Título Original: The Lost Wife
Autor: Alyson Richman
Editora: Bertrand Brasil
Gênero: Ficção, Romance, Literatura Estrangeira
Páginas: 336
Ano: 2018

Comprar: Amazon

Sinopse: Separados pela guerra, ligados pela memória: uma história envolvente e instigante no rastro da Segunda Guerra Mundial. Na Praga do pré-guerra, Lenka, uma jovem estudante de arte, apaixona-se por Josef, um médico recém-formado. Eles vivem cheios de ideais e de sonhos para o futuro, mas também são judeus e muito ligados à família. Casam-se, mas, pouco tempo depois, como tantas outras famílias, são separados pela guerra. As escolhas impostas pelo destino os afastam, mas deixam marcas permanentes: o caos e as informações truncadas dos tempos de guerra os levam a crer que o outro morre. Na América, Josef torna-se um obstetra bem-sucedido e constrói uma família, apesar de nunca esquecer a mulher que acredita ter morrido. No gueto de Terezín, Lenka sobrevive graças aos seus dotes artísticos e à memória de um marido que julgava nunca voltar a ver. Apesar de todas as provações e dos infortúnios, mantém a chama daquele primeiro amor acesa, guardada em seu coração. Da glamorosa vida em Praga antes da ocupação aos horrores da Europa nazista, Um Amor Perdido explora o poder do primeiro amor, a resiliência do espírito humano e a eterna capacidade de recordar. (SKOOB)

Sou o tipo de leitora que não abre mão de obras com grandes acontecimentos históricos de fundo, principalmente se estiver relacionado a Segunda Guerra Mundial. Por mais desumano que seja estar diante de acontecimentos assim, esse tipo de leitura me faz refletir, me auto analisar como pessoa e batalhar para ser um ser humano melhor. Então quando 'Um Amor Perdido' chegou em minhas mãos, antes mesmo de seu lançamento oficial (30/04/2018), não tive duvidas de que seria uma estória comovente e inspiradora.


Em 'Um Amor Perdido' conhecemos a história de Lenka e Josef, um jovem casal separados por uma guerra barbara e desumana, mas que ainda sim nos mostra o poder da bondade e do amor em meio a situações ruins da vida.

A narração navega por uma linha de tempo irregular, horas no presente e horas no passado, sendo Josef o narrador dos momentos pós-guerra e Lenka na pré-guerra. A estória começa quando Josef descobre que sua esposa não foi morta, a partir daí somos levados de volta ao passado em Praga, onde Lenka conta os momentos marcantes da sua infância, adolescência e vida adulta.

Lenka vem de uma família Judia, seu pai é dono do próprio negócio, e sempre deu uma vida confortável a sua esposa e duas filhas. Além de ser uma família muito unida e bondosa, as meninas sempre contaram com os cuidados de Luci, que após engravidar decidiu que era hora de deixar o emprego com um lindo laço de amizade a ligando a esta família.

Foi quando Lenka iniciou a faculdade de artes que conheceu a extrovertida Veruska, ambas se tornaram muito amigas, e graças a este convívio Lenka conheceu o amor da sua vida. Junto com o nascimento desse amor veio também os primeiros indícios de guerra, e depois de viverem um romance as escondidas, Josef decide pedir Lenka em casamento e leva-la para America. No entanto seus planos não saem bem como o esperado, e os dois terão suas vida de casados interrompida por esse grande desastre.


Esse foi meu primeiro contato com a escrita da autora Alyson Ruchman, e confesso que me senti lendo algo semelhante a Lucinda Riley. A narração fluiu com mesma facilidade que passado e presente se entrelaçavam nesse enredo. O romance entre homem e mulher que aparentemente seria o foco da história, perde destaque para uma obra emocionante, que nos faz sentir na pele os momentos de crueldade que os judeus precisaram enfrentar nos campos de concentração nazista.

Além disso a leitura nos permite ver o quanto uma guerra é capaz de transformar um ser humano, mudar sua vida e seus sentimentos. Lenka que era uma garota cheia de fé e esperança, chega em um momento que começa a questionar sua própria fé. Foi impossível não derramar lágrimas e mais lágrimas em meio a esses momentos.


Os personagens dessa história são todos encantadores, criei uma afeição enorme por cada um deles. E pela primeira vez li um livro sobre a Segunda Guerra Mundial que me levou para dentro de um campo de concentração nazista, o que me fez sentir na pele os momentos de angustia e de esperança narrado pela nossa protagonista. É imensamente desconsertante ter em mente que essa foi sim uma guerra real e que pessoas de verdade passaram por todo esse caos e sofrimento.

