[Resenha] O Acerto de Contas de uma Mãe: A vida após a tragédia de Columbine - @Verus_Editora

postado dia 09 julho 2016

Titulo Original: A Mother´s Reckoning: Living in the Aftermath of Tragedy
Autora: Sue Klebold
Editora: Verus
Ano: 2016
Páginas: 144
Gênero: Biografia/Memória
Comprar: Submarino, Americanas, Shoptime
Sinopse: Um livro forte e inquietante narrado pela mãe de um dos responsáveis pela a tragédia de Columbine. Em 20 de abril de 1999, Eric Harris e Dylan Klebold se armaram com pistolas e explosivos e entraram na Escola de Ensino Médio de Columbine, na cidadezinha de Littleton, Estados Unidos. Em questão de minutos, mataram doze estudantes e um professor e feriram outras vinte e quatro pessoas, antes de tirar a própria vida. Desde então, Sue Klebold, mãe de Dylan, convive com a dor e a vergonha indescritíveis por aquele dia. Como seu filho, o jovem promissor que ela criou com tanta dedicação, pôde ser responsável por tamanho horror? E como, convivendo com ele diariamente, ela não percebeu que havia algo errado? Houve sinais sutis que ela não captou? O que ela poderia ter feito diferente? Essas são perguntas com que Sue se debate todos os dias desde a tragédia de Columbine. Em O Acerto de Contas de Uma Mãe, ela narra com honestidade rigorosa sua jornada para tentar lidar com o incompreensível. Na esperança de que os insights e o entendimento que ela obteve ao longo dos anos possam ajudar outras famílias a reconhecer quando um adolescente está com problemas, Sue conta sua história na íntegra, recorrendo a seus diários pessoais, aos vídeos e escritos que Dylan deixou e a inúmeras entrevistas com especialistas em saúde mental. (SKOOB)
Olá pessoal, hoje venho resenhar algo diferente do que costumo trazer para vocês, espero sinceramente que vocês gostem da leitura e que compreendam a importância do tema abordado nessa Biografia tão forte.

Em "O Acerto de Contas de Uma Mãe - A vida após a tragédia de Columbine", temos o relato da tragédia e pelos olhos de Sue Klebold, a mãe de Dylan Klebold um dos atiradores responsáveis por aquele dia de horror 20 de abril de 1999. É uma narrativa forte, que nós faz pensar sobre nossa vida e sobre nossas atitudes no trato com as pessoas.


Sue, conta as consequências da tragédia em sua família e na comunidade onde viviam, ela relata com detalhes tudo o que aconteceu naquele dia quando ela recebeu a ligação do seu marido para que fosse para casa, pois estava acontecendo algo na escola de Columbine, mas o que ela não imaginava é que seu filho mais novo Dylan, era um dos responsáveis pelo ato hediondo que estava sendo praticado naquele momento.

Acredito que como a autora mesmo fala em sua narrativa expor sua família escrevendo esse livro foi algo extremamente difícil, eu nunca li nada tão forte e verdadeiro, uma  chuva de sentimentos conflitantes, Sue fala da negação em acreditar que alguém que ela criou com todo amor do mundo fosse capaz de um ato tão odioso, ela abre o coração para explicar o porque de não conseguir aceitar o fato de que seu filho era capaz de tamanha brutalidade e loucura. Sue e Tom eram pais presentes, que sempre acompanharam o crescimento dos filhos, uma família normal até o dia 20 de abril de 1999, Dylan o filho caçula, era um garoto tranquilo, amoroso, com circulo de amigos que frequentavam a casa da família e que eles conheciam as famílias também, como qualquer adolescente ele tinha uma rotina normal praticava esportes e saía com os amigos frequentemente. Não era possível que ele realmente estivesse envolvido em algo tão cruel, para Sue isso era um absurdo.
Como mãe, essa foi a prece mais difícil que já fiz no silêncio dos meus pensamentos, mas naquele instante eu sabia que a maior misericórdia que eu poderia pedir não era pela segurança do meu filho, mas pela sua morte.

Nos relatos de Sue, ela mostra que os sentimentos mais presentes eram, a dor pela perda do filho, a humilhação pelo que ele fez, o desconhecimento dos motivos que levaram o filho Dylan a cometer tal ato de total ódio e loucura, o luto pelas famílias que perderam seus filhos pelas mãos do eu filho açula.

Neste momento, tudo o que eu quero é morrer. Tom fica dizendo que gostaria de nunca ter nascido. Dylan era muito amado, mas não se sentia amado. Acho que ele não amava ninguém. Como isso aconteceu? Eu não conhecia o garoto que vi [naqueles vídeos] hoje. Meu relacionamento com Dylan, em minha cabeça e em meu coração, mudou.  
É um livro que aborda temas fortes, sobre os quais não costumamos pensar no nosso dia a dia, mas talvez esse seja o maior erro nosso, não observamos os detalhes nos comportamentos das pessoas, o quão frágil é a mente humana. A autora deixa claro que abrir a história tão dolorosa da sua família é uma maneira de ajudar outras famílias para que não aconteça o que aconteceu com eles, pois através do conhecimento podemos muitas vezes ajudar e evitar perdas tão dolorosas e comportamentos destrutivos.

