[Resenha] Memórias Póstumas de Brás Cubas - Machado de Assis

postado dia 03 junho 2013

Título: Memórias Póstumas de Brás Cubas
Autor: Machado de Assis
Edição: 1
Editora: Saraiva
Ano: 2011
Páginas: 236

Sinopse: Publicado em 1881, "Memórias póstumas de Brás Cubas" é um dos mais famosos romances de Machado de Assis, um marco na literatura brasileira. Narrado por um defunto autor, uma voz irônica que se dirige constantemente ao leitor, a trama começa com o enterro de Brás Cubas, passa por seus delírios, volta à infância do personagem e, de forma nada linear, traz para o centro da cena vários episódios da vida desse excêntrico narrador. (Skoob

Ler literatura brasileira, com toda a certeza do mundo, no inicio não é agradável! Somos uma geração a costumada com os grandes Best Sellers. Acostumados as incríveis aventuras sobrenaturais, aos romances impossíveis entre humanos e criaturas magicas, aos '' felizes para sempre'' entre príncipes e princesas e outras literaturas semelhantes. No entanto, aqui estou para mostrar que vale muito a pena quebrar a cabeça com a literatura brasileira e dar a ela algum credito e um espaço na sua prateleira.


Revolucionário e Irônico, talvez sejam os melhores adjetivos para  classificar a obra de Machado de Assis, Memórias Póstumas de Brás Cubas.

Rompendo totalmente com a estética da produção romântica da época, Machado nos trás atreves de Brás Cubas, a historia da vida do narrador contada sob a perspectiva de um morto. Sendo esse morto o próprio narrador, Brás. Além desse fato os capítulos não são divididos de forma igualitária e a história não é contada  cronologicamente, sendo os fatos lembrados responsáveis por puxar na memoria do narrador outros fatos a serem contados para o leitor.

" Suposto o uso vulgar seja começar pelo nascimento, duas considerações me levaram a adotar diferente método: a primeira é que não sou propriamente um autor defunto, mas um defunto autor  para quem a campa foi outro berço." (MPBC, p.19)


Marcela, Eugênia e Virgília, formam o trio de mulheres importantes que passam pela vida de Brás e que o fazem dedicar alguns 'longos' capítulos de sua narrativa a elas. 

Marcela o grande amor juvenil do narrador, por meio de eufemismo e sarcasmo, nos é apresentada como a cortesã responsável por fazer Brás gastar parte de sua fortuna e ser enviado pelo pai a Portugal. 


Eugenia filha de uma conhecida da família, é responsável por despertar o interesse de Brás, assim que ele retorna ao Brasil, no entanto sua deficiência social e também física, ou seja, o fato de ser coxa é um  impedimento para  Brás de levar a diante seu desejo por Eugênia.


Virgília, é para mim o mote do livro, pois Brás inicia, desenvolve e termina seu livro citando-a, fazendo com que ela esteja continuamente presente na narrativa. Ela é o grande amor de Brás, com quem ele se permite sonhar em formar uma família e até mesmo ter um filho. É responsável também por trazer a tonas os sentimentos menos agradáveis em um homem, que são o egoismo, a inveja e ciumes.


Outras duas mulheres aparecem na vida do narrador: sua mãe e Sabrina, sua irmã, mas elas são apresentadas quase que superficialmente, sendo como pano de fundo na história do eloquente Brás Cubas.



Brás é um aristocrata, faz parte da elite brasileira. Portanto é interessante perceber sua postura critica em relação a certas atitudes das personagens que o cercam, quando ele mesmo faz a mesma coisas. Impossível é vê-lo criticando essa burguesia  da qual faz parte e não lembrar do tão eloquente quanto ele Cazuza, que já dizia "A burguesia fede".

