https://pladlivrosbr2.cdnstatics.com/usuaris/libros/fotos/306/original/portada_metamorfose_franz-kafka_201909172242.jpgTítulo Original: Die Verwandlung
Autor: Franz Kafka
Editora: Planeta - Selo Minotauro.
Páginas: 138
Ano: 2019
Gênero: Ficção / Literatura Estrangeira
Comprar: Amazon; Submarino; Americanas; Shoptime

Sinopse: E se, de repente, você acordasse metamorfoseado em um inseto monstruoso?
Clássico da literatura mundial, o fantástico de Kafka agora chega a novos leitores. A metamorfose (Die Verwandlung, em alemão) é uma novela escrita por Franz Kafka, publicada pela primeira vez em 1915. Nessa obra, Kafka descreve o caixeiro viajante Gregor Samsa, que abandona as suas vontades e desejos para sustentar a família e pagar a dívida dos pais. Numa certa manhã, Gregor acorda metamorfoseado num inseto monstruoso.
“Kafka fez perguntas que nos incomodam há cem anos. Se você for corajoso, leia.” – LEANDRO KARNAL (SKOOB)

Oi, gente!
Vocês já ouviram falar de Kafka? Bem, eu era uma daquelas pessoas que já tinha ouvido falar e quando tive a oportunidade de lê-lo não pensei duas vezes.
"A Metamorfose" de Franz Kafka foi publicado em setembro deste ano pelo selo Minotauro da Editora Planeta e com prefácio do jornalista Marcelo Hessel.


Em uma manhã Gregor Samsa acorda se sentindo estranho, não consegue se levantar rapidamente para se arrumar e ir para o trabalho, além disso ele nota algumas mudanças no seu corpo. Embora vamos acompanhando o personagem se inteirar da mudança que lhe sucedeu de repente, no início o autor já deixa claro que ele se metamorfoseou em um monstruoso inseto repugnante, como se se tornar um inseto já não fosse o suficiente para chocar. Mas se o leitor acha que isso é o pior que pode acontecer a uma pessoa está enganado, pois o que nosso protagonista passará será muito pior.
Todavia não se abriu mais a porta, e Gregor ficou ali esperando, inutilmente. - Página 70
A história é narrada em terceira pessoa e é através desse narrador que iremos conhecer um pouco da família Samsa, o papel de Gregor como provedor da família, uma vez que o pai é velho e não tem mais saúde, assim como a mãe, e a irmã que ainda é muito nova.
Esse narrador é muito importante para vermos do alto o que sucede com cada personagem, para entender a situação como um todo. Lendo iremos descobrir o que se passa na cabeça de Gregor Samsa, pois como um inseto não consegue se comunicar com as pessoas, exceto pelas atitudes que ele pode demonstrar em alguns momentos.
Sempre que a conversa chegava a essa necessidade de se ganhar dinheiro, Gregor saía dali da escuta e se jogava no frio sofá de couro que se encontrava ao lado da porta, pois ardia de constrangimento e de tristeza. - Página 81

Como o livro tem poucas páginas, qualquer informação a mais será um spoiler e isso eu não quero fazer, pois a leitura se torna mais visceral quando sabemos o mínimo possível da obra, foi o que aconteceu comigo, a única coisa que eu sabia era que o personagem principal se tornaria um inseto e ponto.

A leitura é muito, muito, muito maravilhosa. Me fez pensar mesmo após fechar o livro, me fez ver que atitudes que são tomadas na narração podem ser feitas com pessoas que não necessariamente se transformaram em um bicho.

Tem uma citação na capa do livro de Leandro Karmal que realmente faz sentido quando finalizamos a leitura. Acredito que esse é um livro para todas as idades, que deve ser lido e debatido nas salas de aulas.


A Editora Planeta também fez uma diagramação maravilhosa, as letras são agradáveis, não cansam a vista, as ilustrações de Douglas P. Lobo fazem sentido com a história e o prefácio de Marcelo Hessel nos introduz ao que esperar da obra e do próprio autor. Uma obra que fica linda na estante, mas que fica mais linda na mente do leitor.

Para todos que desejam conhecer Franz Kafka e assim como eu querem se surpreender e se apaixonar pelo autor, recomendo a leitura de "A Metamorfose".

