Título Original: The Nazi Hunters
Autor: Andrew Nagorski
Editora: Intrínseca
Páginas: 432
Ano: 2019
Gênero: História / Guerra Mundial / Criminosos de Guerra - Alemanha.
Comprar: Amazon; Shoptime; Americanas; Submarino

Sinopse: Após os julgamentos de Nuremberg e o começo da Guerra Fria, os vencedores da Segunda Caçadores de Nazistas coloca em foco a pequena parcela de pessoas que atuou — tanto em cargos oficiais quanto de forma independente — para reverter o êxito inicial desses criminosos de guerra e impedir que o mundo esquecesse seus atos. Com determinação e coragem, esses homens e mulheres seguiram lutando mesmo enquanto os países vitoriosos e o resto do mundo se tornavam cada vez mais indiferentes ao destino desses infratores.
Guerra se deram por satisfeitos e perderam o interesse em punir os nazistas que cometeram crimes durante o conflito.
Andrew Nagorski conta as histórias impressionantes de caçadores emblemáticos, como Simon Wiesenthal e Serge Klarsfeld, e também daqueles que trabalharam longe dos holofotes da imprensa, incluindo os jovens promotores americanos dos tribunais de Nuremberg e Dachau, Benjamin Ferencz e William Denson, respectivamente; o juiz polonês Jan Sehn, que comandou o caso de Rudolf Höss, um dos cabeças do campo de concentração de Auschwitz; o juiz e promotor da Alemanha Fritz Bauer, que forçou seus conterrâneos a confrontar os registros do genocídio; o agente do Mossad Rafi Eitan, que liderou a equipe israelense responsável pela prisão de Adolf Eichmann na Argentina; e Eli Rosenbaum, que liderou os esforços pela extradição dos criminosos de guerra que residiam tranquilamente nos Estados Unidos.
Determinados a perseguir e punir criminosos nefastos, esses heróis provaram que, cedo ou tarde, ninguém pode se julgar livre da justiça. (SKOOB)

Oi, genteeeee!
Sempre gostei da matéria de História e a Segunda Guerra Mundial é um dos assuntos que me chama muito a atenção, então quando vi o 'Caçadores de Nazista' não pensei duas vezes em ler.

Publicado pela Editora Intrínseca, os 'Caçadores de Nazistas' fala sobre o que aconteceu após o termino da Segunda Guerra Mundial com os nazistas que fugiram, com os crimes que foram cometidos e quem pagaria por eles.


O livro começa fazendo uma breve apresentação de quem eram os caçadores e os caçados, citando os nomes tanto dos caçadores quanto dos criminosos.

Seguimos com informações sobre como foi acordado a escolha da condenação, uma condenação justa e que quando o mundo olhasse para as consequências que a guerra trouxe, olhassem como exemplo a não ser seguido.
Depois de entrevistar um judeu holandês cuja história era particularmente tocante, logo lhe pedi desculpas por fazê-lo se lembrar de tudo com tantos detalhes. Comentei, ainda, que ele devia ter narrado sua odisseia muitas vezes para os parentes e amigos. "Nunca contei a ninguém", respondeu. Diante da minha expressão de descrença, acrescentou: "Ninguém jamais perguntou." Ele tinha carregado aquele fardo sozinho por cinquenta anos. - Página 24
Temos relatos também de como os três maiores países da época, Inglaterra, Rússia e Estados Unidos, decidiram organizar o julgamento. Nesse capítulo temos o julgamento de Nuremberg, o primeiro depois do fim da guerra.

É citado também sobre como se deu a divisão da Alemanha Ocidental e Oriental, como viviam as pessoas que ficaram sob o domínio russo, o país que mais "sofreu". É inegável, várias pessoas sofreram com mortes, formes e outros tipos de crueldade, porém com relação a perdas militares e a forma de tratamento que soldados russos eram tratados pelos alemães o fizeram ter sede de vingança.


Eu já havia lido sobre os estupros que aconteceram com mulheres alemães, mas os relatos falados no livro são horripilantes, eu tive que parar em alguns momentos de tão pesados e tristes, muito doloroso. Teve momentos que o crime não se restringiu só as alemães, mas a qualquer mulher de qualquer nacionalidade que estivessem lá.