Ao fim de suas memorias, Brás elenca os seu falhos projetos de vida:  o emplasto, o cargo de ministro, o jornal, as aventuras banais e outros. Todos inacabados. Com isso, é mais do que perceptível que Brás, apesar de em todo o texto querer se exaltar, vangloriar e engrandecer, ele na verdade é um fracassado, repleto de insucessos. Mas sendo ele Brás Cubas, em uma de suas ultima  frases ele se justifica, e da um jeito de reerguer  mesmo diante dos  seus fracassos, dizendo que o fato de não ter tido filhos e não transmitir a eles o legado da miséria da sociedade, o isenta de qualquer fracasso. 


Em resumo o livro apesar de ser literatura brasileira e nem de longe ser um Best Sellers, ele é um livro que vale muito apena ser lido . 

E ai já leram? O que acharam?
Beijos , Anna (:

 Este post está participando do Top Comentarista de Junho, podendo ser preenchido o formulário uma vez para cada comentário realizado neste post.

Comentários via Facebook

24 comentários:

  1. Eu nunca li Memórias Póstumas de Brás Cubas, mas pela sua resenha realmente parece ser um ótimo livro. Desde os tempos antigos já havia relatos de paixões não correspondidas e relacionamentos sem amor né? rsrs
    Fiquei curiosa sim com a leitura... O que acho de problema na literatura brasileira as vezes é o uso de uma linguagem rebuscada demais.

    Bjok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raquel concordo completamente com você! O tipo de linguagem é realmente é um dificultador quanto a acessibilidade aos clássicos brasileiros , mas se você tiver um pouquinho de paciência e insistir tenho certeza que vai se apaixonar assim como eu hahaha

      beijos , Anna

      Excluir
  2. discordo quando vc fala que literatura brasileira não é agradável de ler no início... sou da geração anterior, creio que é por isso que a maioria desses livros que saem como água a cada semana não me impressionam... eu sou louca pelos clássicos, que povoaram minha infância e adolescência...
    um ou outro 'best-seller' me chama a atenção, mas é raro...
    enfim, o livro é excelente, assim como todos os outros que já li de Machado... e sempre me surpreendo com cada nova leitura... Machado é um dos meus escritores brasileiros preferidos... <3
    bjs...


    http://torporniilista.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Valéria , creio que por termos crescido na geração dos Best Sellers , eles sejam mais interessantes para nós! E com certeza , Machado é maravilhoso!

      Beijos , Anna!

      Excluir
  3. Eu adoro Literatura Brasileira e não acho complicada de se ler. Adorava quando as professoras nos mandavam ler obras literárias nacionais para algum trabalho do Ensino Médio e mal vejo a hora de ter essa matéria na faculdade. Acredito que o problema que muita gente encontra nesse estilo de leitura é por que existe a necessidade de um entendimento poético para a compreensão da mesma, e exige que o leitor tenha um pouco mais de atenção na leitura. Coisa que hoje em dia não se vê, ao menos não muito.

    Beijos,
    www.segredosentreamigas.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Confesso que no meu inicio de ensino médio ler clássicos da literatura brasileira era um tormento , mas com o tempo fui amadurecendo e hoje são extremamente prazerosos!

      Beijos , Anna

      Excluir
  4. Quando eu tinha que ler literatura brasileira para fazer as provas do colégio, a leitura se tornava cansativa, enfadonha... sem se falar que eu acabava o livro e não entendia nada do que tinha lido. Quando passei a ler sem essa obrigação, a leitura começou a fluir e sou uma grande amante da nossa literatura. Inclusive, Machado de Assis está entre meus escritores favoritos. Li este livro recentemente e posso dizer que achei de fácil compreensão e gostei muito da história.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andreza , você conseguiu descrever exatamente como eu me sentia haha, e realmente quando lemos sem obrigação a leitura se torna extremamente prazerosa!

      Beijos , Anna

      Excluir
  5. Oi Anna!

    De fato revolucionário e irônico são as palavras para definir esse romance. Adorei sua resenha, pois é minha obra preferida do autor e como você disse vale mesmo muito a pena conferir, inclusive como uma forma de diversificar nossas leituras.

