Título Original: Crushed
Autora: Lauren Layne
Série: Recomeços #02
Páginas: 280
Editora: Paralela
Gênero: Ficção / Literatura Estrangeira / Romance / Jovem Adulto
Ano: 2018
Comprar: Amazon; Shoptime; Americanas; Submarino

Sinopse: Será que Michael conseguirá encontrar um final feliz depois de ser rejeitado por Olivia? Uma comédia romântica surpreendente sobre como recomeços podem ser a cura para um coração partido. Quantas vezes um mesmo coração aguenta ser despedaçado? Essa é a pergunta que atormenta Michael St. Claire, o ex-bon vivant que, após ser rejeitado por Olivia e abandonado pelo melhor amigo, deixa o glamour nova-iorquino para trás e vai trabalhar num clube de tênis numa cidadezinha no Texas. Há um motivo secreto por trás dessa escolha geográfica: é lá que se encontram seu pai biológico e seu meio-irmão, Devon, que não fazem ideia de sua existência. O que o plano de Michael não previa era conhecer Chloe, a garota mais inteligente, sarcástica e original que ele já vira. Em pouco tempo, eles se tornam grandes amigos, e quando Michael descobre que Chloe é apaixonada por Devon ele resolve que irá ajudá-la. Mas será que dois corações rejeitados conseguem, juntos, construir um recomeço? Ou irão apenas se machucar, perdidos na eterna busca por aceitação e pertencimento? (SKOOB)

'Imperfeitos' é o último livro da série 'Recomeços', escrito pela minha querida Lauren Layne e lançado aqui no Brasil pela Editora Paralela. Nesse final da série iremos conhecer melhor Michael St. Claire, o pivô da separação entre Olivia (Em Pedaços) e Ethan (Como Num Filme), consequentemente o livro pelo qual eu estava mais ansiosa.


Depois de ter seu coração partido por Olivia novamente, Michael St. Claire também decide deixar Nova York e ir atrás de seu pai biológico no Texas. Sabendo que tem um meio irmão, Devon, Michael decide trabalhar num clube de tênis com a intenção de se aproximar de Kristin Bellamy, a namorada perfeita de seu meio irmão.

É através do seu contato com Kristin que Michael acaba conhecendo Chloe Bellamy, uma versão de cabelos rebeldes e corpo mais rechonchudo do que o da lindíssima Kristin, porém, uma versão muito mais autentica e original que a artificial Kristin.

Logo de cara Michael reconhece que Chloe está tão encrencada como ele esteve um dia, afinal de contas a garota nutri uma paixão secreta pelo namorado de sua irmã, e é com a promessa de ajuda-la a mostrar a Devon tudo o que ele está perdendo, que Michael passa a ser o personal trainer de Chloe. No entanto suas verdadeiras intenções vão além, uma vez que os Bellamy são amigos íntimos da família de seu verdadeiro pai, e isso lhe abrirá as portas para um acerto de contas com o cara que há muitos anos atrás abandonou sua mãe grávida em Nova York.


Não é novidade que Lauren Layne costuma abusar do bom e velho clichê durante sua escrita, e aqui não é diferente. No entanto alguma coisa na receita mágica de Lauren, que sempre fluiu pra mim, não funcionou em 'Imperfeitos'. Tudo me leva a crer que foi o fato de achar Michael um tanto egocêntrico, e Chloe um tanto contraditória, pois ao mesmo tempo que a autora a coloca como uma personagem interiormente original, inteligente e sarcástica, também a revela uma garota extremamente insegura em relação ao seu corpo. Eu mesmo não consigo ver uma pessoa tendo muito de um e nada do outro, pra mim toda essa originalidade de Chloe é o tipo de qualidade que não costuma andar longe da auto confiança.

Outro fator que me pareceu superficial foi o romance entre Michael e Chloe, na minha opinião faltou a química digna de um romance a lá Lauren Layne. Tentei ser convencida do começo ao fim por esse casal, e apesar de não ter me sentindo cem por cento satisfeita com o sentimento de ambos, o enredo é bem gostosinho e segue a mesma linha do perder para dar valor que os outros livros da série seguem.


Não sei se depositei muitas expectativas nesse enredo ou se realmente não era o momento certo para eu realizar a leitura, pois estou com uma ressaca literária terrível e até mesmo esperava que esse livro me tirasse dela, mas de qualquer forma achei o final super fofinho, algo que realmente valeu a pena.