Um forte abraço!
Até mais!

COMPRE SEU EXEMPLAR COM UM DE NOSSOS LINKS E AJUDE O BLOG SEM PAGAR NADA A MAIS POR ISSO!!

NOTA: 

Franz Kafka (1883-1924), escritor tcheco de língua alemã. É considerado um dos principais escritores de literatura moderna. Sua obra retrata as ansiedades e a alienação do homem do século XX.
Kafka nasceu em Praga, 3 de julho de 19883, cidade que pertencia ao império austro-húngaro, filho de um comerciante judeu muito abastado, cresceu sob as influências de três culturas: a judia, a tcheca e a alemã.

Título Original: The other miss bridgerton
Autor: Julia Quinn
Série: Os Rokesbys #3
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Gênero: Ficção / Literatura Estrangeira / Romance
Ano: 2019
Comprar: Amazon; Shoptime; Americanas; Submarino

Sinopse: Julia Quinn já vendeu mais 1 milhão de livros pela Editora Arqueiro. Ela estava no lugar errado… Durante um passeio pela costa, a independente e aventureira Poppy Bridgerton fica agradavelmente surpresa ao descobrir um esconderijo de contrabandistas dentro de uma caverna. Mas seu deleite se transforma em desespero quando dois piratas a sequestram e a levam a bordo de seu navio, deixando-a amarrada e amordaçada na cama do capitão. Ele a encontrou na hora errada… Conhecido entre a alta sociedade como um cafajeste e um corsário inconsequente, o capitão Andrew James Rokesby na verdade transporta bens e documentos para o governo britânico. No meio de uma viagem, ele fica assombrado ao encontrar uma mulher na sua cabine. Sem dúvida sua imaginação está lhe pregando peças. Mas, não, ela é bastante real – e sua missão para com a Coroa o deixa preso a ela. Será que dois erros podem acabar no acerto mais maravilhoso de todos? Quando Andrew descobre que Poppy é uma Bridgerton, entende que provavelmente terá que se casar com ela para evitar um escândalo. Em alto-mar, as disputas verbais entre os dois logo dão lugar a uma inebriante paixão. Mas depois que o segredo de Andrew for revelado, será que ele conseguirá conquistar o coração dela? (SKOOB)

Oiieeee, tudo bem?!

'Um Cavalheiro a Bordo' é o terceiro livro da série 'Os Rokesbys' da queridinha da minha vida Julia Quinn, a autora aposta mais uma vez no enredo de família que tem filhos muito diferentes e que rendem histórias incríveis. O primeiro livro da série é 'Uma Dama Fora dos Padrões', e já foi resenhado aqui no blog, depois temos 'Um marido de faz de conta' que é muito fofo e também tem resenha, vale a pena conferir!


'Um Cavalheiro a Bordo' traz Poppy Bridgerton, que passeava tranquilamente e acabou descobrindo o esconderijo que guardava muitas mercadorias de contrabando, ela tenta sair dessa situação, mas acaba sendo sequestrada pelos piratas, pois eles não sabiam o que fazer com ela, visto que nunca alguém tão bisbilhoteiro tinha encontrado o lugar, mas estamos falando de uma Bridgerton e sabemos que eles são imprevisíveis!
O capitão a segurou com mais firmeza.- Agora me diga o que está sentindo. – disse ele ao pé do ouvido dela.- O vento. [...] O sal do mar. [...] O movimento, a velocidade. A boca dele chegou ainda mais perto.- E...?[...] - Você.
Enquanto os piratas levam uma maluquinha para o navio, lá temos um "cavalheiro a bordo" conhecido como um devasso e irresponsável , o capitão Andrew Rokesby que organizava tudo para a temporada em alto mar, mas seus planos serão alterados pois uma Bridgerton também estará a bordo, sim, Poppy foi sequestrada pelos contrabandistas do navio de Andrew, a partir daí o enredo começa a se desenrolar.

