Título Original: Lessico Famigliare
Autor: Natalia Ginzburg
Páginas: 254
Gênero: Romance, Auto Biografia
Comprar: Amazon

Sinopse: Neste livro, lugares, fatos e pessoas são reais. Não inventei nada”, escreve Natalia Ginzburg sobre sua obra mais célebre, Léxico familiar, de 1963. Nos anos 1930, como consequência da criação de leis raciais na Europa, inúmeras famílias foram obrigadas a deixar seu lar, tornando-se apátridas ou sendo literalmente destroçadas pela guerra que se seguiu. É nesse cenário que se inscrevem as memórias de Ginzburg. Nelas, o vocabulário afetivo de um clã de judeus antifascistas se contrapõe a um mundo sombrio, atravessado pelo autoritarismo. Trata-se de uma história de resistência, narrada em tom menor, e, sobretudo, da gênese de uma das escritoras mais poderosas do nosso tempo. “Natalia escreve com precisão e fluidez, com genuíno amor às pessoas e às palavras. — Alejandro Zambra, em prefácio inédito escrito para esta ediçã. (SKOOB)

Existem livros que são tão diferentes e profundos que nos deixam muito surpreendidos como leitores, o que é o caso de 'Léxico Familiar', uma leitura extremamente sincera e objetiva que me deixou de queixo caído. Nele, Natalia Ginzburg - autora que pertenceu a um grupo intelectual da maior expressão da literatura e crítica italiana - abre as portas para conhecermos sua família de forma tão íntima que me espantei com sua coragem e força ao contar sua história.

"Léxico Familiar" é uma leitura reveladora, uma autobiografia relatando os princípios e características de uma família que viveu no ano de 1930 na Itália em um período de crescimento fascista, onde seus parentes eram judeus e simpatizantes do socialismo. Nessa obra a escrita de Natalia é um relato sobre suas lembranças de juventude e infância vividos ao longo dos anos com seus pais e irmãos. 
"As coisas que meu pai apreciava e estimava eram: o socialismo; a Inglaterra; os romances de Zola... Pg  30 "
O pai de Natalia era um homem severo, rude, que costumava expor seus pensamentos através de xingamentos e ofensas até mesmo a seus filhos e esposa, esses eram seus maiores alvos quando se irritava ou algo lhe desagradava, um homem claramente preconceituoso com uma visão racista sobre os seres humanos e sobre sua família de certa forma. A avó não era muito diferente do pai, uma mulher de idade e ideais pouco humanas, rígida e grosseira com os netos em muitos momentos, ela tinha o costume de fazer suas preces em uma língua a qual nem ela mesma compreendia, acreditava que deveria se manter limpa, intacta diante da humanidade, tinha horror a qualquer animal e a doenças que eles poderiam lhe transmitir.


A mãe de Natalia era dócil e gentil na maior parte do tempo, mas sofria de uma ignorância e influencia de amigas que moravam em outros lugares, sua falta de pulso com a família era notável e triste ao mesmo tempo. O irmão mais velho de Natalia era o filho mais apreciado pelo pai, mas isso não o tornava cheio de mimos nem o melhor, sempre que tirava um dez o pai dizia que poderia ter sido melhor "Devia ter tirado um dez com louvor".

A escrita da autora conta sua história familiar de forma engajada e ao mesmo tempo elegante, Natalia Ginzburg conseguiu entregar sua proposta,  um auto relato sincero do que viveu e de como sua família era, seus ideais e comportamentos mais íntimos. Admito que é necessários coragem para mostrar ao mundo nossas mais intimas relações familiares, muitos não teriam essa força de escrever sobre suas vidas.



'Léxico Família' que recebeu o prêmio literário mais importante da Itália, foi uma das leituras mais intrigantes e memoráveis que fiz até o momento neste ano. Uma das coisas mais interessantes e admiráveis nesta obra é que Natalia se recusa a passar como vítima durante sua escrita, mesmo vivendo os horrores de um período tão difícil e citando alguns nomes importantes na cultura italiana. A leitura me conquistou por completo, foi um imenso prazer ter a oportunidade de ler este livro.

Espero muito que tenham gostado, um grande beijo e até a próxima!

NOTA: 


Natalia Levi Ginzburg nasceu em Palermo, em 1916. Pertenceu a um grupo intelectual da maior expressão da literatura e crítica italiana, do qual fazia parte Cesare Pavese, Italo Calvino, Elio Vittorini, Giulio Einaudi e Eugenio Montale. Seu primeiro marido, Leone Ginzburg, foi morto numa prisão romana em 1944. Um dos filhos do casal é o renomado historiador Carlo Ginzburg, conhecido pela obra O queijo e os vermes (1976) e autor da introdução feita especialmente para a edição brasileira do livro Piero della Francesca, de Roberto Longhi, publicado pela Cosac Naify, em 2007. Natalia casou-se depois com o crítico literário Gabriele Baldini. Integrou o Partido Comunista, foi ativista política e deputada. Escritora notável, obteve grande reconhecimento na Itália e no exterior, tendo sido traduzid

Comentários via Facebook

3 comentários:


  1. I think this book should be awesome dear,thanks for sharing..

    https://clicknorder.pk online shopping in pakistan

    ResponderExcluir
  2. Eu simplesmente gosto de livros assim, com esses enredos que buscam nas memórias coisas de um passado nem sempre fácil. Essa forma de narrar sem se colocar como vítima, mas ainda assim mostrando o retrato de uma época tão dura, simplesmente deve prender e conquistar o leitor. Eu não conhecia o livro, mas com certeza já entrou para minha lista de desejados. Adorei essa dica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá fico muito feliz que tenha gostado da dica de leitura, é um livro especial, onde a autora abriu as portas de sua vida e nos contou um pouco sobre sua família, beijos!

      Excluir

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!