[Resenha] Passageiro Clandestino - @autentica_ed

postado dia 13 abril 2016

Título Original: Passageiro Clandestino - Diário de Vida
Autora: Leonor Xavier
Editora: Autêntica
Ano: 2015
Páginas: 159
Gênero: Biografia, Relato de Vida, Literatura Estrangeira
Comprar: Americanas, Submarino.

Nessa viagem que a autora realiza para dentro de si mesma, a partir do momento em que percebe ter sido invadida por um corpo estranho, o que mais impressiona, além do infausto episódio que deu origem ao livro, é a qualidade da linguagem com que narra a experiência vivida. Leonor Xavier mostra como é possível fazer de um “sombrio assunto” motivo de fruição estética para o leitor. E é aí que sua narrativa deixa de ser um registro factual, um relato jornalístico, para ser literatura. Quem já passou por isso, como eu, sabe como é difícil expressar as nuances e variações desse turbilhão de sentimentos despertados por uma situação-limite em que é inevitável a perspectiva da morte. Como recomendava João Cabral de Melo Neto, ele mesmo o melhor exemplo do que aconselhava (“Sem perfumar sua flor/ Sem poetizar seu poema”), Leonor não dramatiza seu drama. O câncer abala, desestabiliza, mas não consegue tirar dela o otimismo, a esperança nem o bom humor, usado na medida certa. Nem quando recebeu por telefone o “veredito”, em meio a um almoço com amigos, “não calei nem disfarcei, nem apaguei a notícia”. Apenas disse em voz baixa para alguém a seu lado: “Estou com um câncer”. Esse é o estilo de Leonor, que abre mão das hipérboles, das exclamações e dos espantos retóricos. Em suma, Passageiro clandestino é o livro sobre um mal, mas que faz bem a quem o lê. Espero que tenha acontecido o mesmo a quem o escreveu com tanto talento e sensibilidade. (SKOOB)
Diferentemente dos livros com temáticas tocantes, tais como diagnóstico de alguma doença grave, narrados por um personagem fictício em uma realidade fictícia, 'Passageiro Clandestino' põe em questão a verdadeira realidade vivida por uma senhora cujo da vida recebeu uma provação, um corpo estranho se alojando dentro do seu próprio corpo, 'coisa' a tal mudara sua vida de maneira alarmante, o corpo que consome corpos ou popularmente dizendo, um câncer.


Dentre os diversos gêneros literários existentes, biografias e relatos de vida são dois dos quais fico instigado e ao mesmo tempo ''com o pé atrás'', pois ter contato com uma história real pode de diferentes maneiras atingir o leitor, mexendo com suas emoções e reflexões, causando boas impressões ou não. Ao eu meu ver, biografias são mais adquiridas por fãs cujo seu astro partiu dessa para melhor, por pensadores contemporâneos que buscam suporte de inspiração à suas ideias, e também por colecionadores grandes conhecedores da política e arte moderna; esses tipos de leitores que citei formam juntos um conjunto de admiradores dos grandes astros que marcaram história e deixaram um legado; aqueles que ficam boquiabertos ao ver tamanha superação e coragem daqueles que passaram por momentos difíceis que muito foram julgados por publicar a quem de boa vontade quiser ter contato com sua história de vida; resumindo Biografias não são muito populares pois requerem sentimento e atenção para que as histórias não passem em vão e acabem apenas por escritas em folhas de papéis sem ao menos ensinar uma lição.

Mas afinal, o que me me chamou atenção neste livro? Todo o conjunto da obra, não é uma história clichê mas sim, relatos reais de como é passar por uma doença grave que pode te tomar a vida, até então eu não conhecia nada sobre a autora Leonor Xavier e creio que esse motivo colaborou de certa forma em minha vontade de saber mais sobre a história de superação dela, na real não consigo te dizer qual foi o ponto forte que me instigou a fazer a leitura, apenas aconteceu.


Demorou um tempo até que o livro chegasse em minhas mãos, mas quando finalmente chegou eu o finalizei em 1 dia e cá estou para comentar um pouco com vocês. Neste livro conhecemos um pouco mais sobre a escritora portuguesa Leonor Xavier que em certo momento de sua vida foi diagnosticada com um câncer, mas que diferentemente do esperado ela passa por essa fase de modo diferente, não se abalada e não se deixa derrubar, este mal não toma dela o otimismo e sarcasmo, características que a representam, ela não esconde e diz a qual curioso quiser saber sobre seu diagnóstico, sabemos que esta doença é como um terremoto que de repente chega e desestabiliza todo o 'terreno', traz ondas de depressão, dramas, dores e falsas preocupações vindas de certas pessoas, mas Leonor uma mulher vivida e sabida nos mostra 'na lata' o dia a dia da batalha contra a enfermidade; é como dizem: ''Todo mal tem um lado bom''.


