[Resenha] Apenas um Garoto - @editoraarqueiro

postado dia 04 agosto 2016

Titulo Original: Openly Straight
Autora: Bill Konigsberg
Editora: Arqueiro
Ano: 2016
Páginas: 256
Gênero: Ficção Americana

Sinopse: Rafe saiu do armário aos 13 anos e nunca sofreu bullying. Mas está cansado de ser rotulado como o garoto gay, o porta-voz de uma causa. Por isso ele decide entrar numa escola só para meninos em outro estado e manter sua orientação sexual em segredo: não com o objetivo de voltar para o armário e sim para nascer de novo, como uma folha em branco. O plano funciona no início, e ele chega até a fazer parte do grupo dos atletas e do time de futebol. Mas as coisas se complicam quando ele percebe que está se apaixonando por um de seus novos amigos héteros. (SKOOB)

Conheçam Rafe, um jovem garoto que corajosamente 'saiu do armário' aos 13 anos de idade; os pais de Rafe aceitaram abertamente a condição sexual do filho e isso foi uma surpresa para ele. Antes de se assumir Rafe sabia que a interpretação e modo com que as pessoas receberiam a 'notícia' poderia ser de inúmeras formas, pois vocês sabem tão bem quanto Rafe o quão preconceituoso o mundo é e o quão avassalador contar aos pais que se és gay, pode ser. Ser expulso de casa era um dos medos que nosso protagonista tinha, seus pais eram jovens e mentes abertas mas mesmo assim Rafe ficava com essa 'pulga atrás da orelha', era imprevisível o modo com que receberiam a notícia do filho, até mesmo sendo quem são. Felizmente Rafe foi bem acolhido não só pelos pais mas também por seus 'amigos' de escola; se tratando em amigos não posso deixar de mencionar Claire Olive, fiel amiga e cúmplice de Rafe, ambos se conheceram quando eram pequenos e desde então não se separaram mais, faziam tudo oque podiam juntos, tudo mesmo.


Após se assumir gay não só a vida de Rafe mudou, mas a de seus pais e pessoas próximas dele também. Sua mãe, passou a frequentar um grupo de apoio onde gays e seus pais se reuniam com outros para conversar e debater sobre a sexualidade; com o tempo ela acabou se tornando presidente do grupo e junto dela Rafe passou a dar palestras em colégios da sua cidade e região sobre como é ser um jovem gay, mas o principal objetivo era transmitir aos alunos que uma pessoa se sentir atraída por alguém do mesmo sexo não é 'o fim do mundo' ou 'afrontar a Deus', é algo normal, obviamente muitos não aceitam e discriminam, mas é só não se importar e querer cuidar da vida dos outros que tudo fica bem.

Mesmo nunca tendo sofrido bullying, Rafe estava se cansando do modo com que as pessoas se dirigiam a ele, 'o garoto que se assumiu gay' como ficou conhecido. Por mais que gostasse de futebol ele não se sentia a vontade jogando com os outros garotos e percebia que eles também não ficavam confortáveis na sua presença no time; grande parte das meninas queriam saber como era ser gay, conversar sobre moda e perguntar se os gays gostam de futebol... Isso o incomodava profundamente, ser tachado como 'gay' poderia ser tão ruim quanto sofrer bullying, porque ele não poderia apenas ser um garoto normal aos olhos das pessoas?


Cansado de toda essa situação, Rafe toma um decisão que surpreende a todos, mudar-se para um colégio só de garotos onde não conhecia ninguém parecia ser ótimo para o momento pois consequentemente não seria tachado e reconhecido como 'gay'. Sua real intenção ele não contou nem mesmo aos pais, muito menos a Claire Oliva melhor amiga, ele simplesmente inventou uma desculpa esfarrapada que por fim acabou 'convencendo' a todos, bom, pelo menos por um tempo. Rafe não tinha ideia do que sua decisão iria causar, toda ação gera uma reação, transferir-se para um colégio só de garotos fez com Rafe se sentisse 'normal' pois era isso que ele vinha almejando desde quando saiu do armário, mas algumas coisas estava prestes a mudar quando Rafe percebe que está apaixonado por um de seus novos amigos héteros.

Confesso que não esperava que a leitura deste livro fluísse tão rápido, logo que nunca tinha lido algo assim. A escrita do autor Bill Konigsberg é super envolvente, quando me dei conta já tinha passado da metade do livro em poucas horas (haha) mas o ponto forte do conjunto em geral é o modo com que ele criou e apresentou a vida de Rafe, tudo muito bem elaborado até os detalhes que em primeira vista parecem simples, logo teem grande influência no desfecho da estória. Quero parabenizar a Editora Arqueiro que fez um trabalho fantástico nesse livro, a edição está fantástica, capa, diagramação, divulgação, tudo muito bem elaborado! Trabalho exemplar é um ótimo sinônimo para descrever a Editora Arqueiro. Parabéns!

NOTA:

Bill Konigsberg sempre foi fã de esportes. Antes de escrever livros, trabalhou na ESPN e na Associated Press como editor e jornalista esportivo. Ele ganhou o Lambda Literary Award por 'Out of the Pocket' seu primeiro romance, e o prêmio Sid Fleischman na categoria  Humor para 'Apenas um Garoto'. Ele mora no Arizona com o marido, Chuck e seus dois cachorros.
See you soon, Lucas!

Comentários via Facebook

6 comentários:

  1. Realmente ninguém nunca pensa que ser tachado de gay, mesmo que de uma forma aceitável, pode ser tão ruim quanto o bullying. Achei interessante o livro explorar esse modo de ver as coisas. Estou interessada em lê-lo. Gostei muito da resenha. =)
    Beijinhos ♥

    Contadora de Histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Déboraaaa, leia o quanto antes. É fofo e irritante ao mesmo tempo haha vale super a pena.

      Excluir
  2. Oii Lucas!!
    Gostei tmo desse livro! As pessoas precisam ter mais informações, precisam se abrir mais, abris mais a mente...Enredo maravilhoso!
    Capa linda tbm!
    Qro ler com toda ctz!!
    Bjs!!

    ResponderExcluir
  3. Simplesmente ameeeei, ja está no topo da minha listinha!!!

    ResponderExcluir

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!