Titulo Original: Ausländer
Autor: Paul Dowswell
Editora: Planeta
Páginas: 272
Ano: 2016
Gênero: Literatura Estrangeira
Comprar: Americanas, Submarino
Sinopse: Piotr é um menino polonês quando os nazistas invadem seu país e matam seus pais. Seu destino parece traçado: viver num orfanato, sendo depois oferecido para trabalho escravo. Mas seus olhos azuis, seu cabelo loiro e sua pele clara fazem dele um exemplo da raça pura, um modelo para a Juventude Hitlerista. Então, os alemães o entregam a uma família nazista. Só que Piotr, que nunca deixa de se sentir estrangeiro junto a sua nova família, começa a formar seus próprios conceitos sobre o que vê e o que lhe é dito. Ele não quer ser um nazista. E então assume um risco – o mais perigoso que poderia escolher na Berlim de 1942. Vencedor de seis prêmios e finalista de outros dezesseis, este romance de Paul Dowswell parte de uma pesquisa meticulosa para uma narrativa cheia de reviravoltas, trazendo à tona um ângulo diferente dos horrores da Alemanha nazista.(SKOOB)

Olá pessoal, hoje vamos falar sobre um livro que retrata a Alemanha dos nazistas, isso mesmo sei que vocês estão até acostumados a me ver resenhar livros que falam sobre a segunda guerra, sobre o holocausto, mas acreditem esse livro de hoje ele nos mostra outro lado da história, ele retrata a vida daqueles que estavam do lado de Hitler, podemos ver o quanto as pessoas eram cegas e de fato acreditavam no que era pregado por um homem totalmente descompensado, mas que não podemos negar tinha uma inteligência fora do normal e uma habilidade única para manipular as pessoas e convence-las de que suas ideias eram as melhores.


"O órfão de Hitler", nesse livro nos vamos acompanhar as mudanças ocorridas na vida do menino Piotr, um garotinho de apenas 13 anos que vê sua vida mudar completamente assim que seus pais são mortos durante uma invasão dos nazistas a Polônia. Piort, nasceu na Polônia, mas seu pai era alemão e sua mãe filha de alemão com polonês, assim  ele herdou o que os nazistas chamavam de traços nórdicos, ele tinha todas as medidas da raça puramente ariana, assim era para os alemãs um alemão que deveria ser recuperado e colocado em uma boa família alemã.

Quando os pais de Piort são assassinados, os soldados alemães tomam a fazenda onde era seu lar e ele é mandado para um orfanato na Varsóvia,um lugar miserável onde os alemães faziam a triagem das crianças, as que eram consideradas com traços arianos eram mandadas para a adoção por famílias alemãs para que pudessem ser reeducadas e se tornassem verdadeiros cidadãos germânicos. E como dito anteriormente esse foi o destino de Piort, por ser considerado um exemplar da raça ariana e falar alemão fluente, ele foi inserido em uma família alemã influente, onde teve que ser esforçar ao máximo para ser visto como um deles e principalmente para que não fosse devolvido para o orfanato de onde havia sido tirado.


Com a convivência com os jovens de sua idade todos defensores dos ideais de Hitler, e ele começa a observar as desigualdades e o tratamento que é dado aos poloneses que diferente dele não foram inseridos em nenhuma família alemã, mas vivem nos campos como escravos. Piort, começa a querer ajudar mesmo sabendo dos riscos que corre ao dar um pão ou jogar sobra de comida para os polacos.

Ao longo da narrativa a gente vai se encantando com o personagem, mas confesso que ao ler este livro fiquei bem assustada com a capacidade do ser humano para crueldade, e o pior em como as pessoas daquela época acreditavam que eram mesmo superiores e que tinham o direito de tratar os diferentes como animais. O que me assustou mais foi a cegueira coletiva, isso mesmo quando lemos vemos que a maioria dos alemães eles idolatravam Hitler, em uma parte que pretendo transcrever aqui a irmã adotiva do protagonista ora pedindo proteção para Hitler, como se ele estive acima do bem e do mal, e o pior é que de fato quando assistimos a documentários sobre a época do holocausto é isso o que descobrimos que eles acreditam mesmo em todas as loucuras proferidas pelo líder descompensado que estava no poder.


Apesar de retratar um episodio da história mundial que todos gostariam de esquecer eu acho que a leitura de livros sobre esse tema são de extrema importância, porque a intolerância em todos os sentidos ainda é algo bem atual, e por isso precisamos ser constantemente relembrados do quanto ela é maléfica e pode causar danos irreparáveis.

A escrita é extremamente envolvente e tenho certeza que vocês vão gostar tanto quanto eu da forma como o autor construiu a história, por isso está mais do que recomendada a leitura, a capa para mim não poderia retratar melhor o conteúdo ela é simplesmente perfeita.

Me digam nos comentários o que acharam da resenha e se pretendem ler o livro, também gostaria de interagir mais com vocês nos comentários pessoal, vamos falar sobre o assunto. Beijos!!

NOTA:
Paul Dowswell, é o premiado autor de mais de 60 livros, em especial romances históricos voltados ao público juvenil, como Eleven eleven, cuja trama se passa na Primeira Guerra Mundial, e Sektion 20, na Guerra Fria. Ex-editor e pesquisador, vive atualmente em Wolverhamptom, no Reino Unido, com sua família.

Comentários via Facebook

12 comentários:

  1. Oi!! Janaína vc não vai acreditar...Quase quase peguei esse livro esses dias...Repensei milhares de vezes pois não tinha lido nd sobre ele ainda...Eu adorei! O próximo com toda ctz será ele!
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Aline,
      Agora você já pode ler sem medo, o livro é muito bom. Beijos

      Excluir
  2. Oi, Janaina!!
    Gostei muito de conhecer esse livro!! Que história tem esse livro, sem dúvida e um livro que todos tem que ler algum dia na vida.
    Beijoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marta,
      Esse livro é mesmo fantástico <3

      Excluir
  3. Janaína!
    A crueldade humana é realmente inimaginável, principalmente na época do holocausto.
    Gosto demais de livros baseados nessa época porque podemos aprender coisas que não vivemos e agradecer por não ter vivido lá.
    Achei interessante demais o enredo e gostaria de saber o que aconteceu com o protagonista.
    Desejo um ótimo final de semana e um bom feriado!
    “Não há nada que faça um homem suspeitar tanto como o fato de saber pouco.” (Francis Bacon)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de NOVEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, fico feliz que tenha gostado da resenha.
      Beijos!

      Excluir
  4. Oi, Janaína. Gostei muito conhecer o livro! Pretendo ler ele com certeza! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vitória, fico feliz que tenha gostado. Beijos

      Excluir
  5. Gosto de ler historias sobre esse período de guerra, são tristes e revoltantes, mas acho que aprendemos muito com elas. Esse por ser diferente me interessou ainda mais. É impressionante como algumas pessoas tem uma lábia e consegue convencer muitos a ficar do seu lado, mesmo estando errado. Adorei o personagem que fibra que ele parece ter.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria, concordo com seu ponto de vista, de fato essas histórias tem muito a nos ensinar. Beijos

      Excluir
  6. Oi!
    Gostei muito da sua resenha! Com certeza esse livro está na minha lista de desejados. Gosto de ler a respeito desse tema, apesar de muito triste, infelizmente foi muito real. E precisamos refletir cada vez mais sobre tudo que o ser humano foi (ou ainda é?) capaz de fazer, pensar e sentir, para tentar se tornar mais poderoso e ditador.
    Dica anotada.
    Obrigada. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Márcia,
      fico feliz que tenha gostado.
      Beijos

      Excluir

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!