Título Original: Ei, você! Aprenda a amar
Autora: Luiz Filipe Lago de Carvalho
Editora: Chiado
Ano: 2016
Páginas: 116
Gênero: Contos e Crônicas


Sinopse: “Relacionar-se romanticamente com alguém é algo bastante complicado. É muito mais fácil poder escapar, viver livre, leve e solto. É muito mais fácil sentir que sua felicidade não depende de uma só pessoa. É muito mais fácil não sentir a pressão de um relacionamento, no meio de tantas que você já sofre diariamente. Mas, faz falta. Amar faz falta. Ser amado faz falta. Depender emocionalmente de alguém faz falta. “ Com referências tiradas de grandes obras de nomes como Neruda, Shakespeare, Blake, Dickens e Gabriel García Márquez, esta obra analisa e problematiza a forma como as pessoas, principalmente os jovens, se relacionam nos dias de hoje. Com uma escrita simples, direta e muitas vezes agressiva, o autor promove uma “conversa de amigo” com o leitor, tanto apontando suas falhas e o desafiando a mudar, quanto o confortando e oferecendo esperança. São propostas reflexões sobre o que entendemos sobre amor, paixão, fidelidade e moral, de forma a gerar a compreensão de que as dúvidas, as adversidades e as complicações sempre existiram e sempre existirão; que quebrar os paradigmas nocivos que regem os relacionamentos atuais é um trabalho gradativo e árduo, porém, extremamente gratificante. (SKOOB)

Alguns meses atrás passei por uma crise muito feia no meu relacionamento amoroso, e por ironia do destino - ou não - tive a oportunidade de estar lendo 'Ei, você' Aprenda a amar', que realmente me fez abrir os olhos para um problema que já existia no meu namoro há algum tempo, e que deu consequência para essa grande crise que nos atingiu. Além do mais, a obra me fez reconhecer que o erro não vinha de apenas um lado do relacionamento e sim dos dois.


Em 'Ei, você' Aprenda a amar', o autor nacional Luiz Filipe Lago de Carvalho começa com a gritante realidade de que o amor é 5% sorte e 95% dedicação, porque quem ama sente a vontade de ver o outro feliz, baseia suas escolhas na outra pessoa e se esforça por ela. E isso é a mais pura verdade, além de ser algo obvio, algo que quem ama já sabe, já viveu e aprecia. A questão é que o amor é muito semelhante a uma semente, e quando deixamos ou nos esquecemos de nos dedicar a esse amor para que ele continue sempre crescendo, lindo e sadio como uma planta, ele tem grandes chances de não sobreviver, de ser atacado por diversas 'pragas'. Por isso amar é sim uma questão de escolha, somos totalmente responsáveis por aquilo que plantamos, e se um relacionamento chega ao fim, não é porque não foi amor, mas sim porque alguma das partes - ou as duas - em algum momento não soube cultiva-lo.


A narração de Luiz Filipe não flui como a de um contador de histórias, e sim como a de um amigo intimo, especialista em amor, com o qual temos o maior prazer em bater aquele papo inteligente, aquele papo cabeça, que só tem a acrescentar em nossas vidas. Me senti como no filme Frozen, tendo um amigo especialista em amor (hahaha). E por falar nisso, algo que tornou este livro ainda mais incrível, foram as várias referências a séries, filmes e livros que o autor inseriu no decorrer dos capítulos. Tanto que na própria capa podemos identificar a trompa do seriado 'Como eu conheci sua mãe', que traz o romântico incurável Ted.


Quando finalizei a leitura juro que queria ter condições financeira de comprar uma caixa cheia desse livro e sair distribuindo para as pessoas que eu amo, pessoas que vira e mexe estão com problemas em relacionamentos não só amorosos como familiar, pois o que Luiz Filipe nos desperta ao falar de amor pode ser aplicado para as mais diversas relações, seja ela entre pais e filhos, amigos, namorados e etc.

'Ei, você' Aprenda a amar', realmente me fez ver algo que eu não queria enxergar, e graças a esta leitura eu saí em busca da minha felicidade, reavaliei meu modo de pensar, consegui tomar decisões e analisar o meu problema amoroso por uma outra perspectiva. Isso (e outras coisas também) consequentemente me levou a caminhos do qual já tinha me desviado, onde quando temos um ensinamento baseado em coisas boas e no amor, a vida facilmente se ajeita.


