já foi colunista da TPM, VIP, Viagem & Turismo, Revista Alfa e atualmente colabora para a Folha de SP. Na Globo escreveu “Dicas de um Sedutor”. “Aline”, “Amor & Sexo” e as novelas “Vida da Gente” e “Sangue Bom”. Para o Multishow escreve o roteiro de “Meu passado me condena” e “De volta pra Pista”. Roteirizou o filme “Meu Passado me Condena”. Seu site www.tatibernardi.com.br tem mais de 300 mil views por mês e suas redes sociais somam mais de 1 milhão de seguidores.

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!