Com o relato dessa mãe eu entendi principalmente que a depressão é algo destrutivo e que muitas vezes passa despercebida, nem sempre notamos o quão doente a pessoa está, não percebemos o quanto ela esta sofrendo e precisando desesperadamente de ajuda, outro ponto também é o fato de que para os pais é muito difícil saber quando os filhos estão sendo vítima de bullying na escola, porque geralmente os filhos não contam isso para os pais, sofrem calados. Acredito, que ao ler o livro vocês vão entender o desespero pelo qual essa mãe passou, ao ter que lidar com o morte do seu filho, com a morte dos que ele matou e também com a descoberta de que o filho que ela conhecia era só uma parte daquele garoto, existia um lado sombrio que ela jamais imaginou existir, sem falar que ela não imaginava o quanto a vida escolar dele era complicada.

Ao meu ver esse livro serve como um alerta especialmente para os pais, pois mostra que é necessário ter um conhecimento maior sobre a vida dos seus filhos, tentar ao máximo conhecer o ambiente onde ele passa parte de sua vida (A Escola).

Eu indico esse livro, porque é uma leitura extremamente necessária para abrir nossos olhos para coisas que não costumamos observar, como as mudanças repentinas nos que amamos, também porque ele nos trás uma visão diferente da tragédia, e isso é sem dúvida incrível.
NOTA:

É a mãe de Dylan Klebold, um dos atiradores da Escola de Ensino Médio de Columbine, uma tragédia que chocou o mundo. Sue passou os últimos quinze anos analisando cada detalhe da vida da sua família, tentando compreender a interseção crucial entre doença mental e violência. Em vez de ficar paralisada pelo sofrimento e o remorso, ela se tornou uma voz entusiasmada e efetiva em questões de saúde mental, trabalhando incansavelmente para aumentar a conscientização sobre o assunto.

Comentários via Facebook

13 comentários:

  1. Que livro ótimo! Acredito que quem ler vai ter outra visão dos comportamentos das pessoas á nossa volta, pois algumas pessoas sofrem e ás vezes nem percebemos isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Viviane,
      Realmente os relatos da autora te dão uma perspectiva diferente da vida. Beijo

      Excluir
  2. Oi, Janaina! Pela sua resenha o livro parece ser bem forte. Já tinha colocado na minha lista de desejados desde que li sobre o lançamento. O tema é super importante e achei boa a possibilidade de conhecer a história através dos olhos da mãe de um dos atiradores.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carla, realmente é uma leitura intensa, mas tenho certeza que vai trazer para você reflexões muito validas. Beijos

      Excluir
  3. O livro carrega um tema forte, acho muito interessante conhecer o ponto de vista da mãe, que deve estar uma ''montanha russa de sentimentos'' após saber isso sobre o filho, confesso que não leio muitos livros de temas pesados, mas com narrativas excelentes como essa me resta arriscar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou da resenha Maria Fernanda, realmente ver a tragédia pelos olhos da Mãe de um dos assassinos é fantástico, perturbador também rsrs, mas vale a pena. Beijos

      Excluir
  4. Olá!
    Me emocionei com esse livro, história mais linda, o livro parece mto bom msm!
    Um pouco pesado talvez, mas realmente mto bom!
    Adorei a resenha, parabéns!
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Aline,
      Fico feliz que você tenha gostado, realmente o livro é muito forte, preciso confessar que um pouco perturbador, porque nós conseguimos ver o quanto as pessoas podem ser dissimuladas e esconder uma personalidade totalmente diferente. Espero que você leia e curta a leitura. Beijos

      Excluir
  5. que resenha, nossa! fiquei extremamente curiosa para ler esse livro, parece ser muito bom, mesmo com o tema sendo algo tão forte.. certamente incluirei na minha lista de leitura interminável hehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tamiris, obrigada. Fico feliz em saber que você gostou da resenha e que vai incluir o livro na sua lista. Beijos

      Excluir
  6. fiquei bastante curiosa por esse livro .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wesllya,
      É um livro muito bom, é interessante ver a história contada por alguém estava diretamente envolvida com um dos atiradores, tenho certeza que se você ler irá gosta.
      Beijos

      Excluir
  7. Chorei ao ler este livro, fiquei angustiada, me senti triste, e desejei em cada página alguma força à Sue. Meu deu muita pena da situação.
    Foi muito forte, fiz uma pequena resenha também em meu blog, se quiser dá uma olhada ficarei grata, bjs.

    ResponderExcluir

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!