Por mais que eu tenha encontrado pontos negativos, não posso deixar de falar do ponto positivo que foia a autora querer trabalhar o amor próprio nessa leitura, acredito até que tudo poderia ter sido ainda melhor se esse tema não tivesse aparecido de forma tão sutil. Foi legal ver Chloe deixar de ser o patinho feio para se transformar em um cisne, o único problema é que eu tive a impressão de que mesmo sem querer, a autora não passou essa mensagem da maneira que ela deveria ser passada, pois nossa protagonista só consegue sua autoconfiança após perder alguns quilinhos e tomar um banho de loja.


Enfim, 'Imperfeitos' não foi o livro perfeito pra mim, mas pode ser que dê mais certo para você, então recomendo que leia e tire suas próprias conclusões, pois apesar dos pesares, essa é uma série que eu gostei muito de acompanhar e Chloe foi uma personagem que mesmo tendo suas inseguranças me divertiu bastante com seu jeito autentico de ser.


NOTA

OUTROS LIVROS DA AUTORA RESENHADOS NO BLOG:

  

Autora best-seller na lista do The New York Times, Lauren Layne adora escrever comédias românticas. Ela mora em Nova York com o marido.                                                                                                                                                                                                                                       

Título Original: Come Away With Me
Autor: Karma Brown
Páginas: 305
Gênero: Chick-lit / Drama / Ficção / Literatura Estrangeira / Romance
Editora: Verus
Ano: 2019
Comprar: Amazon; Submarino; Americanas

Sinopse: Tegan Lawson tem tudo o que poderia querer da vida, incluindo Gabe, seu marido amoroso, e um bebê a caminho. Mas um acidente deixa a vida de Tegan tão devastada como o carro do qual ela foi resgatada. Entre a perda do bebê e a raiva incontrolável por Gabe, que estava dirigindo naquela noite, Tegan está afundando em tristeza. E, quando ela pensa que chegou ao fundo do poço, Gabe a lembra do ''pote dos desejos'', uma coleção das viagens e experiências dos sonhos do casal. E assim se inicia a aventura. Dos tumultuados mercados da Tailândia até os sabores da Itália e as ondas do Havaí, Tegan e Gabe embarcam em uma jornada para escapar da tragédia e encontrar o perdão. Mas, quando as coisas tomam um rumo chocante no Havaí, Tegan é forçada a encarar a verdade - e a decidir se a vida ainda vale a pena, mesmo que não seja exatamente como ela sonhou. Comovente e cheio de amor e esperança, Vem comigo é um livro inesquecível e uma celebração da força do espírito humano. (SKOOB)

Oiiie, gente! Tudo bem?

'Vem Comigo' é um drama lançado pela Editora Verus, o primeiro livro da autora Karma Brown lançado aqui no Brasil e que felizmente já é um sucesso. Eu recebi, primeiramente esse livro na caixa número um do Clube de Romance da Carina Rissi, recebemos como livro inédito e só depois ele foi anunciado para pré-venda.

Confesso que quando eu recebi pelo Clube da Carina, eu achei que não ia ser um livro que poderia me agradar, pois na capa dizia que era recomendado para o mesmo público que amou 'Comer, Rezar e Amar' e... eu não gostei, isso já me desanimou, mas eu estava redondamente enganada.


'Vem Comigo' conta a história do casal Tegan e Gabe, eles se casaram e estão à espera do tão sonhado bebê, mas tudo está prestes a mudar. No caminho para a casa da sogra, Gabe dirige um pouco acima da velocidade e por conta da camada de gelo sobre a pista, eles acabam sofrendo um grave acidente... e aí tudo desmorona. Nossos personagens nunca mais serão os mesmos, a partir do fatídico dia, Tegan passa a culpar o marido por ela ter perdido o bebê (não é spoiler, relaxa!).

Aflito com os conflitos que só crescem, Gabe resolve relembrar do plano deles em visitar lugares do mundo e com isso fazer a tentativa de salvar seu casamento. A trama gira em torno da reconstrução dessa família, Tegan e Gabe vão embarcar em uma aventura por países diferentes e tentar descobrir o real sentido da vida após a perda de uma parte deles, o bebê. Essa viagem tem papel importantíssimo na trama, além disso a autora descreve tão bem os lugares, que pude me imaginar lá também, corri e pesquisei alguns lugares na internet e fiquei simplesmente maravilhada (precisando de uma viagem também ahahahaha!)