Entendam aqui que não estou dizendo que por serem alemães aquelas mulheres deveriam ser estupradas, mas que na cabeças dos soldados russos era uma forma de vingança, todavia todas as mulheres sofreram com as atrocidades, sem falar que eram de doze anos até idosas de noventa ou mais, muitas vezes sofriam mais de dez abusos por dia. Gente isso não existe!

Mas o foco do livro é falar sobre a busca dos culpados, como conseguiam suas localizações, como se organizavam para prende-los e quais eram as suas divergências. São nesses momentos que conhecemos um pouco mais sobre aqueles que buscavam justiça. O livro aborda a linha tênue entre justiça e vingança, até onde fica o limite delas.
Entretanto, na esteira da guerra e do Holocausto, não era de admirar que as noções de vingança e de justiça com frequência se misturassem, fossem quais fossemos motivos dos próprios carrascos. - Página 36
O livro é um dos melhores que já li com o tema da Segunda Guerra Mundial até o momento, nele temos narrações de pessoas que estavam no local e viram tudo com seus próprios olhos, o autor fez uma obra muito rica em fatos históricos. Podemos ver que realmente teve um trabalho duro ao escrever, que não colocou qualquer coisa, pesquisou bastante.


A escrita de Nagorski é muito boa, faz com que passemos pelos capítulos em poucos minutos, sem falar na diagramação, está maravilhosa. Temos também fotos de prisioneiros e de pessoas que trabalharam nos julgamentos e fora dele também.

Enfim, na minha opinião, a obra é perfeita. Um livro para aqueles que amam a História Mundial e querem aprender um pouco mais sobre os acontecimentos do mundo, mas também para nos fazer lembrar que coisas ruins acontecem e devem ter consequências para aqueles que praticam.

Um forte abraço!
Até mais!

COMPRE COM UM DE NOSSOS LINKS E AJUDE O BLOG SEM PAGAR NADA A MAIS POR ISSO!

NOTA:

Andrew Nagorski comandou as sucursais da revista Newaweek em Hong Kong, Moscou, Roma, Bonn, Varsóvia e Berlim. É autor de Hitlerland, entre outros títulos sobre a Segunda Guerra Mundial.                                                                                                                                               

Título Original: Bind, Torture, Kill: The Inside Story of the Serial Killer Next Door
Autor: Roy Wenzl; Tim Potter; Hurst Laviana; Laura L. Kelly
Editora: Darkside Books
Páginas: 416
Ano: 2019
Gênero: Crime / Literatura Estrangeira / Não-ficção / Psicologia / Romance policial / Sociologia / Suspense e Mistério
Comprar: Amazon; Submarino; Americanas; Shoptime; Darkside

Sinopse: Ao longo de três décadas, um monstro aterrorizou os moradores de Wichita, Kansas. Um assassino em série que amarrava, torturava e matava mulheres, homens e crianças, iludiu a polícia por anos a fio enquanto se vangloriava de suas terríveis façanhas para a mídia. A nação ficou chocada quando os crimes de BTK - a sigla para os termos em inglês bind, torture, kill, que eram sua assinatura criminosa - foram enfim associados a Dennis Rader, um vizinho amigável, marido devoto e respeitado presidente da congregação de uma igreja local. (...) BTK Profile: Máscara da Maldade é um livro que investiga a mente e o comportamento humano e entra para a Coleção Profile da linha Crime Scene® ao lado de Ted Bundy: Um Estranho ao Meu Lado e Killer Clown Profile: Retrato de um Assassino. O trabalho de Wenzl, Potter, Laviana e Kelly nos faz questionar se realmente conhecemos as pessoas que convivem conosco - e o que nos torna vulneráveis diante do perigo. (SKOOB)

Eu gosto muito de assistir séries ao estilo 'Criminal Minds' (Mentes Criminosas) e 'Mindhunter', então quando dei de cara com o livro 'BTK Profile: Máscara da Maldade', um dos recentes lançamentos do selo Crime Scene da Editora Darkside Books, não pensei duas vezes em começar a leitura. Inclusive o BTK é um dos personagens que aparece na série 'Mindhunter', que já está na sua segunda temporada na Netflix.


BTK é a sigla em inglês para bind, torture e kill, que significa amarrar, torturar e matar, exatamente o que esse assassino em série fazia com suas vitimas. Nessa leitura é possível acompanhar com detalhes a história do serial killer que durante trinta anos aterrorizou a cidade de Wichita, no Kansas.

