[Resenha] Confissões do Impostor Felix Krull - @cialetras

postado dia 13 setembro 2018

Título Original: Bekenntnisse des Hochstaplers Felix Krull.
Autor: Thomas Mann
Ano: 2018
Páginas: 368
Gênero: Literatura Estrangeira / Romance
Comprar: Amazon

Sinopse: Recém-chegado à idade adulta, o jovem aristocrata Felix Krull se vê numa situação lamentável depois que o pai leva a família à falência, como resultado de uma má gestão dos negócios, e tira a própria vida. Mas ele não se dará por vencido e fará de tudo para reerguer-se, a qualquer custo. Sedutor, belo e hábil na arte da trapaça, Krull vai trabalhar em um hotel em Paris, onde ele conhece um marquês que lhe propõe assumir sua identidade. Assim, na pele do nobre, ele parte para uma viagem que tem início em Portugal. O simpático impostor é o herói deste romance picaresco de Thomas Mann, uma autobiografia ficcional de um homem para quem todos os meios são aceitáveis para se atingir os fins desejados. Embora tenha começado a ser concebido nos anos 1910, e parte dele tenha saído antes em forma de conto, este foi o último livro publicado por Thomas Mann, no outono de 1954. (SKOOB)

Oi, gente! Tudo bem com vocês?
Hoje falarei de uma obra de Thomas Mann, um dos autores que sempre ouvir falar muito bem de sua escrita, e embora esperasse que o meu primeiro contato com o autor fosse através do seu livro 'A Montanha Mágica', fiquei bastante feliz em acabar começando por 'Confissões do Impostor Felix Krull ', explicarei o motivo disso mais pra frente.


O livro 'Confissões do Impostor Felix Krull' é dividido em três partes sendo divididas em capítulos e é narrado pelo próprio personagem que dá nome a obra.

Durante a leitura, Felix irá narrar alguns acontecimentos de sua vida que iniciará do seu nascimento (pelo que ouviu das pessoas), da sua infância junto da sua família, até acontecimentos determinantes na sua vida em que o mesmo já não se encontrava em seu lar, mas sim mundo á fora.

O protagonista é, sem dúvida alguma, um jovem muito, mas muito orgulhoso, porém mesmo assim o leitor se pega desejando sempre que as coisas deem certo para ele, independente da empreitada que o mesmo fará (tive essa sensação várias vezes ao longo do livro).

Como o livro é uma autobiografia, um livro que Krull queria escrever e tinha a intenção que outras pessoas lessem, me vi em alguns momentos em dúvida pela narração dos fatos, pois uma certa vez ouvir dizer que não devemos levar tão em "conta" tudo o que é escrito por se tratar de um personagem duvidoso, ele é um impostor e, como disse, um orgulhoso, há chances de está nos contando uma versão aumentada.
Como sempre desprezei pessoas que pensavam saber tudo sobre mim, lamentei-me a dar de ombros e dizer-lhe que ele podia ter razão, mas eu não tinha nenhuma vontade. - (Página 179)
Mas ao mesmo tempo eu acabei acreditando em tudo que era relatado porque não tem como você não o ver á não ser pelos olhos do próprio narrador, fazendo assim com que o achemos mesmo incrível.


Thomas Mann escreveu um personagem muito além do orgulho, pois ele é também muito inteligente, embora não tenha terminado os estudos onde ele sempre se justifica dizendo que existem outros meios de se conseguir o que quer, também é sonhador e solitário, pois tendo uma família que era burguesa não sendo muito aceita pela sociedade onde morava por possuírem um estilo "extravagante" de vida, acabava por não ter nenhum amigo.

Vamos ler aspirações de um jovem que perdeu tudo e tenta se reerguer quando após a perda de seu pai acaba perdendo tudo que possui, terá momentos em que o personagem se apaixonará e através dele seremos apresentados á diferentes pessoas com pensamentos ainda mais diferenciados.

'Confissões do Impostor Felix Krull' é uma obra maravilhoso e achei uma ótima opção para quem quer começar a ler Mann, pois apesar da escrita densa a quantidade de páginas, o enredo e a escrita faz a leitura prazerosa, pois o livro que citei no início possui bastante páginas e me peguei pensando como seria ao lê-lo.

Confesso que em alguns momentos da leitura se fez necessária uma pausa para que pudesse compreender melhor e não me perdesse e isso se fez necessário exatamente pela escrita densa.


A Editora Companhia das Letras colocou tradução no rodapé do livro das frases em francês dos diálogos que são feitos nessa língua ao longo da história, além disso ainda possui um posfácio falando do autor e da relação do mesmo a produção da obra.

Sem sombras de duvidas, 'Confissões do Impostor Felix Krull' é o tipo de leitura do qual faz o leitor pensar se os meios justificam os fins, além de nos colocar em conflito com o que achamos certo e errado.

Um grande abraço!
Até mais


NOTA:  

Thomas Mann (1875-1955) foi um dos grandes escritores alemães, autor de obras-primas como 'A montanha mágica' e 'Morte em Veneza'. Adversário ferrenho do nazismo, deixou a Alemanha em 1933, fixando-se mais tarde nos Estados Unidos, de onde proferiu os discursos reunidos em Discursos contra Hitler. Além de ser um notável romancista alemão, por meio de seus ensaios Mann tornou-se um porta-voz dos valores e da literatura alemãs, ajudando-os a permanecerem vivos durante uma das épocas mais tenebrosas para a cultura germânica. Tendo recebido o Nobel de Literatura de 1929, é considerado um dos maiores romancistas do século XX.

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!