O que mais me agradou na narrativa foi a forma como tudo é apresentado, apesar de ser um tema bem denso, ao longo do livro a autora consegue fazer com que o leitor se envolva de uma maneira tão intensa com  a história, que é impossível largar o livro. Um outro aspecto que me conquistou também foi a construção dos personagens, eles são muito reais, eu amo isso em livros. A Tegan, após perder o bebê, enfrenta uma depressão e a forma como isso é mostrado faz com que o leitor sinta o que ela está passando, eu fiquei muito aflita com as escolhas dela e no fundo eu entendia que ela estava realmente em um conflito interno.

Este é sem duvidas o tipo de livro que contém uma reviravolta que faz o leitor perder o fôlego, confesso que estava aflita pensando que eu ia sofrer muito, fiquei surpresa com o caminho que a trama tomou, isso destaco como ponto positivo, pois amo quando os autores conseguem me surpreender! Apesar de ter visto muitas pessoas morrendo de chorar no plot twist (reviravolta no enredo), eu não chorei, mas fiquei muito emocionada, diferente da maioria que chorou no plot, eu chorei muito na última página, ou seja, não saí ilesa sem derramar lágrimas,então se você quer chorar, meus amigos, vai fundo em 'Vem Comigo', pois essa história é muito real e comovente.


O livro tem uma narrativa bem forte e a escrita da autora é bem detalhista, por retratar perdas, depressão e problemas resultantes do luto, o livro pode ter alguns gatilhos, é importante que o leitor saiba disso. A leitura é muito real, intensa e bonita, daquelas que nos fazem repensar sobre a efemeridade da vida e a valorização de tudo e todos que nos cercam.

A edição está muito bonita, a capa que tem o tom do azul do mar, a protagonista aparece na capa, isso não gostei muito, mas isso é pessoal, não sou fã de pessoas em capas. A fonte é em um tamanho agradável e os capítulos são curtos, isso facilita demais a leitura, que se torna ainda mais leve e fluída. Foi muito bom conhecer a escrita de Karma Brown, espero que a editora traga para o Brasil tudo que ela escrever.

E aí gostou de saber mais sobre Vem comigo?
Pretende ler?
Contaaaaa tudo!


NOTA:

Karma vive nos arredores de Toronto, no Canadá, com o marido, a filha e um labrador chamado Fred. Quando não está escrevendo ou conspirando enredo, ela normalmente está saindo com sua família, fazendo uma bagunça na cozinha e verificando itens fora de sua lista de mercado. Karma é representada por Carolyn Forde na Westwood Creative Artists, e atualmente está usando o teclado de seu laptop para escrever seu próximo romance.

Título Original: My favorite thing is monsters
Autor: Emil Ferris
Páginas: 416
Gênero: HQ, Comics, Mangá
Editora: Quadrinhos na Cia
Ano: 2019
Comprar: Amazon; Submarino; Americanas; Shoptime

Sinopse: A história de um assassinato misterioso, um drama familiar, um épico histórico e um suspense psicológico sobre monstros — reais e imaginados. A história em quadrinhos mais impactante desde Maus. Com o tumultuado cenário político da Chicago dos anos 1960 como pano de fundo, Minha Coisa Favorita é Monstro é narrado por Karen Reyes, uma garota de dez anos completamente alucinada por histórias de terror. No seu diário, todo feito em esferográfica, ela se desenha como uma jovem lobismoça e leva o leitor a uma incrível jornada pela iconografia dos filmes B de horror e das revistinhas de monstro. Quando Karen tenta desvendar o assassinato de sua bela e enigmática vizinha do andar de cima — Anka Silverberg, uma sobrevivente do Holocausto — assistimos ao desenrolar de histórias fascinantes de um elenco bizarro e sombrio de personagens: seu irmão Dezê, convocado a servir nas forças armadas e assombrado por um segredo do passado; o marido de Anka, Sam Silverberg, também conhecido como o jazzman “Hotstep”; o mafioso Sr. Gronan; a drag queen Franklin; e Sr. Chugg, o ventríloquo. Num estilo caleidoscópico e de virtuosismo estonteante, Minha Coisa Favorita é Monstro é uma obra magistral e de originalidade ímpar. Grande vencedor do prêmio Eisner, o mais importante do quadrinho mundial, nas categorias Melhor Álbum do Ano, Melhor Roteirista/Desenhista e Melhor Colorista. (SKOOB)

Oieee, gente! Tudo bem?