Essa foi a primeira vez que li um livro desse estilo, e confesso que a leitura vai muito além do banho de sangue que eu esperava encontrar, pois em 'BTK Profile: Máscara da Maldade' nós conhecemos os três lados da história: o da polícia, o da imprensa e o do próprio assassino.


Nos momentos em que não estava matando, Dennis Rader não passava de um cara amigável, pai de família e presidente da congregação de uma igreja local, o tipo de pessoa incapaz de levantar qualquer suspeita.

Na maioria das vezes, Rader se aproveitou de seu emprego para vigiar e entrar na casa de suas vitimas, ele escolhia mulheres que passavam a maior parte do tempo sozinhas em casa, mas alguns imprevistos o fez colocar homens e crianças na lista de seus dez assassinatos.

Seu primeiro crime foi cometido em 1974 e alguns fatos como por exemplo o tempo que ele levou para cometer novos crimes e a forma como escolhia suas vitimas totalmente aleatória, dificultou um pouco a investigação da policia. O que se sabia era que o BTK costumava cortar a linha telefônica de cada cenário por qual ele passava. Se não fosse a sua necessidade de procurar a imprensa para deixar explicito que havia cometido um novo crime, talvez a policia nunca o pegaria.


O livro da enfase também no dia a dia dos policiais envolvidos nesse caso, tendo um foco maior em Ken Landwehr, o chefe do departamento na época em o BTK foi finalmente preso, é exatamente essa alternação entre a rotina de todos os envolvidos, que faz da leitura algo extremamente incrível.


Por muitas vezes no decorrer da leitura eu parei para me perguntar se a policia estava realmente querendo pegar esse assassino, e conforme o enredo avançava ficou possível enxergar que com a pouca tecnologia que existia em 1974 e o caminho pelo qual os investigadores e até mesmo o FBI já estavam acostumados a trilhar, não seria suficiente mesmo para pega-lo. Mas não se enganem, isso não tem nada a ver com uma mente brilhante de mais um inteligente serial killer, e sim da forma inesperada que Dennis Rader decidiu agir, o que novamente nos faz crer que ele matava apenas por matar e não por algum gatilho do seu passado.
As pessoas que temiam o BTK quando eram crianças passaram a se preocupar com ele de novo, e entravam em casa como se estivessem esperando a qualquer momento uma emboscada.
Ao mesmo tempo que 'BTK Profile: Máscara da Maldade' foi uma leitura instigante que me fazia querer saber mais e mais sobre o caso, também me causou ânsia diversas vezes, e não pela narração das cenas dos crimes e sim por conta da monstruosa mente de Dennis Rader, não é fácil aceitar que existe seres humanos assim.


Por fim, posso dizer que esse com certeza foi o livro que me abriu caminho para mais leituras desse gênero, é perturbador tentar entender a mente e o comportamento humano, mas ver o trabalho de pessoas do bem que cortam um dobrado para por esses tipos de monstros atrás das grades é o que torna esse estilo de conteúdo ainda mais incrível.

Então se você gosta das séries 'Criminal Minds' (Mentes Criminosas) e 'Mindhunter' que eu citei no começo dessa resenha, está acostumado a ler enredos desse estilo ou quer começar a se aventurar nessa área, eu supere recomendo 'BTK Profile: Máscara da Maldade'. Além disso a edição da Darkside Books está super caprichada, contendo fotos do caso, capa dura e uma fita marca páginas amarela estampada com o selo Crime Scene.

COMPRE COM UM DE NOSSOS LINKS E AJUDE O BLOG SEM PAGAR NADA A MAIS POR ISSO

NOTA:

Roy Wenzl trabalhou no Wichita Eagle entre 1996 e 2017. Já recebeu diversos prêmios pelos seus escritos, em especial o Pulitzer de 1982 enquanto trabalhava com a equipe do Kansas City Star e Times na cobertura do colapso da passarela do Hyatt Regency em 1981. Também escreveu o livro The Miracle of Father Kapaun (2013), que inspirou um documentário coproduzido por Wenzl.
Tim Potter trabalha no Wichita Eagle desde 1991. Em seus quase trinta anos no jornal, especializou-se na cobertura de crimes e segurança pública e já escreveu especiais para o Washington Times, Miami Herald, The Charlotte Observer, entre outros.
Hurst Laviana se formou em matemática e jornalismo pela Universidade do Kansas, e trabalhou no Wichita Eagle entre 1982 e 2014. Atualmente vive com a família em Pittsburgh, Pensilvânia.
Laura L. Kelly é especialista em comunicação pela Universidade Estadual de Wichita e trabalhou como editora assistente e repórter no Wichita Eagle entre 1981 e 2006. Foi líder do projeto do livro dentro do jornal e dedicou-se intensamente aos deveres com a obra. Desde 2008 administra uma empresa de consultoria de mídia e em 2015 publicou um conto chamado “Listen to Your Heart”.