Andrew entende toda a situação e já percebe que terá muitas aventuras, pois Poppy é uma Bridgerton e quem leu o livro 'Uma Dama Fora dos Padrões' vai ver a ligação direta entre os personagens. Poppy ficará "hospedada" na cabine do capitão e isso é o ponto inicial para que esses dois comecem a se conhecer melhor e descobrir que eles tem muitas coisas em comum.
Onde mais ele encontraria uma mulher que achasse gaiolas pombalinas um assunto interessante? Que conseguisse pegar cada comentário sarcástico que ela fazia, torcê-los, virá-los do avesso e devolvê-los de forma ainda mais sagaz.

Eu estava muito ansiosa para ler este livro, gostei muito dos anteriores. Julia Quinn continua com sua escrita fluida e viciante, ela tem o poder de envolver o leitor e levá-lo a imaginar cada detalhe que ela descreve, isso é o que mais me encanta nessa autora, então em 'Um Cavalheiro a Bordo' temos um enredo bem interessante, porém em minha opinião apesar do estilo de escrita de Júlia, o espaço da narrativa é muito reduzido, passa em alto mar e isso em alguns momentos me desanimou um pouco, pois eu estou acostumada com romances de épocas que tem bailes, passeios e muito mais. Nesse livro isso não acontece, mas depois me acostumei com o espaço físico da narrativa.


Os personagens são muito bem construídos, Poppy é independente, inteligente e muito rápida em suas respostas, gosto dessas mocinhas que Quinn escreve com muita maestria. Andrew é cavalheiro (como o título do livro já diz, hahahahaha!), inteligente e muito fofo, sou aquela que morre de amor por personagem fofo, o livro tem mais alguns personagens que não são tão aprofundados, mas que tem sua relevância durante a narrativa. Se você gosta de personagens fofos e com diálogos rápidos e divertidos, então 'Um Cavalheiro a Bordo' é uma opção.


Gostei da leitura, mas dois aspectos não foram tão bons para mim, a narrativa ter o espaço físico muito limitado e também em relação aos casais anteriores da mesma série, apesar de ter gostado muuuuuuuuito de Poppy e Andrew, eles não foram meus preferidos, mas isso não significa que não me encantaram, pelo contrário, mas não ultrapassaram a fofura dos dois primeiros livros! Apesar disso, recomendo muito a leitura, gente, estamos falando de Julia Quinn e nenhum livro dela que li me decepcionou, sempre término com um sorriso no rosto e o coração quentinho!

E aí, já leu algum livro dessa série? 
Me conta! 
Beijo!

COMPRE SEU EXEMPLAR COM UM DE NOSSOS LINKS E AJUDE O BLOG SEM PAGAR NADA A MAIS POR ISSO!!

NOTA:

OUTROS LIVROS DA AUTORA RESENHADOS NO BLOG:

        

Julia Quinn começou a trabalhar em seu primeiro romance um mês depois de terminar a faculdade e nunca mais parou de escrever. Seus livros já atingiram a marca de 8 milhões de exemplares vendidos, sendo 3,5 milhões da série Os Bridgertons. É formada pelas universidades Harvard e Radcliffe. Seus livros já entraram na lista de mais vendidos do The New York Times e foram traduzidos para 26 idiomas. Foi a autora mais jovem a entrar para o Romance Writers of America’s Hall of Fame, a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos, e atualmente mora com a família no Noroeste Pacífico.

Título Original: Macbeth
Autor: Jo Nesbo
Série: Hogarth Shakespeare #07
Editora: Record
Páginas: 518
Gênero: Ficção / Literatura Estrangeira / Suspense / Policial
Ano: 2019
Comprar: Amazon; Shoptime; Americanas; Submarino