'Minha Coisa Favorita é Monstro' foi lançado recentemente pela Companhia das Letras, através do selo Quadrinhos na Cia. Um aclamadíssimo quadrinho que tem alguns prêmios, agora essa obra-prima chega ao Brasil e eu tive a honra de ler!

Essa obra me chocou de variadas maneiras, primeiramente eu não imaginava como o livro é grande, ele tem 416 páginas e tem o tamanho de um caderno de dez matérias, mas sua grandeza vai muito além disso, pois depois de ler eu realmente entendi o porquê dele ter ganhado prêmios, ser tão famoso fora do Brasil e a magnitude dessa obra me levou a pesquisar sobre a autora e de como ela escreveu esse quadrinho tão rico.


'Minha Coisa Favorita é Monstro' conta duas histórias paralelas, Karen, nossa protagonista, que se identifica como uma menina monstro e Anka, a vizinha de Karen, Anka foi assassinada e Karen decide investigar o porquê. Essa premissa se condensa em meio a Chicago da década de 60. Os acontecimentos são narrados a partir do ponto de vista de Karen, ela tem apenas 10 anos e uma visão muito aguçada de sua realidade, ela registra em um diário o que acontece, ela mostra tudo em forma de desenhos e escritos, fala de sua família, dos vizinhos, da cidade, do bullying que sofre na escola e de tudo que vive todos os dias, ao mesmo tempo ela relata sobre a investigação do assassinato de Anka, na verdade apontaram como suicídio, porém Karen tem certeza que não foi exatamente isso, ao iniciar a investigação, acompanhamos a menina monstro e detetive descobrir que na sociedade existem monstros bons e monstros ruins e que eles estão mais perto do que ela imagina.


O livro é o diário ilustrado de Karen, ela registra toda a sua percepção sobre a realidade, enquanto investiga sobre a vizinha morta, consegue ter acesso à vida de Anka ainda criança por meio de uma gravação em áudio, somos inseridos em um período cruel: o Holocausto nazista. Confesso que essa parte do livro é de partir o coração e que precisei ler mais de uma vez para conseguir entender e digerir, Anka enfrentou situações de abusos, prostituição, tráfico de crianças, pobreza, ritos satânicos e campos de concentração, tudo isso é descrito e desenhado com uma carga emocional tão forte, que por vezes parei a leitura a fim de refletir, nunca imaginei que um quadrinho poderia ter esse impacto sobre mim, confesso que li poucos na minha vida.


Ver o mundo através dos olhos de uma menina que se identifica como uma monstra foi extremamente diferente, me vi tomada por sentimentos diversos ao observar como nossa personagem ia vendo situações tão cruéis, entretanto mantinha sua infantilidade. A família de Karen é outro ponto focal, eles são personagens que aos poucos vão mostrando quem realmente são e isso pode não ser nada bom! Gostei de ver como a autora põe um tom mais pesado de emoção, apesar de ter um pé atrás com o irmão e a mãe de Karen, eles são muito bem trabalhados e é impossível não se comover com tudo que acontece, não vou me aprofundar nisso, acho interessante o leitor tirar suas próprias conclusões.


Não pude deixar de pesquisar mais sobre a autora do livro, fiquei muito curiosa para saber mais sobre a mulher por trás dessa obra, Emil Ferris. Ela trabalhava com designer dos brinquedos do Mac Lanche Feliz, mas teve uma doença e acabou perdendo os movimentos da metade de baixo do corpo e também da mão direita, isso a impossibilitou de continuar seu trabalho, nesse meio tempo ela decidiu tentar desenhar a fim de recuperar o movimento da mão e o resultado foi esse livro, ma-ra-vi-lho-so, sim, ela fez todos esses desenhos à mão (que estava semi paralisada) e utilizando canetas, lápis e canetinhas, sério, isso é impressionante! Emil é um exemplo de superação, uma curiosidade é que ela tem 53 anos e é amplamente reconhecida pela obra 'Minha Coisa Favorita é Monstro'.


