Título Original: Mao's last dancer
Autor: Li Cunxin
Editora: Fundamento
Gênero: Autobiografia
Ano: 2015
Páginas: 400
Comprar: Americanas, Submarino
Sinopse: Em um vilarejo desesperadamente pobre do nordeste da China, um jovem camponês está sentado em sua velha e frágil carteira escolar, mais interessado nos pássaros lá fora do que no Livro Vermelho de Mao e nas nobres palavras nele contidas. Naquele dia, porém, homens estranhos chegam à escola – os delegados culturais de madame Mao. Estão à procura de jovens camponeses que, depois de receberem a formação necessária, possam tornar-se os fiéis guardiães da grande visão de Mao para a China. O garoto observa um dos colegas ser escolhido e levado para fora da sala. A professora hesita. Deve ou não deve? Quase desiste. Mas, afinal, no último momento, toca no ombro do oficial e aponta o garoto miúdo. "Que tal aquele?", ela pergunta. Em um único momento, a possibilidade mais remota mudou de modo indescritível o curso da vida de um garoto. Ele faria parte de algumas das maiores companhias de balé do mundo. Um dia seria amigo do presidente e da primeira-dama, de astros do cinema e das pessoas mais influentes dos Estados Unidos. Seria uma estrela: o último bailarino de Mao, o queridinho do ocidente. Esta é a história de Li Cunxin - uma narrativa que poderia ter desaparecido, como as vidas de outros milhões de camponeses, em meio à revolução e ao caos. É uma história de coragem, de amor de mãe e do anseio por liberdade de um jovem. O relato belo e precioso de uma vida inspiradora contado com honestidade.(SKOOB)
Olá pessoal, tudo bem com vocês? Estão hoje venho falar sobre uma autobiografia que para mim foi uma leitura incrível. Espero que vocês gostem da resenha, pois foi feita com muito carinho e dedicação, e claro tentando ser o mais fiel possível as minhas impressões sobre a leitura.

"Adeus China O Último Bailarino de Mao", o livro é uma autobiografia, nele vamos conhecer a história de vida do autor Li Cunxin, um menino que nasceu em um pequeno vilarejo do nordeste da China, de origem humilde acostumado com uma vida de privações.


O autor começa a narrar sua história contando como foi o casamento de seus pais, e nesse ponto podemos conhecer um pouco da cultura daquele país e dos costumes que norteavam a cerimônia do casamento, bem como os medos da noiva. Um dos costumes citados no livro é a questão dos pés enfaixados, ainda hoje acontece na China em algumas localidades, as meninas em idade tenra tem seus pés enfaixados de forma que quando vão crescendo os pés ficam completamente deformados os dedos se unem e passam a ser um só, assim elas tem pés bem pequenos. Algumas dessas crianças tem inúmeros problemas e saúde devido a infecções nos pés.

Nosso autor nos relata toda a cerimônia do casamento de seus pais, bem como a chegada dos filhos, o trabalho na lavoura e todas privações que ele e sua família passaram, também narra com muito amor a força e dedicação de sua mãe para com seu pai e os filhos. Nessa parte podemos ver uma mulher guerreira que honrou sua família e seu lar.


Quando Li começa a frequentar a escola já está com 9 anos, mas diferente dos demais de sua turma ele estava mais interessado no que acontecia fora da escola do que na doutrina de Mao que era ensinada pela professora. Li, costumava ouvir os pássaros e observar eles na janela da sala de aula. Foi assim que em uma manhã quando os oficiais foram visitar a sala para escolher algumas crianças para a academia de dança de Pequim de Madame Mao, a professora indicou Li, e desse dia em diante sua vida mudou completamente.
Você quer ficar aqui e comer inhame seco pelo resto da vida? Filho querido, esta é a sua oportunidade de escapar deste mundo cruel. Vá e faça da sua vida algo especial! Fuja ao destino de ser um camponês. Não olhe para trás!

O livro é simplesmente emocionante, nos faz refletir sobre a importância de ter determinação para alcançar nossos objetivos, também nos mostra que devemos ser protagonistas das nossas vidas e não meros espectadores, não devemos desperdiçar as oportunidades, mas sim fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para essas oportunidades sejam aproveitadas e através delas possamos mudar nossas vidas, alcançando por fim nossos objetivos.