Sinopse: A sombria tragédia escrita pelo dramaturgo mais influente do mundo recontada por um dos maiores autores de thrillers policiais da atualidade. Em uma cidade industrial cinzenta e chuvosa na década de 1970, a polícia concentra todos os seus esforços em acabar com o tráfico de drogas e a violência, bem como a criminalidade que decorre disso. Duncan, o novo comissário-chefe, é um idealista e um visionário, a favor de uma gestão transparente e engajado na luta contra qualquer forma de corrupção. Ele é um sonho para a população. E um pesadelo para os criminosos. A missão da polícia não é nada simples. O mercado de drogas da cidade é comandado por dois homens – Sweno, líder de uma perigosa gangue, e Hécate, um mestre da manipulação, que tem ligações com as esferas mais elevadas do poder. Mas Duncan tem uma poderosa arma: Macbeth, o chefe do Grupo de Operações Especiais, um homem do povo. E também uma pessoa ambiciosa, influenciável e com tendências paranoicas e violentas. E, o que muitos não sabem, um ex-viciado. Uma presa fácil para Hécate. Quando uma operação para apreender um carregamento de drogas se transforma em um banho de sangue, Macbeth e sua equipe são encarregados de limpar a bagunça. Sua recompensa: poder, dinheiro, respeito. Infectado pela cobiça, culpa, tomado por alucinações e influenciado por sua amada Lady, Macbeth embarca em uma jornada sem volta de sangre e traição. (SKOOB)

Oieeee, tudo bem?

Lançado pela Editora Record, "Macbeth" é mais um livro do renomado Jo Nesbo, autor com mais de 40 milhões de exemplares vendidos pelo mundo inteiro e que continuam sendo publicados e fazendo o mesmo sucesso.


Kennet trabalhou por 25 anos como comissário-chefe de sua cidade, ele tratava a mão de ferro, pois era como um ditador, impunha suas vontades e abusava de sua autoridade. Anos depois, Kennet morre e em seu lugar assume Ducan, que é um profissional muito honesto e que queria o melhor para todos, por esse motivo já faz mudanças significativas de chefes dos setores policiais, com o objetivo de acabar com a corrupção, porém ele ainda não encontrou um líder para a Unidade de Crimes Organizados, muita gente deseja esse cargo.

Walt Kite é um jornalista que enfrentava Kennet, denunciando que as indústrias estavam em escassez, ao mesmo tempo o tráfico e cassinos se proliferavam. Mas ao ser destemido ele atiçou dois poderosos: Sweno, o cabeça da gangue Noise Riders, e Hécate, o criador da brew, uma espécie de droga que custa bem mais barato que as outras drogas existentes e tem um efeito mais duradouro. Esses dois homens são capazes de passar por cima de qualquer pessoa para alcançarem seus objetivos, qualquer pessoa mesmo.

Ao descobrir uma transação de drogas que Sweno faria, Hécate o denúncia para as autoridades, essa informação privilegiada está em poder do inspetor Duff que já de olho na vaga da unidade de crimes, quer pegar Sweno, mas algo dá errado e ele é salvo por Macbeth, chefe do seleto grupo de Operações Especiais. Depois disso quem ganha o cargo é Macbeth e não Duff. Macbeth é um policial exemplar, mas tem duas falhas graves, pois é um ex viciado (possível de recaídas) e namora com a perigosíssima e influente dona do cassino, Lady é a mulher que levará Macbeth a fazer coisas inimagináveis e que custará muito caro.


Como já observamos o enredo de "Macbeth" é instigante, cheio de tramas e ação, eu adoro livros que tem esse ritmo rápido e cheios de gangues, cada cena trazia um acontecimento, cada vez mais ia passando as páginas e me sentindo como em um filme de suspense policial, os cenários são bem descritos e fazem o leitor se sentir em cada espaço mostrado no decorrer da trama, isso é um ponto que muito me agradou. Jo Nesbo se destacou para mim como um bom escritor de suspense, lembrando que esse é o meu primeiro contato com ele e ainda tenho minhas ressalvas.

Macbeth é também uma releitura da peça de Shakespeare. Esse livro de Jo Nesbo faz parte do projeto Hogarth Shakespeare, autores de sucesso dão sua versão para as maravilhosas histórias do grandioso Shakespeare, Jo Nesbo foi o sétimo autor selecionado para dar vida a esse clássico. No caso dessa peça mostra a trajetória de Macbeth que ganhou a guerra e voltando com seu amigo Banquo encontram três feiticeiras que dizem que ele será um Barão e reinará logo depois da morte de Ducan, o que realmente acontece, porém com pressa de ser o soberano, sua esposa o aconselha a matar logo o rei, entretanto isso será a porta para vários empurrão e erros. O que chama atenção é Jo Nesbo trazer toda essa trama num espaço bem mais atual e como eu disse parece que estamos dentro de um filme, desviando de tiros e se infiltrando em gangues, acho que isso que deixa tudo mais legal e eletrizante.