E além disso tudo, a autora teve sua obra recusada por mais de 40 editoras, pois o livro original tem cerca de 800 páginas, mas calma, pois aqui no Brasil a Quadrinhos na Cia dividiu em dois volumes. Depois de algumas tentativas, ela conseguiu uma grande editora, Emil viu sua obra ser um reconhecido sucesso, 'Minha Coisa Favorita é Monstro' ganhou diversos prêmios, inclusive Eisner de melhor álbum, melhor roteiro, melhor colorista e desenhista, ou seja, esse quadrinho chega no Brasil e já vem recheado de prêmios.


A edição da Quadrinhos na Cia está caprichadíssima, eles mantiveram a capa original e no título só difere que a estrangeira "monstros" está no plural e na minha opinião isso poderia até ser mantido, pois ao longo da narrativa vemos vários "monstros", faria mais sentido, mas não chega a ser nada demais. Um aspecto que imagino ter dado bastante trabalho é o letramento do quadrinho, pois têm muitas imagens que já se misturam às letras e até mesmo desenhos com elas, isso deve ter sido muito difícil para traduzir e manter sentido, dou os parabéns porque conseguiram e ficou mais que perfeito.

Se você gosta de quadrinhos, coloque 'Minha Coisa Favorita é Monstro' em sua lista. Um livro emocionante, sincero e muito crítico, realmente merece ser lido por todos, ahhhh, já ia esquecendo de lembrar que não é um livro recomendável para crianças, existem cenas de nudez e sexo explícito, então naaaada de crianças. Espero que eu tenha conseguido expor um pouco as principais ideias desse livro, mas já adianto que ele tem muitos assuntos que realmente ultrapassariam as linhas de uma resenha, por favor leiam!
Já estou ansiosa pelo livro dois!

Um abraço e até breve!


NOTA:

Emil Ferris é uma escritora, cartunista e designer americana. Ferris estreou na publicação com graphic novel de 2017, My Favorite Thing is Monsters.                                                                                                                                                                                                              

Título Original: Mummy fairy and me
Autor: Sophie Kinsella
Editora: Galera Junior
Ano: 2019
Gênero: Infantil, Aventura, Fantasia, Literatura Estrangeira
Páginas: 176
Comprar: Amazon, Submarino, Americanas, Shoptime

Sinopse: Ella tem um grande segredo: sua mãe é uma fada. Aliás, todas as mulheres de sua família têm poderes mágicos e asas lindas. Além de uma Smartvarinha capaz de produzir os mais interessantes feitiços, como criar a festa de aniversário perfeita, acelerar a fila do supermercado e fazer lindos e deliciosos cupcakes. Mas a mãe de Ella também tem certa... dificuldade para operar sua Smartvarinha, e nem sempre seus feitiços acabam saindo do jeitinho que se imaginou a princípio. Sorte a dela ter Ella sempre por perto para ajudar a resolver as coisas e fazer tudo voltar ao normal. O novo livro de Sophie Kinsella, feito sob medida para os pequenos, traz uma mensagem sobre as virtudes da paciência e sobre como a vida familiar não precisa ser perfeita para ser divertida e repleta de amor. (SKOOB)

Sophie Kinsella é um nome de referência para todos aqueles que estão familiarizado com o mundo literário, mas o mais legal é que agora a autora também decidiu alcançar o público dos novos leitores, especificamente as crianças que estão começando a pegar o gosto pela leitura agora. 'A Fada Mamãe e Eu' é o mais novo lançamento de Sophie Kinsella, dessa vez através do selo Galera Junior, que também pertence ao Grupo Editorial Record.


Apesar de ser apenas uma criança, Ella guarda um grande segredo: todas as mulheres de sua família em um determinado momento da vida se tornam fadas, o que faz dela atualmente uma fada-na-fila-de-espera.


Basta algumas palavras mágicas que sua mãe logo se transforma na fada mamãe, com direito a lindas asas e uma SMARTVARINHA. O único problema é que nem sempre os feitiços que a fada mamãe assiste no FadaTube, saem como esperado, e daí por diante tudo vira uma grande confusão, o bom é que a fada-na-fila-de-espera está sempre por perto para ajudar.