Portanto, agora eu te pergunto: você sabe amar? Você está tomando atitudes pensando em que forma isso irá atingir as pessoas que ama? Você realmente trata as pessoas amadas da mesma forma que gostaria de ser tratado? Você vive cada momento ciente de que pode ser o ultimo contato, o ultimo beijo? Está abrindo mão de coisas irrelevantes para que o relacionamento tenha harmonia, para fazer a outra pessoa feliz? Está existindo conversa para que ambos os lados coloquem tudo sobre a mesa e procure uma solução que agradará os dois? Ou você simplesmente está vivendo em um relacionamento por status? Sabendo que não é essa a pessoa que você quer do seu lado para o resto da vida, para criar seus filhos, construir um futuro juntos, amar e respeitar até que a morte, apenas a morte, os separe? Pois se não é para ter um relacionamento com a pessoa que você quer que seja a sua outra metade, é melhor nem começar, quando fazemos isso a consequência é nos ferir ou ferir os sentimentos dos outros.

Evidentemente não só eu, mas muita gente ainda precisa praticar o amor! Na teoria, a maioria de nós sabemos sim amar, mas infelizmente, por alguns motivos 'idiotas' acabamos não praticando, não se dedicando ao amor. E é aí que as coisas ruins acontecem, quando pensamos no amor apenas como algo que merecemos, esquecendo que é algo que também precisamos dar. Por isso eu indico essa leitura para todos sem exceção, o mundo está precisando sim de atos de amor, as pessoas precisam sim avaliar seus relacionamentos, independente se já é algo que dura anos, pois se é amor tem sempre como melhorar. Você vai finalizar essa leitura com uma outra perspectiva do que é realmente amar, isso eu tenho certeza.

NOTA: 

Luiz Filipe Lago de Carvalho nasceu em Teresina/PI em 24/01/1993. Durante a infância e a adolescência morou em várias cidades do Brasil e do exterior. Em 2011 mudou-se para Brasília/DF, onde, desde então, cursa Direito e trabalha como professor de inglês e, mais recentemente, estagiário judiciário. Ávido leitor já em tenra idade, sempre se identificou com as descrições de sentimentos e as declarações de amor nas mais diversas formas de literatura, admitindo entrar na história ou poema e sofrer, sorrir e chorar juntamente com as personagens. Profissionalmente, almeja lecionar em nível universitário e exercer a advocacia. Seu maior sonho é ter filhos e constituir uma família.

Comentários via Facebook

5 comentários:

  1. Thaís!
    Tão bom quando um livro nos faz repensar nossos pensamentos, diretrizes e postura, principalmente em relação ao amor, não é mesmo?
    Gostei muito de toda premissa do livro e gostaria de ler, embora já exercite o cultivo do amor, tanto com a família, como amigos e com maridão.
    FELIZ DIA DAS MÃES!
    “Sê humilde para evitar o orgulho, mas voa alto para alcançar a sabedoria.” (Santo Agostinho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Flor, esse livro é muito bom, eu já nem sei mais quais elogios posso dar a ele, só recomendo que leia e que faça outras pessoas lerem, pois a mensagem serve para todos nós! <3 Xoxo

      Excluir
  2. Olá amiga, tudo bem?
    Passei por uns problemas de relacionamento a algum tempo atras, e gostaria de ter lido este livro na época. Graças a Deus está indo tudo bem agora, mas como diz o livro, o amor é uma semente que precisa ser cultivada e muitas vezes nos esquecemos disto. Adorei sua resenha e espero poder ler este livro em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lara! Tudo sim e vc?
      Exatamente, essa semente não pode ser esquecida, ela precisa de cuidados diários, mas nós acabamos nos distraindo e esquecendo disso algumas vezes. Mas nem tudo está perdido, digo por experiência própria, o amor tem suas artimanhas. Que bom que está tudo certo pra vc agora! Se precisar conversar é só chamar ;)

      xoxo

      Excluir
  3. Oi!
    Só por esse livro trazer a trompeta azul de How I Met Your Mother já me conquistou, fiquei bem curiosa para ler esse livro, parece ser aquele tipo de livro que acaba nos fazendo refletir muito durante a leitura e repensar em nossas atitudes, fiquei curiosa para ver o que o autor trás nesse livro e adorei as referencias a filme e livros !!

    ResponderExcluir

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!