Alguns aspectos me incomodaram, um deles foi o fato de algumas informações não serem tão claras quanto ao enredo, alguns detalhes passaram despercebidos, não me aprofundarei para não dar spoiler, mas já digo que talvez eles passem despercebidos, pois não é nada que incomode demais na narrativa, então relaxe ... hahahah!

Os personagens construídos por Nesbo me deixaram confusa, mas no melhor dos sentidos, eles são tão tridimensionais. O personagem principal Macbeth é uma incógnita, ele tem atitudes fortes e se mostra bem resolvido, tudo que ele faz parece bem planejado e ao mesmo tempo observamos como ele é também estrategista, gostei da forma como ele se mostra gente como a gente, capaz de erros, intenso e decidido ir até o fim pelos seus objetivos. Gostei até de alguns personagens não muito convencionais.

A história faz algumas críticas à sociedade e faz com que o leitor reflita sobre corrupção, pessoas sedentas por poder, falta de caráter e tantas outras questões que parei para analisar e vi que apesar do enredo se passar em uma outra época tem tudo a ver com o que enfrentamos na sociedade atual. Recomendo muito o livro para pessoas que gostam de suspense policial e muita ação, brinque de detetive e entre nas tramas de Jo Nesbo.

E aí!? Gostam de romances policiais?
Já leram Jo Nesbo?
Me contaaaaa tudo!

COMPRE SEU EXEMPLAR COM UM DE NOSSOS LINKS E AJUDE O BLOG SEM PAGAR NADA A MAIS POR ISSO!!

NOTA:

OUTROS LIVROS DO AUTOR RESENHADOS NO BLOG:

 

Escritor e músico norueguês premiado pelo Edgar Award. Formou-se na Escola Norueguesa de Economia e Administração de Empresas com uma licenciatura em Economia. Nesbø é célebre sobretudo por seus romances de crime sobre o detetive Harry Hole, mas ele é também o principal vocalista e compositor da banda de rock norueguês Di Derre. Seus livros venderam mais de um milhão e meio de cópias na Noruega e sua obra foi traduzida para mais de quarenta línguas. Em 2009, foi agraciado pelo prêmio de reconhecimento pelo público da revista Dagbladet ao ter três de seus livros estado no topo da lista de livros mais vendidos na Noruega. Ele também escreveu uma série de livros infantis sob o título Doktor Proktors prompepulver.

Título Original: The Search
Autor: Nora Roberts
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 462
Ano: 2019
Gênero: Romance
Comprar: Amazon; Submarino; Americanas; Shoptime

Sinopse: Há muitos anos, Fiona Bristow foi a única vítima que escapou das garras do Assassino da Echarpe Vermelha, o serial killer que matou seu noivo e seu amado cão. Após o trauma, ela escolhe reconstruir sua vida em uma ilha no noroeste do Pacífico, trabalhando como adestradora e voluntária na unidade canina de busca e resgate local. Quase que ao mesmo tempo que Simon Doyle e seu rebelde cachorro entram na vida de Fiona, uma nova série de assassinatos surge para assombrá-la. Um imitador, inspirado pelo encarcerado assassino original, está à solta e cada vez mais próximo do seu principal alvo. Enquanto a polícia e o FBI rastreiam o criminoso, Fiona lutará para se vingar da melhor maneira possível: sobrevivendo mais uma vez e aprendendo a amar novamente. (SKOOB)

"Uma Sombra do Passado" escrito por Nora Roberts, foi um dos lançamentos publicado pela Bertrand  Brasil nesse ano de 2019, e o que me impulsionou para lê-lo, definitivamente foi a autora. Nora Roberts é conhecida no mundo todo e bastante aclamada, sendo mais prolífica até do que Stephen King (na minha opinião). Apesar de ser leitora há uns bons anos nunca tinha lido nada dela, esse livro provavelmente não teria sido a minha primeira escolha, mas estou feliz em dizer que foi um primeiro contato maravilhoso e estou ansiosa por mais livros.