'Um Amor Perdido' é uma obra prima de emoções que chegou despretensiosamente e mexeu com todas a emoções que existe dentro de mim. Eu não esperava me comover tanto quanto fui comovida, e recomendo essa leitura para todos, sem restrições. É com certeza uma história comovente que reforça tudo o que conhecemos sobre AMOR, FAMÍLIA, DOR E ESPERANÇA.

NOTA:

Alyson Richman é autora best-seller internacional The Last Van Gogh. Seus romances já foram publicados em dezoito idiomas. Um Amor Perdido foi vencedor do prêmio Long Island Reads em 2012, eleito um dos melhores livros daquele ano e encontra-se em processo de adaptação para o cinema. Richman vive em Long Island com o marido e dois filhos.

Comentários via Facebook

10 comentários:

  1. Não tem como não amar histórias que tenham como pano de fundo a segunda guerra mundial. Me emociono com todas.

    ResponderExcluir
  2. Olá, também gosto bastante de obras com algum fundo histórico, pois o leitor consegue absorver muito mais do que a trama. Vejo que essa obra cativa o leitor logo no começo, abordando temas com os quais é possível se identificar. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Historias que ocorrem na época da Segunda Guerra e um romance envolvendo toda trama, pra mim é o que precisa. Eu sempre tive receio de livros passados nessa epoca da historia, mas depois que li o primeiro sempre que posso é a minha opção prioritária. Um casal que se separa por causa da guerra e se reencontram (ou não), sempre são contadas com um sentimento intenso e aquele drama que fica na cabeça e no coração por dias. Gosto muito.

    ResponderExcluir
  4. Que resenha linda!!! Tb me encantei com esse livro!!!

    www.stephanyalmeida.com.br

    ResponderExcluir
  5. Mdsssssss, pera! Mais um livro ambientado na segunda guerra mundial? É isso mesmo, produção?
    Pelo visto vou ser levada a falência, pois quero tudo!!!!!!!!!

    Eu compartilho desse mesmo sentimento que você expôs logo no início da resenha. Por mais angustiante que seja, uma leitura traçada em um momento épico de guerra e caos, como a Segunda Guerra Mundial, traz consigo questionamentos de vida pelo qual toda pessoa deve receber e analisar.
    Geralmente ao ler ou assistir algo que remete a períodos históricos, eu costumo desvincular um pouco do objetivo central do livro/série/filme e observar o leque de informações que há por trás da máscara. Gosto de observar vestimentas, cores, cultura, comportamento, aceitação... E, justamente por isso, eu fico feliz por saber que o livro não vai focar precisamente no romance!

    Espero poder ler em breve e te contar o que achei :) ;*

    ResponderExcluir
  6. Esse livro não me chamou tanto a atenção pra ser sincera. Não sou fã de livros de época e de livros que não são lineares. Porém, por ter uma proposta interessante, não nego ler um dia. Gostei de saber um pouco da história e mais uma vez amei as fotos.

    ResponderExcluir
  7. Mim parece ser uma história super emocionante, de um amor que foi perdido e no decorrer do enredo o casal se reencontra em plena Segunda Guerra Mundial. A leitura do livro baseado em um contexto histórico , mim proporciona um viagem ao um mundo de descobertas que jamais vivi. Um literatura enriquecedora a todos nos leitores.

    ResponderExcluir
  8. Oi Thais.
    Como sempre digo: adoro histórias (principalmente romances) que se passam em meio a guerra, sempre ganho um conhecimento histórico com eles, e claro, pela reflexão que traz.
    Gosto de narrativas que intercalam passado e futuro, elas me prendem, e na ânsia de descobrir qual será o fim do casal sem dúvidas não iria querer parar de ler, rs.
    A história toda me lembrou um pouco livros da Megan Maxwell, uma autora que amo, e por isso darei uma chance para ele, já coloquei na lista de desejados... A capa também me ganhou <3
    Bj

    ResponderExcluir
  9. Oi Thais!
    Adoro romances e acho que de tanto que ouvi falarem bem desse com certeza irei gostar. A obra parece ser aquela que te mexe e emociona. O contexto de guerra sempre rouba um pouco da cena, sempre imaginamos todo o sofrimento enfrentado pelos judeus e pelos muitos que já viveram e vivem nesse sentido.
    Com certeza acho que é uma leitura que deve ser feita não apenas pelo romance mas por toda a obra em si.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. É exatamente o que eu penso ao ler enredos que de alguma forma se esbarram nas guerras. Acho que acabamos aprendendo algo com a história. As personagens geralmente são mais amadurecidas diante de todas as dificuldades que acabam enfrentando. Não é que eu admire guerras, mas gosto de ver como o ser humano é capaz de buscar formas para sobreviver e se unir nas horas mais difíceis. Ótima dica.

    ResponderExcluir

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!