Título Original: Dia de Beauté - Um Guia de Maquiagem para a Vida Real 
Autor: Victoria Ceridono
Editora: Paralela
Páginas: 160
Gênero: Moda, Estilo e Beleza
Ano: 2015
Comprar: Amazon; Shoptime; Americanas; Submarino

Sinopse: Um livro de maquiagem para a mulher moderna, com dicas práticas e reais, além de sugestões que abrangem a maquiagem do dia a dia até os looks de festa. Victoria Ceridono, blogueira e editora de beleza de Vogue, faz em seu livro de estreia um resumo de tudo que se precisa saber para aventurar-se no mundo de maquiagem. (SKOOB)

Oieee, gente!

Além dos livros, tenho outras paixões e uma delas é a maquiagem, sou uma amante das cores e possibilidades que uma make pode proporcionar. Tive a oportunidade de ler 'Dia de Beauté: Um guia de Maquiagem para a Vida Real', um livro que promete mostrar a facilidade de usar maquiagem no dia a dia, sem truques, somente a vida real, só por isso já fiquei mega ansiosa para fazer a leitura, afinal quem não quer usar a praticidade a seu favor?


O livro mostra o passo a passo de fazer uma pele perfeita, Victoria aparece nas fotos mostrando cada momento da maquiagem. É um guia muito simples do que usar e como usar para uma maquiagem perfeita. Eu amei passar as páginas e ver o cuidado de cada imagem, muito autoexplicativas. Para pessoas que se iniciam no mundo da maquiagem, ver cada passo é muito importante, achei muito didático.


Eu aprendi muito com os detalhes que o livro dá, mas confesso que a maioria dos assuntos explicados eu tinha uma boa noção, mesmo assim o livro é uma boa pedida, pois mesmo que já tenha um bom conhecimento sobre maquiagem, principalmente as mais básicas, 'Dia de Beauté' ainda acrescenta, eu por exemplo preciso treinar delineado de gatinho, Victoria faz parecer tão fácil, mas com treino eu chegarei lá (hahahah, fé no pai que esse delineado sai!!!).

Fiquei totalmente encantada justamente porque o livro é belíssimo, uma edição que é digna de colecionador (esse eu deixarei na minha decoração, aquele livro que pode ser aberto em qualquer página e ela será linda!). Todas as páginas possuem detalhes em tons pastéis, fotos de altíssima qualidade e de uma composição muito bonita.


Recomendo a leitura, principalmente para pessoas que têm vontade de aprender o básico de make para o dia a dia, Victoria ensina makes bem lindas e que qualquer pessoa com o conhecimento passado pelo livro, conseguirá reproduzir, claro que com treino esse processo ficará cada vez mais simples e rápido. Eu amo o tipo de make apresentada no livro, pois é rápida e bonita. Eu definiria o livro como guia de makes leves e bem cotidianas, claro que no ótimo sentido, pois nós, mulheres normais que trabalham e acordam muito cedo, queremos uma maquiagem rápida e que realcem nossa beleza natural sem que isso nos custe uma hora a menos de sono!


Agora, quem já procura makes mais “pesadas” não é esse o foco de 'Dia de Beauté: Um Guia de Maquiagem para a Vida Real', ele oferece, como já ressaltado, uma proposta mais para o cotidiano, deixo aqui esse aspecto bem claro, pois eu esperava que o livro tivesse uma parte dedicada a maquiagens mais festivas, que na minha opinião são muito mais complicadas, por exemplo, ensinando fazer um olho bem marcado.


Achei uma leitura válida para quem ama maquiagem assim como eu, sem falar que ele ficará lindo na sua prateleira de makes!