A história começa com Fiona Bristow fazendo uma busca por um garotinho que sumiu, ela é a fundadora e líder da Unidade de Busca e Resgate – ou seja, ela treina cães e muitas vezes seus parceiros humanos para auxiliarem as autoridades na busca de vítimas desaparecidas – devo dizer que enquanto lia o prólogo fiquei bastante assustada pois tinha lido a sinopse e achei que estávamos oito anos atrás presenciando o seu sequestro. Um serial killer conhecido como Assassino da Echarpe Verde foi responsável por matar 12 estudantes universitárias, até que Fiona se libertou e conseguiu fugir, entregando-o ao FBI e garantindo a sua prisão, desde então ela vive em uma ilha e se dedica ao seu maior amor: treinar os cães.
Ele devia ter vindo atrás de mim primeiro. Esse foi o erro de ambos. Eu estava tranquila, me sentia segura. Seria um alvo mais fácil. Em vez disso, eles quiseram me apavorar. Que idiotice. - Página 357
Anos depois ela conhece Simon Doyle, um escultor que se mudou recentemente para Ilha de Orcas e não tem o menor tato com cachorros, ele precisa que Fiona o ajude a treinar Tubarão. Ao mesmo tempo em que um novo serial killer surge e parece estar usando o mesmo modus operandi que o antigo sequestrador de Fiona, que por acaso se encontra preso; a partir daí ela se torna um alvo e acompanhamos tanto a evolução do seu relacionamento com Simon como sua busca para descobrir quem é esse assassino e mais importante como se proteger dele e sobreviver novamente.


Apesar de grande com suas 461 páginas, o livro flui muito bem e em nenhum momento a leitura foi maçante, a adição de outros pontos de vista na história ajudou bastante a ter um panorama geral da situação e principalmente aumentou a tensão uma vez que eu era capaz de estar na mente do assassino. A forma como o relacionamento dos personagens se desenvolve é bastante orgânica, gostei de como Fiona é sincera e direta sobre o que quer, isso mostrou a maturidade dos personagens e os distanciou de todo o drama adolescente.
Ele passara boa parte da vida numa prisão que impusera a si mesma. Mas teria glória. No fim, no inevitável fim, ele teria glória. - Página 342
Com relação aos personagens coadjuvantes, a autora não foi muito feliz ao meu ver, eles aparecem pouco, principalmente James e a mãe de Fiona, sinceramente achei muito irreal uma mãe que não vem ao menos visitar a filha ao saber que um assassino está aparentemente atrás dela, pelo contrário ela raramente é mencionada na história e eu só descobri que ela existia mais da metade do livro; já o suposto melhor amigo teve no máximo dois diálogos e nunca compartilhou um momento significativo com a protagonista. Outro ponto que me irritou foi o excesso de adjetivos para descrever as pessoas, pareceu que a autora queria definir os personagens naquele momento, ao invés de deixar que o leitor tirasse suas próprias conclusões.


O final em si foi bastante simples se considerarmos toda a tensão e expectativa criada pela autora, eu adoraria que durasse mais que uma página e houvesse mais drama envolvido. No geral é um bom livro, acredito que ele cumpriu em sua maioria o que prometeu, não espere um thriller, pois o livro fala sobre superação e amor. Mesmo com esses defeitos não tirou o mérito da autora e eu recomendo para quem tem curiosidade de conhece-la ou é fã de livros de romance.

COMPRE SEU EXEMPLAR COM UM DE NOSSOS LINKS E AJUDE O BLOG SEM PAGAR NADA A MAIS POR ISSO!!

NOTA

Nora Roberts é um dos maiores fenômenos editoriais da história. Vendeu mais de meio bilhão de exemplares em todo o mundo e teve sua obra traduzida em mais de quarenta idiomas. Todos os seus livros publicados desde 1999 entraram na lista de best-sellers do New York Times, ocupando por cerca de duzentas semanas o topo do ranking. Escrevendo como J. D. Robb, é autora da série Moral, a mais bem-sucedida série policial do mundo.