O livro é curto e vem com pequenos capítulos contendo aventuras e ilustrações diferentes, além disso cada estória passa aos pequenos leitores uma mensagem diferente e cheia de aprendizagem, como por exemplo a importância da amizade ou de que mentiras e trapaças nunca tem um final feliz.

Eu gostei bastante de ver Sophie Kinsella por esse novo angulo, e posso dizer que mesmo em uma estória infantil a autora não perdeu sua essência e inseriu coisas divertidíssimas como os trocadilhos Smartvarinha e FadaTube.


Recomendo 'A Fada Mamãe e Eu' tanto para o publico infantil como para o publico adulto, o livro contém lições valiosíssimas para todos, além disso suas páginas finais vem acompanhadas de atividades que estimulam a criatividade das crianças e interatividade com os pais.
Espero muito que Sophie Kinsella de continuação a essa série que é um projeto lindo para inserir as crianças no mundo literário, pois quem já ouviu falar em Sophie Kinsella, com certeza vai querer propagar as obras da autora para os pequenos e novos leitores também.


NOTA: 


OUTROS LIVROS DA AUTORA RESENHADOS NO BLOG:


 


Madeleine Sophie Townley, conhecida como Sophie Kinsella, nasceu em Londres, Inglaterra em 12 de dezembro 1969. Ela é irmã da também autora Gemma Townley (“Quando em Roma”, “Manual Para Românticas Incorrigíveis”, “1 Milhão de Motivos Para Casar” e etc) e de Abigail Townley, que é advogada. Cursou um ano de Música antes de trocar de curso e se graduar em Politics, Philosophy and Economics (PPE) pela New College, Oxford. Trabalhando como jornalista financeira, em 1995, aos 24 anos, sob o nome Madeleine Wickham lançou seu primeiro romance “The Tennis Party” que foi um sucesso e logo entrou para a lista de mais vendidos. Como Madeleine Wickham publicou sete livros, dois quais apenas três foram traduzidos para o português. Em 2000, enviou anonimamente para a própria editora, sob o pseudônimo Sophie Kinsella, o primeiro volume da Série Becky Bloom, “Os Delírios de Consumo de Becky Bloom”. Posteriormente intitulado “Confessions of a Shopaholic”). Este livro logo se tornou um sucesso editorial! Só em 2003, com o lançamento de “O Segredo de Emma Corrigan”, ela revelou sua verdadeira identidade. O pseudônimo Sophie Kinsella foi criado a partir do nome do meio dela, Madeleine Sophie Townley, e o nome de solteira da mãe dela, Patricia B. Kinsella.

[Sorteio] Aniversário de 5 anos do Resenhando Sonhos

postado dia 04 julho 2019


Comemorar mais um ano é sempre algo muito especial e uma data expressiva como meia década pedia uma comemoração a mais. Então, além de mais de 50 livros sendo sorteados entre o site e as redes sociais, o Resenhando Sonhos também mudou de cara e está com logo e identidade visual nova! Dá uma passadinha lá para conferir ;D

Mas vamos falar do sorteio dessa postagem? Nós do Amiga da Leitora e vários outros blogs legais fomos convidados pelos Resenhando Sonhos, para sortearemos 26 livros divididos em 4 kits com 4 ganhadores. Isso mesmo, se você for o sorteado, leva todos os livros do kit pra casa para rechear a estante! Fique atento as regras e boa sorte!

Confira as regras: 
● 4 kits – 1 ganhador por kit;
● Residir em território brasileiro;
● Cumprir com todas as regras obrigatórias de cada formulário
● Cada blog parceiro ficará responsável pelo envio do seu prêmio
● Os blogs não tem responsabilidade por extravio/perda por conta dos correios, nem em caso de endereço passado errado pelo ganhador
● O sorteio terá início em 03 de julho e término em 31 de julho de 2019;
● O resultado será divulgado em até 10 dias úteis neste mesmo post
● Os ganhadores deverão responder o e-mail de contato em até 48 horas, ou o sorteio será refeito;
● Os blogs terão um prazo de 60 dias para o envio do prêmio
● Perfis fakes ou promocionais serão desclassificados; Perfis do facebook restritos também serão desclassificados;
● Demais dúvidas, escreva para blogresenhandosonhos@gmail.com

a Rafflecopter giveaway a Rafflecopter giveaway a Rafflecopter giveaway
a Rafflecopter giveaway
BOA SORTE A TODOS!!