E aí, você curte make mais básica ou mais elaborada!?
Ficou com vontade de ler o livro!?
Me contaaaaa tudo, menina!
Um beijo e até breve!

COMPRE COM UM DE NOSSOS LINKS E AJUDE O BLOG SEM PAGAR NADA A MAIS POR ISSO!!

NOTA:

É jornalista e editora de beleza da revista Vogue. Criou o blog Dia de Beauté em 2007 e desde então tem ganhado fãs e seguidores ao redor do mundo que buscam seus conselhos e dicas práticas para beleza e maquiagem. Atualmente, mora em Londres.                                                                                                                    

Gênero: Ação, Comédia | Duração: 1h 59min | Distribuidor: Sony Pictures | Ano: 2019

Oieee, gente! Tudo bem!?

Hoje vim contar pra vocês sobre o filme 'As Panteras', lançado dia 14 de novembro no Brasil. Claroooo que eu como fã de 'As Panteras' desde os anos 2000, quando eu era uma criança que achava que a qualquer hora eu poderia ser convidada para ser uma das panteras (ok, não me julguem!), já deu para perceber o quanto eu amava esse filme, então assim que chegou ao Brasil eu já corri para conferir!


A versão de 'As Panteras' 2019, tem como trama principal o resgate de um programa de energia chamado Castilo, ele é capaz de destruir algo em segundos, desenvolvido pela cientista Elena Houghlin (Naomi Scott), mas que agora está em perigo, visto que gente muito ambiciosa quer ter todo esse poder em mãos. Acompanhamos as panteras lutando para que esse dispositivo não seja usado pelas pessoas erradas, além de proteger a cientista, pois ela agora também é perseguida porque conhece como tudo funciona. Nessa trama interessante não faltará ação e muito suspense.


O filme já me agradou muito pelo enredo, as primeiras cenas já deixam claro além de ação irá tratar também de emponderamento feminino, mostrando que as mulheres podem sim ser o que quiserem. Uma cena que mostra Mansplaining (do inglês: man = homem, e splaining = a forma informal do verbo explain, que significa explicar), a Elena é a criadora do dispositivo e o chefe dela explica como se ela não soubesse nada, simplesmente pelo fato de ser mulher, essa e outras cenas têm esse tom de crítica sobre mulheres serem inferiores, sobre mulher bonita não ser inteligente e muitos outros esteriótipos que o público feminino enfrenta diariamente. Talvez o que tenha mais me agradado nesse filme foi a sororidade e o up que ele dá para que todas se sintam fortes e capazes de juntas vencerem tudo... Ahhhhhh eu amei isso!


'As Panteras' é um filme com muita ação, fiquei muito feliz de ver que o ritmo frenético dos antigos filmes se manteve nesse também. Como telespectadora me conectei com o filme de tal forma que nem vi o tempo passar, se você deseja ficar hipnotizado, veja esse filmão, vale muito a pena, tanto pelo humor quanto pelas críticas irônicas feitas à sociedade.


Ahhhhh e um ponto que me agradou foi a escolha dos atores, nossa querida Kristen Stewart, siiiiim, a Bela de Crepúsculo! Eu estava com tanta saudade de vê-la em cena! E também aparece o Noah Cetíneo, o Peter de 'Para Todos os Garotos que já Amei', além da maravilhosa Naomi Scott, a Jasmine do mais recente filme de Alladin, aiiiii gente, aparecem muitos outros atores e digo que amei a escolha do elenco!


Então já deu para perceber que 'As Panteras' é sim uma boa pedida de entretenimento!
Abaixo deixo vocês com o trailer oficial do filme:


Se for assistir, depois me conta o que achou!
Beijo e até breve!

Para saber sempre que um post novo for ao ar basta acompanhar nossas redes sociais
TWITTER ♥ INSTAGRAM  FACEBOOK  YOUTUBE  TUMBLR  G+   SNAP: AMIGADALEITORA

Título Original: Eu Tenho Sérios Poemas Mentais
Autor: Pedro Salomão
Editora: Outro Planeta
Páginas: 192
Gênero: Literatura nacional / Poemas / Poesias
Ano: 2018
Comprar: Amazon; Shoptime; Submarino; Americanas