Através do relato pessoal do autor os leitores podem ter um exemplo de força, determinação e humildade, uma prova de que com garra podemos mudar a nossa realidade e ter o futuro que desejamos, mostra que as vezes é preciso arriscar e acreditar, pois no final tudo da certo.


Indico a leitora para todos vocês, porque é um livro que abre nossa mente e nos leva a refletir sobre nossas atitudes no cotidiano, também nos faz questionar se estamos fazendo nossa parte para conseguir o que desejamos ou se estamos apenas esperando que as coisas aconteçam sem nenhum esforço pessoal.

Comentem o que acharam da resenha e se pretendem ler o livro. Beijos!!!

NOTA:
Li Cunxin em 26 de janeiro de 1961 perto de Qingdao na província de Shandong é um bailarino chinês. É autor da autobiografia O Último Bailarino de Mao. (SKOOB)

Olá pessoas, como estão?

Estamos na 14º 'Quarta do Horror', para onde é que está indo o tempo, alguém me diz? Para o conteúdo de hoje, escolhi compartilhar com vocês um dos filmes de terror/horror que marcou minha infância, pois como sabem, eu era do tipo de criança que implorava para me deixarem assistir filmes de terror, logo que eles tem restrição de idade. 

Chegava até ser engraçado que após assistir os filmes ficava com um pouco de medo, mas em contrapartida me achando o 'todo poderoso', tipo: ''Nossa, eu assisti um filme de terror com restrição de 14 anos''; eu era uma criança retardada, porém feliz haha.

O filme escolhido se passa na época do colegial, ou seja, já dá para ter uma noção de que muita zoação, bullying acontecem; e acredito que vocês devem conhecer o filme que citarei pois na época de lançamento foi considerado um dos 'top' do gênero. Ele reina até hoje! Sem mais delongas, vamos lá!

CARRIE, A ESTRANHA (2002)

'Carrie, a Estranha' ao meu ponto de vista pode ser considerado um clássico do terror/horror moderno pois foram feitos inúmeros 'remakes' desde o lançamento do primeiro filme em 1976.

As produtoras e distribuidoras de filmes não reproduzem qualquer coisa, assim do nada, isso só acontece se a história no contexto geral merece e se permite à novas adaptações, ou seja, a história original tem de ser muito boa do tipo que instiga e causa outras reações, não necessariamente o medo, pois isso depende de pessoa a pessoa; sem dúvidas 'Carrie' é um ótimo exemplo de história que pode ser e foi adaptada algumas vezes.

Em 1974, Stephen King lançava seu primeiro romance epistolar: 'Carrie' ; Após o lançamento do livro o reinado de 'SK' foi se construindo em uma constante notável, alguns críticos chegaram a contestar sobre a originalidade do livro pois ele era de fato muito bom para ser o primeiro livro de um escritor 'qualquer' (naquela época), no entanto SK revelou que 'Carrie' foi seu primeiro romance publicado, mas não o primeiro que ele escrevera.

Por se passar (em partes) no ambiente colegial e ter a história um tanto quanto pesada, o livro foi banido de todas as bibliotecas das escolas americanas; dá para perceber que SK começou causando discórdia e nunca mais parou, não é mesmo!?

A versão do filme a qual assisti foi a do ano de 2002 que teve a atriz Angela Bettis como protagonista.

