Titulo Original: The Light we Lost
Autora: Jill Santopolo
Editora: Arqueiro
Páginas: 272
Ano: 2018
Gênero: Ficção / Literatura Estrangeira / Romance
Comprar: Amazon

Sinopse: Da lista de mais vendidos do The New York Times, USA Today e Publishers Weekly. Lucy e Gabe se conhecem na faculdade na manhã de 11 de setembro de 2001. No mesmo instante, dois aviões colidem com as Torres Gêmeas. Ao ver as chamas arderem em Nova York, eles decidem que querem fazer algo importante com suas vidas, algo que promova uma diferença no mundo. Quando se veem de novo, um ano depois, parece um encontro predestinado. Só que Gabe é enviado ao Oriente Médio como fotojornalista e Lucy decide investir em sua carreira em Nova York. Nos treze anos que se seguem, o caminho dos dois se cruza e se afasta muitas vezes, numa odisseia de sonhos, desejo, ciúme, traição e, acima de tudo, amor. Lucy começa um relacionamento com o lindo e confiável Darren, enquanto Gabe viaja o mundo. Mesmo separados pela distância, eles jamais deixam o coração um do outro. Ao longo dessa jornada emocional, Lucy começa a se fazer perguntas fundamentais sobre destino e livre-arbítrio: será que foi o destino que os uniu? E, agora, é por escolha própria que eles estão separados? A Luz Que Perdemos é um romance impactante sobre o poder do primeiro amor. Uma ode comovente aos sacrifícios que fazemos em nome dos ­nossos sonhos e uma reflexão sobre os extremos que perseguimos em nome do amor. (SKOOB)

O dia onze de Setembro de 2001 foi um marco na vida de todos as pessoas ao redor do mundo, a colisão de dois aviões com duas das torres mais famosas do mundo, As torres Gêmeas em New York, mudou completamente a vida e a perspectiva dos norte americanos.

O que seria só mais um dia de aula para Lucy, se transforma no divisor de águas de sua vida, quando um colega de classe, interrompe a aula contando sobre a colisão. Em meio a confusão de pessoas e informações, o destino acaba colocando Gabe no caminho de Lucy. Diante de um horizonte marcado por fumaça, fogo, caos, e sentimentos que não podem ser descritos, Lucy e Gabe decidem que vão fazer algo importante com suas vidas, algo que tenha significado, e que possa ter impacto tanto quanto o acontecimento que eles estão presenciando.

Ao vivenciarem essa experiência traumática juntos, Gabe e Lucy acabam desenvolvendo sentimentos profundos um pelo outro, mas a vida faz com que eles sigam caminhos diferentes, antes que eles sejam capazes de dar vazão a esses sentimentos. Um ano após ambos se formarem, Lucy e Gabe se reencontram, e dessa vez sem empecilho eles são capazes de verdadeiramente se conhecerem, se apaixonarem e viver esse romance.


Anos mais tarde Gabe recebe uma proposta de emprego no Oriente Médio, e acredita que essa é a sua oportunidade para finalmente cumprir o pacto que fez consigo mesmo no dia 11 de Setembro, essa é sua oportunidade de fazer algo significativo como fotojornalista. Lucy, no entanto, está cumprindo sua promessa também, fazendo algo significativo através do seu trabalho como produtora de programas infantis em New York. Por isso, mesmo estando incrivelmente apaixonados um pelo outro, a vida de casal de Lucy e Gabe acaba chegando ao fim.

Devastada, Lucy vive o seu período de luto pelo fim do relacionamento, mas inevitavelmente acaba seguindo em frente algum tempo depois, e é ai que ela conhece Darren. Darren é engraçado, encantador e completamente apaixonante, consegue aos poucos quebrar todas as barreiras que Lucy criou a sua volta, alcançando assim o coração dela.

Lucy acaba se casando com Darren, com quem forma uma linda família. Mesmo com o afastamento físico, ela e Gabe nunca deixam de se falar, e isso fez com que ela percebesse que é possível sim amar duas pessoas ao mesmo tempo, e que são amores diferente e únicos a sua maneira.

Um reencontro entre Lucy e Gabe, faz com que todos os sentimentos adormecido em ambos, ressurja com muita força, de  tal modo que Gabe acredita estar pronto para deixar seu emprego no Oriente Médio, e retornar para New York. Gabe está disposto a lutar pelo amor dele e de Lucy, mas até que ponto ela está disposta a abrir mão da família e da sensação de segurança que Darren lhe oferece, em nome desse amor eloquente que começou na juventude?

Antes que Lucy tenha tempo de responder tal pergunta, a vida mais uma vez vai intervi na vida de ambos, alterando significativamente o destinos deles.


MEU DEUS QUE RESENHA DIFÍCIL DE SAIR! Tem quase um mês que eu terminei a leitura desse livro, ele mexeu tanto comigo, que eu não consegui vim aqui falar nada dele antes, ainda estou impactada e tenho certeza que quando reler essa resenha daqui um tempo vou pensar que poderia ter feito algo melhor.

Logo no inicio da leitura eu fiquei um pouco confusa com a cronologia dos acontecimentos, até perceber que a personagem da Lucy estava contando para alguém a história, então a gente tem um pouco de passado e presente sendo misturados, e logo que se entende isso a narrativa flui maravilhosamente bem.

PS.: Quando eu descobri para quem ela estava contando a história eu levei um tombo.


Com personagens complexos e incrivelmente reais, a autora construiu uma narrativa super envolvente e emocionante, que prende o leitor do inicio ao fim. Ela também tem um domínio maravilhoso da trama.

'A Luz que Perdemos' com certeza é um livro que entrou para a lista dos livros favoritos da minha vida, e é também aquele livro que eu quero dar para todo mundo, por que preciso que todo mundo leia. Eu poderia passar o dia aqui exaltando esse livro e ainda não chegaria perto de expressar o quanto eu amei essa leitura. Por isso, que tudo o que eu digo é: Leiam 'A Luz que Perdemos'!

NOTA: 

Jill Santopolo é autora de séries infantojuvenis de sucesso, além de diretora editorial da Philomel Books, selo infantil da Penguin. Formada pela Universidade Columbia, dá aulas de escrita criativa na New School, em Nova York. A Luz Que Perdemos, seu primeiro romance para o público adulto, foi traduzido para 34 países e já teve os direitos vendidos para uma adaptação cinematográfica.

Comentários via Facebook

2 comentários:

  1. Anna!
    Não li ainda Um dia, portanto não sei bem do que se trata, mas de certa forma, mesmo tendo um tom melancólico e triste, gosto quando a narrativa vem como se fosse uma carta, demonstrando a intensidade dos sentimentos.
    E a questão da cronologia pega, né? Mas arriscaria a leitura.
    Bom final de semana!
    “O prazer dos grandes homens consiste em poder tornar os outros felizes..” (Blaise Pascal)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JULHO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  2. Desde que vi o lançamento do livro fiquei com uma vontade de ler, pois parece ser encantador.
    Sempre me conecto com o livro quando eles tocam no 11 de setembro, e achei legal a autora seguir por esse ponto.
    Parece ser bem reflexivo.

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!