Sinopse: Antes de mais nada eu gostaria de pedir licença ao seu coração, pois sinto que a relação que vamos criar a partir de agora é muito forte. Eu escrevi neste livro as poesias sobre os lugares mais íntimos em mim, aqueles lugares que são tão profundos que até eu mesmo só consigo visitar às vezes... Estou me apresentando para você como sou, sem rosto, sem voz e sem cheiro. Apenas ideias. E tudo o que sou são ideias. Neste momento, uma voz está lendo estas palavras em sua cabeça, dentro da sua imaginação, e já não é mais a minha voz, eu não sei como ela é, mas espero que seja doce e suave. Seus pensamentos estão dançando com os meus, e já não sei mais onde eu termino e você começa, e esta é a relação mais íntima que eu já tive com alguém. Obrigado por estar aqui. (SKOOB)

'Eu Tenho Sérios Poemas Mentais' é um livro que reúne poesias do autor Pedro Salomão, eu já queria ler há algum tempo e agora que tive a oportunidade pude perceber que a poesia contemporânea é um gênero que muito me agrada. Nem sempre gostei de poesia, mas há alguns anos tenho descoberto ótimas leituras nesse gênero e ' Eu Tenho Sérios Poemas Mentais' é umas delas.

Ele pensou que ela fosse uma donzela, presa na torre mais alta.Mal sabia que ela era dona do castelo, do dragão e de si mesma.


Pedro Salomão mostra com muito lirismo temas muito tocantes e do cotidiano, o autor fala de assuntos rotineiros até aqueles que são mais específicos, por exemplo a ansiedade. Ler Salomão não é uma experiência qualquer, o autor te convida a um ter um olhar mais poético sobre a vida e conseguir ver a beleza nas pequenas coisas da vida.
Percebi que, se não estou desesperadamente tentando ser feliz, é porque evidentemente já sou.
Eu gosto de poesia por isso, pois é algo que toca nossos sentimentos mesmo com pouquíssimas linhas, toca fundo o coração. Fico feliz de ver que esse gênero está cada vez mais popular, ganhando uma roupagem mais atual e a Editora Planeta, principalmente no selo Outro Planeta, valoriza muito essa temática, valorizar a poesia nacional é muito importante.


Como já dito, são vários os temas trabalhados, farei uma lista abaixo com os assuntos mais explorados em 'Eu Tenho Sérios Poemas Mentais' afim de que você tenha uma noção:
  • Insegurança 
  • Sucesso e fracasso 
  • Empoderamento 
  • Mágoas 
  • Sentido da vida 
  • Beleza das pequenas coisas 
  • Fim de relacionamentos 
  • Amor
  • Sentimentos em geral 
Não precisa ter medo de fracassar. O sucesso é um fracasso que deu certo.
A edição está muito fofinha, a capa num tom de azul escuro e a fonte bem simples traz um tom de simplicidade para a capa, além disso, a fonte é na cor azul também, acho legal quando os escritos estão numa cor diferente do tradicional, já da pra perceber que a cor preferido de Pedro Salomão é azul. Adorei a edição bem diferenciada e minimalista. Eu estou apaixonada por Pedro Salomão, além de escritor é cantor! Gente, escutem a música desse maravilhoso!


Pedro Salomão escreve muito bem, tem suavidade em dizer verdades duras e de uma maneira tão doce que encanta a qualquer leitor. Então se você curte um livro rápido e que te faça refletir um pouco sobre a vida, Eu tenho sérios poemas mentais é uma ótima leitura., eu gostei muito do livro, mas eu estava com as expectativas ainda mais altas, mesmo assim eu recomendo demais!

E aí, gosta de poesia!?
Ficou com vontade de ler !?
Beijos e até breve!

COMPRE SEU EXEMPLAR COM UM DE NOSSOS LINKS E AJUDE O BLOG SEM PAGAR NADA A MAIS POR ISSO!

NOTA:

Pedro Salomão nasceu no dia 06/07/1994 na cidade de Presidente Prudente - SP. É formado em Geografia pela Unesp FCT. Sua primeira experiência com a arte foi como Palhaço de Hospital, onde descobriu que a arte era sua ferramente de transformação da realidade. Formou uma cia. de teatro, viajou pelo Brasil ministrando cursos de capacitação para novos palhaços e apresentando peças de humor. Um dia recebeu a notícia de que seu amigo Caio havia falecido em um acidente de carro. Ficou 10 meses de luto afastado da arte e dos palcos. Depois desse período começou a escrever poesias como uma forma de superar o luto.