Carrie White (Angela Bettis) é uma garota estranha vitima de bullying por todos os colegas do colégio e ainda possui uma mãe fanática religiosa Margaret White (Patricia Clarkson) que a oprime, ja que considera tudo pecado e por isso protege a filha bastante. a vida de Carrie é complicada, até que ela decide investigar a causa de estranhos acontecimentos que ocorreram desde a sua infância de objetos se movendo sozinhos, quando na verdade ela possui um dom chamado Telecinese, que é a capacidade de mover/manipular objetos com a mente e isso faz com que ela entenda que foi a responsável por esses acontecimentos ocorridos quando era criança. Após menstruar no banheiro do colégio, volta a ser humilhada pelas colegas não só por ser a primeira a passar por isso, como também não faz ideia do que é ''menstruação'' e pensa estar morrendo, mas a professora de ginastica Rita Desjardin (Rena Sofer) disposta a dar um basta em todas as humilhações infligidas a Carrie, coloca todas as envolvidas em detenção, e a líder do grupo Chris Hargensen (Emilie de Ravin) se recusa a sofrer o castigo pelo que fez a Carrie junto com as outras e acaba por ser suspensa e barrada do baile, mas promete vingança. no entanto Sue Snell (Kandyse McClure) arrependida do que fez, tenta convencer seu namorado Tommy Ross (Tobias Mehler) levar Carrie ao baile, como um pedido de desculpas, mas Chris juntamente com seu namorado Billy Nolan (Jesse Cadotte) e mais dois amigos, formula uma brincadeira (de mau gosto como de costume) para humilhar Carrie novamente e escolhe justamente a noite do baile para executar essa pegadinha de mau gosto, porém essa pegadinha como diz o ditado ''foi a gota que fez o copo transbordar'' e o que virá a seguir será o que ninguém na cidade de Chamberlain imaginava que acontecesse.
Me lembro que após assistir ao filme, fiquei morrendo de vontade de ir em um baile de formatura americano, pois na minha inocência de criança acreditava que os eventos do filme poderiam acontecer de fato. Bem, eles podem, mas nem todos, por exemplo: Há pais super religiosos e conservadores que transformam a fé (que dizem ter) em uma obsessão paranoica ridícula, etc. Nós sabemos que essas coisas existem no mundo, só não são muito faladas.


A atuação de Angela Battis como 'Carrie' é nada mais nada menos do que espetacular! A atriz em todo seu talento deu vida à personagem, literalmente. Nas cenas do colégio as quais passou por bullying a atriz usou suas melhores expressões faciais fazendo com que quem esta assistindo ou sinta pena dela, ou sinta medo haha

Com o passar dos tempos, a tecnologia foi evoluindo porém a fotografia da adaptação do filme em 2002 continua sendo uma das minhas favoritas para filmes do gênero; imagens sem muita saturação, jogo de sombras e efeitos foscos complementam a caracterização das cenas clássicas do terror/horror cinematográfico.


TRAILER OFICIAL



Antes de terminar este post, vamos fazer uma espécie de 'jogo' abaixo há um link vídeo com as cenas do baile de todas as adaptações que foram feitas do filme, sendo elas dos anos: 1976, 1999, 2002, 2013; assista e escolha a sua predileta =) 

Vídeo com as cenas do Baile - clique AQUI se tiver coragem!


Nos acompanhe também através das redes sociais
TWITTER ♥ INSTAGRAM  FACEBOOK  YOUTUBE  TUMBLR  G+
SEE YOU SOON, LUCAS!


Já prometi a mim mesma que em 2017 eu vou maneirar nos lanches e guloseimas, masssss fim de semana podeeeeeee!! Hahahaha .... E minha dica de hoje é em onde comer um bom lanche de hambúrguer gourmet em Itapetininga.

Eu conheci o Star Burger no Instagram @Starburgeritape se não estou enganada, quando a lanchonete ainda não tinha sido inaugurada, e os lanches eram produzidos apenas para entrega.

O que mais me chamou atenção foi a maneira como tudo vinha empacotado, bem no estilo fast food americano, sem falar no molho que eles mandam de acompanhamento. No entanto o que me fez virar cliente foi o excelente sabor do lanche, com certeza.


No finalzinho de 2016 eu e o meu noivo, Lucas, fomos pela primeira vez saborear nossos lanches favoritos diretamente na lanchonete. O lugar é bem aconchegante, algumas mesas com sofazinho ao invés de cadeiras, bem aquele estilo vintage das hamburguerias de décadas passadas.

Nós pedimos uma porção de 150 g de batata frita, para ir beliscando enquanto o lanche não vinha. A porção saiu por R$ 5,00 e para nós dois foi suficiente.

Já no hambúrguer não conseguimos sair da nossa zona de conforto, afinal era nossa primeira vez na lanchonete, então para que arriscar? (hsuahsau) Pedimos nosso favorito: Furious Burger, que custou R$ 17,00.

Para beber o Lucas escolheu cerveja, e eu acompanhei ele, dividimos duas garrafinhas de Pilsen, que pagamos R$ 6,00 cada.


Os atendentes foram todos muito simpáticos, e o cardápio possui uma boa variação em hambúrgueres gourmet, tem pra quem gosta de mais cheddar, aqueles que preferem frango, bacon, ou até mesmo algo com mais cara de Brasileiro (haha). Pra mim e pro Lucas o que faz toda a diferença no Furious é sem duvida a cebola roxa. Já comemos alguns sabores diferentes mas ainda falta experimentar outras opções do cardápio.

