Título Original: The Taster
Autor: V. S. Alexander
Editora: Gutenberg
Ano: 2018
Páginas: 304
Gênero: Ficção / Literatura Estrangeira / Romance
Comprar: Amazon

Sinopse: "Eu, Magda Ritter, conheci Hitler. Eu era uma das quinze mulheres que provavam sua comida, pois o Fürher era obcecado com a possibilidade de ser envenenado pelos Aliados ou por traidores dentro de seu círculo pessoal. Ninguém, exceto meu marido, sabe o que eu fiz. Nunca falei sobre isso. Eu não podia falar… Mas os segredos que guardei por tantos anos precisam ser revelados. Às vezes, a verdade me oprime e me apavora. É como uma queda sem fim em um poço fundo e escuro. Mas, ao escrever minha história, descobri muito sobre mim mesma e sobre a humanidade. E também sobre a crueldade dos homens que fazem leis para se adequarem aos seus próprios interesses. Eu conheci Hitler… E minha história precisa ser contada.” Unindo a história e a ficção, Um Banquete Para Hitler mostra os extremos de privilégio e opressão sob a ditadura do Fürher, expondo os dilemas morais da guerra em uma história emocionante, cheia de atos de extraordinária coragem em busca de segurança, liberdade e, finalmente, vingança. (SKOOB)

Quando me deparei com 'Um Banquete para Hitler', lançamento da Editora Gutenberg, fiquei totalmente intrigada pela leitura. Sou o tipo de pessoa que não pensa duas vezes para ler algo envolvendo a segunda guerra mundial, no entanto, esse livro trás a proposta de nos mostrar a Alemanha Nazista por um outro lado, que por sinal é algo que eu nunca tinha pensado.


Magda Ritter não era aliada ao partido de Hitler quando a guerra começou, muito menos tinha a intenção de fazer tal coisa, ela era uma jovem comum que pretendia conseguir um emprego e quem sabe no futuro formar sua própria família. Seus pais no entanto não viam um futuro para a filha em Berlim, uma vez que a Alemanha estava em guerra, e por isso decidiram que a filha deveria ir morar com os tios até as coisas se acalmarem.

Magda percebeu que não seria fácil dividir o mesmo teto que seus parentes se não tivesse um emprego fixo, foi então com a ajuda de seu tio que ela conseguiu uma entrevista. Eles que eram aliados ao partido e uma espécie de fanáticos pelo Führer, conseguiram para sobrinha um emprego do qual se orgulhavam muito, Magda serviria diretamente à Hitler, e mais do que isso, ela seria uma espécie de salva vidas do ditador.

O emprego ia contra tudo que a garota desejava, ela não era a favor nem contra a politica do Führer, no entanto não esperava se tornar uma de suas quinze provadoras que tinham como trabalho experimentar os alimentos de Hitler para que ele não fosse envenenado. Ainda sim Magda não desistiu do seu posto, ela sabia que a partir do momento que se negasse viraria uma traidora e assim prejudicaria não só a ela como toda a sua família.
Seu trabalho é importante, talvez um dos mais importantes no Reich. Você está entre Hitler e a morte. Sempre deve se lembrar disso. - (Pagina 53)
Enquanto passa os seus dias na Berghof, Magda conhece várias pessoas que começam a fazer parte de sua nova vida, como por exemplo a colega de quarto Ursula, a chefe de cozinha Cook e oficial bonitão da SS, Karl. Não demora muito também para ela ter um contato mais próximo de Hitler e sua amante Vera, que por sinal a trata muito bem. No entanto é quando um relacionamento amoroso entre ela e Karl da inicio que a garota toma consciência das atrocidades cometidas pelos Nazista durante a guerra.

Disposta a acabar com tanta crueldade, Magda se junta a Karl e outros envolvidos em uma conspiração contra o Führer. Só que quanto mais eles tramam, mais estão correndo riscos de vida e colocando todos os que amam em risco também. Ambos estão em um caminho sem volta, o que lhes restam é morrer ou matar, pois essa é uma guerra cruel que está bem longe de acabar.


Como eu disse no começo: 'Um Banquete para Hitler' vai muito mais além de tudo o que eu já li e senti a respeito da segunda guerra mundial. Aqui estamos lado a lado com o inimigo, que se faz parecer um homem justo e paterno, mas que na verdade está destruindo inúmeras vidas, incluindo a de todos aqueles que o serve.

