[Resenha] Brilhantes - Editora @galerarecord

postado dia 07 setembro 2015

Título Original: Brilliance
Autor: Marcus Sakey
Editora: Galera Record
Série: Livro 1
Ano: 2015
Páginas: 476
Gênero: Thriller
Comprar: SubmarinoAmazon, Shoptime, Livraria da Folha, Travessa

Sinopse: A partir de 1980, um por cento das crianças começou a apresentar sinais de inteligência avançada. Essa parcela da população, chamada de “brilhantes”, é vista com muita desconfiança pelo restante da humanidade, que teme a forma como esse dom será usado. Nick Cooper é um deles, um agente brilhante, treinado para identificar e capturar terroristas superdotados e levá-los para a custódia do governo. Seu último alvo está entre os mais perigosos que já enfrentou, um líder responsável pelo maior ataque terrorista dos últimos tempos e que pretende começar uma guerra civil. Mas para capturá-lo, Cooper precisa se infiltrar em seu mundo e ir contra a tudo o que acredita. Denominado pelo Chicago Sun-Times como o mestre do suspense moderno, Markus Sakey criou um universo ao mesmo tempo perturbador e incrivelmente semelhante ao nosso, onde um dom pode se tornar uma maldição. (SKOOB)

Neste livro nós acompanhamos a trajetória do agente Cooper, um superdotado que trabalha no DAR, uma agência do governo especializada em caçar terroristas superdotados que nada mais são do que os Brilhantes. Os brilhantes, vocês entenderão melhor lendo o livro, são humanos que começaram a nascer com um dom diferente dos outros, eles eram melhores em certas áreas, como medicina, programadores ou simplesmente conseguiam reconhecer padrões, saber se alguém estava mentindo, saber qual a intenção da pessoa e prever seus movimentos e também andar por uma multidão sem ser notado. Estes são os diversos poderes que os brilhantes podem ter e por serem diferentes do resto da população não foram muito bem vindos, principalmente depois que John Smith passou de um ativista que lutava pela causa dos anormais para um terrorista que matou 73 pessoas em um restaurante a sangue frio.

"A humanidade normal percebeu que algo de ruim ia acontecer. O que antes fora uma curiosidade agora era uma ameaça. Não importava como fossem chamados - brilhantes, superdotados, anormais, esquisitos -, eles mudaram tudo."

A vida de Cooper se resumia a caçar e encontrar John Smith e qualquer anormal que tivesse algum tipo de envolvimento com ele ou que tivesse causado algum dano moral a sociedade, porém ao longo do livro vemos que não é bem assim que as coisas acontecem e muito do que Cooper acreditava ser verdade e ser uma causa justa era mentira e a causa mais suja que se poderia imaginar. Não posso entrar em muitos detalhes da trama porque eu acabaria dando spoilers, mas acreditem a cada página que você vira do livro mais emocionante ele fica e mais desesperado você fica. hahahah


Eu li o livro em poucos dias, é grande, quase 500 páginas, mas a leitura flui muito fácil e é viciante, cheio de ação, correria e tiroteios e principalmente muitas surpresas. Mas o principal ponto do livro, que me fez pensar muito a respeito e comparar com a nossa realidade foram dois fatos, primeiro: o fato de que quando algo diferente aparece as pessoas não tentam entender a coisa, é como se o mundo fosse conduzido pelo medo. Você é diferente então não é seguro estar perto de você ou você não faz parte da sociedade normal, mas afinal de contas o que é normal? As pessoas gostam de impor preceitos em todo mundo sem nem pensar se o que ela está dizendo é verídico ou não e isso é algo que vemos muito nos dias de hoje mesmo sem termos humanos superdotados entre nós, provavelmente se tivéssemos provocaríamos uma guerra, como o livro sugere.

Segundo: como estamos fadados a acreditar em tudo o que governo nos diz ser a verdade, como não sabemos um terço do que acontece nos antros políticos. Quer dizer, sabemos o que a mídia nos conta ou o que eles próprios dizem quando aparecem publicamente, mas o quanto disso tudo é verdade? O quanto eles não fazem de tramoias por baixo dos panos? Quantas pessoas eles já não devem ter mandado matar para que continuassem ilesos no poder? O quanto eles estão envolvidos ou não com os bandidos que nos acuam todos os dias nas ruas? São muitas coisas a se pensar e o livro mostra muito isso, um povo que acredita no que seu presidente, seus políticos e suas defesas públicas dizem, mas o quanto eles são os mocinhos e o quanto eles são os bandidos?


"As pessoas não querem a verdade, realmente. Querem vidas seguras, aparelhos eletrônicos bacanas e geladeiras cheias."

Brilhantes é extraordinário por mostrar os dois lados da moeda e por mostrar o espanto do agente Cooper ao perceber os dois lados e ao perceber que sempre confiou no homem errado, mesmo com seu dom de reconhecer padrões nas pessoas ele nunca desconfiou de nada. E é melhor eu parar de falar, porque se não eu conto o livro todo para vocês de tão bom. *-*

Nota:

Beijos, Pri.

Nascido em Michigan, Marcus Sakey trabalhou como publicitário por dez anos antes de se tornar escritor. Seu trabalho já foi indicado a diversos prêmios, dentre eles o Strand Critics, o Reader's Choice e o ITW Thriller Awards. Também é roteirista e apresentador de Hidden City, um programa de turismo do Travel Channel. Atualmente, vive em Chicago com a esposa e a filha.

Comprando o seu exemplar através de um dos links sugeridos abaixo, você ajuda o Amiga da Leitora ganhar uma pequena comissão, para que possamos comprar mais livros e resenhar aqui para vocês!



Comentários via Facebook

4 comentários:

  1. Estou muuuuito ansioso para ler esse! Cada dia que passa vejo mais blogueiros falando dele e fico com mais vontade! Adorei a resenha <3
    Abracos, Miguel do www.demasiadamentelendo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia! é maravilhoso, a gente começa e não quer mais parar hahah

      beijos!

      Excluir
  2. Interessante que o livro ressalta essa ideia de seres evoluídos (mais inteligentes) e, novamente, os outros atacando e caçando o que desconhecem (pré-conceito). Eu senti essa mesma premissa na série recente do Netflix chamada Sense8.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca assisti Sense8, mas é bem por ai, é meio que coisa do ser humano, não gostar do diferente, é como se as pessoas se sentissem inferiores por alguém ser diferente delas, nós vemos isso pelas ruas todos os dias :/

      Excluir

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!