Foi tudo muito bom, tudo muito gostoso, mas já vou logo avisando que o lugar não é muito grande, então ficamos aguardando mesa desocupar. Além disso o tempo de espera na lanchonete é quase o mesmo do de entrega, média de 40 minutos. Por isso aconselho beliscar a batata antes (hahaha).

Contato:
R. Domingos José Viêira, 1239 - Centro, Itapetininga - SP, 18200-300
Telefone: (15) 3272-8196   |   Site: www.starburgeritape.com.br
Atendimento das 19:00 á 23:00h

Acompanhe o blog também através das redes sociais
TWITTER ♥ INSTAGRAM  FACEBOOK  YOUTUBE  TUMBLR  G+   SNAP: AMIGADALEITORA
XOXO

Olá Pessoas, não tem como falar sobre Romances de Época sem falar da Editora Arqueiro. Esse ano  tive o privilegio de ler romances maravilhosos, que me emocionaram muito e me deixaram ainda mais apaixonada por esse estilo. Na minha humilde opinião os Romances Históricos são uma fonte de conhecimento, porque através das histórias eu aprendo sobre lugares e culturas diferentes. Vamos ao que interessa os três romances históricos pulicados pela editora Arqueiro que para mim foram os melhores do ano.

O RouxinolEsse foi sem sombras de dúvidas um dos melhores livros que li em 2016, uma história completamente envolvente com um conteúdo que não tem como não se emocionar. O cenário é a França durante a segunda guerra, a perseguição aos judeus e todo o sofrimento vivido pelas mulheres francesas que tiveram as cidades invadidas pelos nazistas. Definitivamente uma história forte, repleta de amor, força, luta e muito sofrimento.


A Garota Italiana: O que falar desse romance? Eu sou fã da Lucinda e tudo o que ela escreve me conquista, com esse livro não poderia ser diferente. O cenário é a Itália, para ser mais precisa o mundo da ópera, uma garota com um talento incrível, mas que vive um romance destrutivo. Acredito que nessa história a autora conseguiu nos fazer entender um pouco do universo de quem vive em uma relação da qual não consegue se libertar, aquele tipo de amor que faz a pessoa perder tudo e mesmo assim ela não tem forças para terminar. Assim vamos acompanhar a vida e carreira de Rosanna, uma garota com um talento singular.

   
As Cores da Vida: Relações familiares complicadas parece ser sempre um ponto forte nos romances da Kristin Hannah, e nesse não poderia ser diferente. Vamos conhecer aqui a história de três irmãs, um enredo repleto de segredos, rivalidade, amor, amizade e muitas contas para acertar. O que me conquistou como sempre foi a forma como a autora consegue discutir em suas histórias sobre sentimentos tão fortes de uma forma tão natural e ao mesmo tempo profunda, não teve uma única página se quer desse livro que eu tenha lido sem atenção, a leitura me prendeu do início ao fim.


Me digam o que acharam das minhas escolhas nos comentários. Leiam as resenhas aqui no blog de todos esses livros lindos, tenho certeza que vocês vão amar e colocar todos na lista das leituras para 2017.

Acompanhe o blog também através das redes sociais
TWITTER ♥ INSTAGRAM  FACEBOOK  YOUTUBE  TUMBLR  G+   SNAP: AMIGADALEITORA


Título Original: The Godfather (35ª Edição)
Autor: Mario Puzo
Editora: Record
Gênero: Ficção, Mafia, Crime organizado
Ano: 2016 / Publicado pela primeira vez em 1969
Páginas: 461
Comprar: Americanas, Submarino
Sinopse: Publicado em 1969, a saga O poderoso chefão é, até hoje, a mais perfeita reconstituição das famílias mafiosas de Nova York. O carismático Don Vito Corleone é o chefão de uma delas. Apesar de implacável, Don Vito é, essencialmente, um homem justo. Padrinho benevolente, nada recusa aos seus afilhados: conselho, dinheiro, vingança e até mesmo a morte de alguém. Em troca, o poderoso chefão pede apenas o respeito e a amizade de seus protegidos. Assim, todas as suas vontades se tornam realidade. Porém, ninguém pode vencer o tempo. Quando seus inimigos atacam juntos e tudo que sua família significa estiver por um fio, o velho Corleone terá de escolher, entre seus filhos, um sucessor à altura. E Mario Puzo constrói de maneira hábil um mundo de intrigas, decisões cruéis e honra, num legado de tradição e sangue.(SKOOB)
Olá pessoal, depois de férias curtas venho trazer para você um clássico que sem sombras de dúvida está na minha lista de favoritos da vida. Espero que vocês apreciem a resenha e leiam o livro porque tenho certeza que é uma leitura indispensável para todos. Vamos deixar de delongas e passemos ao que de fato interessa a resenha do livro do ano na minha humilde opinião.