O livro mistura ficção e fatos reais inspirados na entrevista da ultima provadora de Hitler viva até então. Em alguns momentos cheguei a me questionar se existia algo de bom no coração do ditador, mas logo desacreditei dessa questão.
A guerra liberta criaturas infernais. - (Pagina 241)
A narração é envolvente, mas não logo de cara, uma vez que os protagonistas não se deixam cativar por conta de seus sentimentos poucos revelados, tanto que a química entre o casal protagonista demorou um pouco a me convencer, mas quando o fez me levou a me apaixonar pela história deste casal.


Magda Ritter é obrigada a amadurecer durante a narrativa, os horrores da guerra revelam o pior de cada personagem que entra em cena, e na reta final as emoções ficaram todas a flor da pele, cenas fortes, como por exemplo de estupros, veem a tona, revelando a monstruosidade vivida por pessoas inocentes durante o holocausto, principalmente as mulheres.

A única coisa que me incomodou um pouco na leitura foi a forma como a protagonista lidou com cada perca, sei que ela mal tinha tempo para sentir tais dores, já que se não focasse em sua sobrevivência não conseguiria mudar nada nessa história. Independente disso 'Um Banquete para Hitler' é um livro e tanto, posso dizer que é um baita de um LIVRÃO!! V. S. Alexander criou uma obra singular, capaz de nos mostrar que nem todos dentro da Alemanha eram tão loucos e cruéis como Adolf Hitler, nem mesmo aqueles que o cercavam. O país sofreu as consequências da pior maneira possível, e isso é algo da qual a humanidade não deve jamais, em hipótese alguma, permitir que aconteça de novo em outro lugar.
A menção a Adolf Hitler trará vergonha sobre essa nação, não glória. - (Pagina 271)
Leitura recomendadíssima!!

NOTA:

Estudante de História com um forte interesse pela música e artes visuais, V.S. Alexander é um pseudônimo. Algumas das maiores influências na sua escrita incluem Shirley Jackson, Oscar Wilde, Daphne du Maurier, ou qualquer trabalho das requintadas irmãs Brontë. V.S. vive na Flórida e está trabalhando em uma terceira novela histórica.

Comentários via Facebook

5 comentários:

  1. Oi Thais,
    Quando me deparei com o lançamento também o desejei, adoro a segunda guerra e sou curiosa pela história de Hitler... Bem legal ver por esse lado, aliados, que na verdade estão tramando contra ele, imagino o risco que não correram, e mais, imagino se alguém na vida real de fato se atreveu a tal feio já que todos o temiam.
    Mesmo não ficção, não dá para enxergar qualquer humanidade em Hitler, mesmo nos livros que li que tentaram fazer isso, não colocou.
    Quero muito ler, e como é baseado em fatos reais, me interessa mais ..
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Eu to louca para ler este livro!
    Sou apaixonada por livros que falem sobre a segunda guerra mundial, ainda mais quando misturam história com ficção.
    Achei isso do cargo que ela ocupada sendo diretamente ligada a Hitler super interessante e curioso. Não consigo enxergar qualquer fio de humanidade no Fuhrer, mas quero muito poder ler isso pelos olhos da autora.

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  3. Thais!
    Tudo que gira em torno de Hitler e segunda guerra, é sempre bem chocante e doloroso e ver um livro baseado em fatos reais, trazendo mais uma das atrocidades cometidas naquela época, é sempre enriquecedor de ler.
    Bom final de semana!
    “A consciência é o melhor livro de moral e o que menos se consulta.” (Blaise Pascal)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JULHO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  4. Oi Thais!
    Como sempre nos post, as fotos estão lindas!
    Vi um dia desses esse livro na Leitura e fiquei bem interessada, já na capa mesmo. Mas imaginei outra estória. Mas não foi uma surpresa ruim.
    Depois que li A menina que roubava livros e O menino do pijama listrado me interesso muito por livros sobre a segunda guerra mundial.
    Me interessei muito pelo livro. Ainda mais por misturar um pouco da realidade também. Não posso nem imaginar a vida dela, que tensão!
    Tá na lista já!

    ResponderExcluir
  5. COMO FIQUEI DOIDA PRA LER ESSE LIVRO. Acho muito interessante esse tema. Já lí: A menina que roubava livros, O menino do pijama listrado, O diário de Anne Frank, O Mundo de Anne Frank, Os colegas de Anne Frank, Ele está de volta, Toda luz que não podemos ver, Anna e o homem das andorinhas...

    E como já disse Sara Sidle (CSI Las Vegas): Nunca deixo de me surpreender com o que o ser humano faz aos outros.

    ResponderExcluir

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!