Assim como a autora, a narração é em Português (Portugal), então a estrutura e vocabulário no início eram confusas e de demorado entendimento, mas não há grandes diferenças comparando com o nosso Português. A leitura não é leve e nem chega perto disso, convenhamos, mas pode vir ser útil e de grande lição para aqueles que de alguma forma precisam de um direcionamento para uma profunda reflexão.

NOTA:
Leonor Xavier, jornalista e escritora, é natural de Lisboa, tendo vivido no Brasil entre 1975 a 1987. Correspondente do Diário de Notícias do Rio de Janeiro, completou a sua formação em Filologia Românica pela Universidade de Lisboa. Autora de Biografias e ensaios, iniciou-se no romance com 'Ponte-Área', seguindo-se 'O Ano da Travessia', e 'Só eram Verdade os que partiram', 'Casas contadas (Prêmio máximo de Literatura 2010)', 'Uma viagem das Arabias', e 'Doze mulheres em um almoço de Natal'.
See you soon, Lucas! 

Comentários via Facebook

16 comentários:

  1. Biografias normalmente não me atraem, por diversos motivos que até chegou a mencionar em sua resenha, mas até que fiquei um pouco curiosa sobre essa história real. Nunca ouvi falar dessa escritora, mas a experiência que ela teve chama a atenção. Lemos sobre câncer em diversos livros fictícios, então ver uma história real sobre o assunto poderia ser uma experiência interessante.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Concordo completamente com você sobre como uma biografia deve ser escrita; ela não deve contar somente uma história, mas também trazer uma mensagem de reflexão, nos trazer um novo olhar sobre aquele momento passado do autor.
    Eu raramente leio biografias. Esta por sinal, em contar sobre a difícil vida da autora, mesma que seja um tema extremamente importante e infelizmente, a realidade de muitos, não me atraiu a ponto de querer ler. Por outro lado, amei a resenha.
    Abçs, Lucas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Alessandra! Entendo que as biografias dificilmente atraem a atenção por serem mais densas do que os livros de ficção.

      Obrigado pelo elogio =) Nos vemos em breve!

      Excluir
  3. É, livros de biografia chamam mais atenção se você "conhece" a pessoa, um astro, um autor ou coisas assim. Mas não é exatamente o tipo de livro que leio nem se for de pessoa famosa. Não chamou muita atenção e confesso que não leria =/
    Mas achei interessante por ter essa abordagem diferente, dela enfrentar de cabeça erguida e tal. Lidar com o problema e mostrar a verdadeira face da doença. O dia a dia. Tem tantos livros por aí que romantizam isso e ver um diferente assim faz dar aquele choque de realidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, Cristiane, muitos livros romantizam as doenças, porém relatos reais são de fato um choque emocional.

      Excluir
  4. Narrativas que contam a realidade da vida de muitos, é sempre uma leitura especial. Quando encontro histórias assim, pego para ler sem pensar duas vezes. Esta, por exemplo, parece contar algo lindo e reflexivo, principalmente por relatar uma fase difícil da vida da autora.
    Gostei da dica e irei procurar Passageiro Clandestino para ler, espero que seja em breve ;)
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Leonora. Este livro é muito reflexivo, apesar da história densa creio que não vai se arrepender se o ler :)

      Excluir
  5. Ual!
    O livro veio na hora exata para mtos...
    Qdo comecei á ler já imaginava uma história totalmente diferente, mas já vi q não rsrs
    Gostei do tema, parece ser bem interessante realmente!
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já deu um ''choque'' de realidade, Aline? hahaha

      Excluir
  6. Conheci o seu blog hoje e estou gostando do que vi. Resenhas muito boas dos livros viu, parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Não sou muito fã de biografias mesmo rs. Prefiro em formato de filme. Livros desse tipo não me atraem. Mas deve ser interessante ver essa temática de personagens reais com câncer batalhando por suas vidas reais, já que está "na moda" histórias fictícias desse tipo.
    Beijo,
    Mari

    www.amadoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Eu não costumo ler muitas biografias, já que na maioria das vezes a leitura se mostra cansativa, mas de vez em quando abro uma exceção ou outra, quando é de uma pessoa que eu gosto. Entendo o motivo desse livro ter te chamado atenção, pois ele também chamou a minha. Eu ainda não conhecia essa escritora, mas fiquei super curiosa em relação a sua vida, já que ser diagnostida com câncer não deve ser nada fácil, e gostei ainda mais por ela não se deixar abater.
    Já adicionei na lista e adorei a resenha! Beijo!

    ResponderExcluir
  9. Que bonitas as fotos ficaram. Mas não curto biografias, só se for de alguém que admire e goste muito e isso acontece bem pouco!

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Geralmente não gosto muito de ler biografias e ainda não conhecia a historia da Leonor Xavier mas assim que li a resenha fiquei bem curiosa a Leonor consegue conquistar o leitor achei bem interessante como esse livro mostra uma pessoa real enfrenta essa doença tão difícil e principalmente a Leonor pois é uma guerreira que mesmo recebendo tal noticia ainda continua com seu otimismo, com certeza quero ler esse livro !!

    ResponderExcluir

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!