"O Poderoso Chefão", foi publicado pela primeira vez em 1969, é um clássico que nos apresenta com maestria as famílias mafiosas  que viviam em Nova York. Vamos ter o prazer de conhecer Don Vito Corleone ou padrinho se assim preferir, ele é o chefão da máfia italiana, um homem implacável, mas justo e um padrinho benevolente com seus protegidos.


Don Corleone preza pela família e pelos seus afilhados, e dessa forma quando chega a hora ele terá que escolher um dos seus três filhos para lhe suceder nos negócios da família quando chegasse a hora, uma decisão que envolvia sangue e honra, e em um meio cheio de intrigas e traições. O filho mais velho Sonny, um homem de coragem, força e com grande coração, que infelizmente não herdou a humildade do pai, em vez disso possui um temperamento que por muitas vezes o levava a cometer erros de julgamento. O segundo filho Frederico, era o filho que todo italiano rogava para ter, obediente, leal e sempre a serviço do pai, mas não possuía o magnetismo pessoal, a força animal, pontos necessários a um verdadeiro líder. O terceiro filho Michael Corleone, o caçula da família, o único que se recusou a ficar sobre a direção do pai, ele possuía a força tranquila e a inteligência do seu pai, e por isso muitos apostavam que ele provavelmente iria suceder o pai nos negócios da família, isso antes dele decidir lutar na grande guerra.

Ao longo da leitura vamos acompanhar a vida de Don Corleone, suas decisões, seu temperamento e a forma como conduzia a família e seus negócios, também veremos quem será o escolhido para suceder O Poderoso Chefão, e cada página que viramos a ansiedade aumenta e a vontade de saber o que vai acontecer na trama também, não tem como não se envolver na rede de intrigas que é construída e nas relações entre os personagens. É um livro que prende o leitor do início ao fim.


O autor relata que para escrever o livro realizou uma pesquisa intensa sobre os casos envolvendo mafiosos que ouvira quando trabalhava com jornalismo. E essa pesquisa foi tão bem sucedida que a narrativa retrata de forma bem fiel as famílias mafiosas da época, motivo pelo qual muitos dos mafiosos que viviam em Nova York chegaram a questionar quem havia servido de fonte para o escritor.

Quando o livro foi lançado em 1969 permaneceu por um ano na lista dos mais vendidos, e hoje já está na sua 35ª edição, o filme que foi lançado depois tornou-se também mundialmente conhecido e faz parte dos clássicos do cinema internacional, claro que por ser antigo poucos da nova geração conhecem, mas com toda certeza em algum momento já ouviram falar dele.


Eu indico esse livro como leitura obrigatória para todos, temos que incluir nas nossas listas clássicos que nos fazem viajar por épocas da nossa história, por culturas diferentes. A edição da editora Record está simplesmente linda e não tem como não se apaixonar, o cuidado com as informações fornecidas na capa e na orelha do livro para mim foram um ponto extremamente positivo, nos permite conhecer mais sobre o autor e sobre a construção dessa obra.

Me digam nos comentários se pretendem ler o livro e o que acharam da resenha. Beijos!!

NOTA: 

Mario Puzo (15 de outubro de 1920 – 2 de julho de 1999) nasceu numa família de imigrantes sicilianos que moravam em Hell´s Kitchen, um bairro de Nova Iorque. Muitos de seus livros descrevem a herança siciliana. Ele entrou na força aérea dos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial e foi mandado para a Ásia e Alemanha. Seu primeiro livro, The Dark Arena, foi publicado em 1955. O seu mais famoso trabalho, The Godfather (O Poderoso Chefão, no Brasil; O Padrinho, em Portugal), foi publicado em 1969, depois que Puzo ouviu sobre a máfia enquanto trabalhava como jornalista. (SKOOB)