    Beijos

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fran fico muitíssimo feliz que você tenha gosta de da resenha! De verdade

      Beijos , Anna!

      Excluir
  6. Não sou fã nem nada de literatura brasileira. No entanto, já li alguns clássicos do Machado, José de Alencar ... dentre outros. Alguns eu adorei, outros não ... Enfim, não é o meu tipo de literatura favorita :(

    David - Leitor Compulsivo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente David , literatura brasileira é divisora de opiniões hahaha amamos uns e odiamos outro , assim como em todas as outras literaturas hahaha

      Beijos, Anna

      Excluir
  7. Ótima resenha! Eu gosto de alguns livros da literatura Brasileira, mas são bem poucos. Li esse livro na epoca da escola, e lembro que não curti. prefiro literatura americana e inglesa.

    http://www.lostgirlygirl.com

    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leituras de época de escola traumatizam hahaha, mas fico feliz que tenha gostado da resenha!

      Beijos , Anna

      Excluir
  8. Tenho um tiquinho de dificuldade para ler obras nacionais muito antigas, motivo principal: a linguagem coloquial, não tenho paciencia alguma de ler com um dicionário do lado , e tb sou muito disperso durante a leitura ;/ mas apesar de tudo é sempre bom dar crédito aos mestres da nossa literatura, estou lendo O Cortiço do Aluísio Azevedo pra um trabalho de escola e até que estou gostando ;D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza , dar credito é a melhor coisa que podemos fazer ! O Cortiço é muito bom , eu gostei bastante quando li

      Beijos , Anna!

      Excluir
  9. OI flor,
    JURO QUE TENTEI LER ESSE LIVRO, mas desisti depois de um tempo. Tô pensando em voltar a ler :)
    Ótima resenha e obrigada pela dica.

    Beijão
    http://marinahgattuso.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado da resenha (: Sim volte a ler , sei que não vai se arrepender!

      Beijos , Anna

      Excluir
  10. Oi querida tudo bem?

    Estou me programando para ler clássicos há alguns meses. e realmente não é fácil, a escrita, a linguagem tudo diferente!

    Mas com certeza vale a pena!

    Beijos

    Livros... Quero ler sempre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São varios os empecilho diante da Literatura brasileira , mas o legal é apesar disso , os livros são bem "recompensadores"

      beijos, Anna!

      Excluir
  11. Li há muito tempo atrás este livro,e pode-se dizer que é uma das obras machadianas em que a ironia e o humor fino aparecem bem marcados.
    Na adolescência, parece difícil ler os clássicos. Na verdade, escritores brasileiros da naipe de Machado, Alencar e outros parecem "pesados" quando ainda não temos a maturidade literária suficiente, mas vale muito a pena "dar uma chance" a estas obras.
    Machado produziu uma obra muito rica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente com você Mari.

      beijos , Anna!

      Excluir
  12. Eu to sempre lendo um livro de literatura brasileiro porque ainda estou no ensino médio e a professora cobra muito de Machado de Assis eu li Dom Casmurro e gostei muito, apesar dele ser muito ciumento né, eu adoraria ler Memorias póstumas de Brás Cubas parece ser super legal, e ver a foto do livro Romeu e Julieta de Willian Shakespeare, faz com que eu tenha que dizer que estou lendo Otelo e estou amando muito bom mesmo.

    ResponderExcluir
  13. Bem me desculpe que gosta, mas eu nao curto nenhum pouco Machado , sei la a narrativa de seus livros nao fluem pra mim, sempre desisto de ler seus livros :c

    ResponderExcluir

É muito importante para um blogueiro saber o que as pessoas tem a dizer sobre seus textos, pois sem isso nenhum blog consegue sobreviver por muito tempo! Deixe seu link (se tiver blog) para que eu possa visitá-lo também!!

Seu comentário é a minha maior fonte de respostas!!