Título Original: The chain
Autor: Adrian Mckint
Editora: Record
Páginas: 378
Gênero: Suspense / Mistério/ Trilher
Ano: 2019
Comprar: Amazon; Shoptime; Americanas; Submarino

Sinopse: Vítima. Sobrevivente. Sequestrador. Criminoso. Você vai se tornar cada um deles. O dia começa como qualquer outro. Rachel Klein deixa no ponto de ônibus a filha de 13 anos, Kylie, e segue sua rotina. Mas o telefonema de um número desconhecido muda tudo. Do outro lado, uma voz de mulher avisa que Kylie está no banco de trás de seu carro, e que Rachel só verá a filha de novo se pagar um resgate ― e sequestrar outra criança. Assim como Rachel, a mulher no telefone é mãe, também teve o filho sequestrado e, se Rachel não fizer exatamente o que ela manda, o menino morre, e Kylie também. Agora Rachel faz parte da Corrente, um esquema aterrorizante que transforma os pais das vítimas em criminosos ― e, ao mesmo tempo, deixa alguém muito rico. A Corrente é implacável, apavorante e totalmente anônima. As regras são simples: entregar o valor exigido, escolher outra vítima e cometer um ato abominável do qual, apenas vinte e quatro horas antes, você se julgaria incapaz. Rachel é uma mulher comum, mas, nos dias que se seguem, será levada a extremos que ultrapassam todos os limites do aceitável. Ela será obrigada a fazer escolhas morais inconcebíveis e executar ordens terríveis. Os cérebros por trás da Corrente sabem que os pais farão qualquer coisa pelos filhos. Mas o que eles não sabem é que talvez tenham se deparado com uma oponente à altura. Rachel é inteligente, determinada e... uma sobrevivente. (SKOOB)

Lançado pela Editora Record em 2019, "A Corrente" do autor Adrian McKinty, vem fazendo o maior sucesso, principalmente entre os amantes de suspense! O livro já me ganhou pelo enredo que ao mesmo tempo que é bem enigmático é também muito instigantes, assim que peguei-o em mãos, iniciei a leitura.


A protagonista é Rachel Klein, uma mulher que tem enfrentado problemas graves de saúde, mas que será mais uma vez surpreendida negativamente pela vida. Rachel acorda com sua filha e faz o mesmo que todos os dias: tomam café, arruma a filha e a deixa no ponto de ônibus, Kylie que tem 13 aguarda para ir à escola. Rachel vai ao médico para recolher uns exames e bem depois recebe uma ligação, Kylie é sequestrada e tudo muda a partir daí.


Kylie é sequestrada e eu já fiquei chocada porque eu mal tinha começado o livro e já estava cheio de ação, Rachel recebe as ordens para que as executem o mais rápido possível, ela precisa pagar o resgate e sequestrar outra criança para que a corrente continue. Ela deve fazer essas ações e não chamar polícia, pois se algo der errado, Kylie morrerá.

Então, já deu pra perceber o quão intenso é esse livro, um enredo que prende desde a primeira página, eu fiquei instigada para saber o que ia acontecer, se Rachel ia mesmo cumprir todas as exigências da “Corrente”, afinal sempre dizem que uma mãe é capaz de tudo para salvar seu filho e é realmente isso que o livro mostra a cada capítulo. O ritmo de leitura é frenético e o fato de os capítulos serem curtos ajuda demais para uma leitura mais acelerada, creio que o fato de o leitor se ver o tempo todo bem curioso para entender o porquê de tudo isso faz que a leitura seja fluída.

A vida é frágil, passageira e preciosa. E o simples fato de viver já é um milagre.
Outra aspecto que me chamou a atenção é a forma como os personagens são construídos, pois ao mesmo tempo que eu pensava que eles poderiam agir de tal forma, ficava apreensiva quando suas ações era totalmente imprevisíveis ... São personagens redondos que mostram a sagacidade do autor em fazer com que estes sejam o mais verossímil possível.

Morrer não é a pior coisa que pode acontecer com uma pessoa. A pior coisa que pode acontecer a alguém é ver alguma coisa acontecendo com seu filho.
A edição da Editora Record está lindíssima, gosto do contraste entre preto e vermelho. A capa traz um balanço e confesso que já me ganhou no primeiro momento. Os capítulos são curtos e ágeis e se alternam entre os criadores da Corrwbte e as famílias que estão na luta pela sobrevivência dos filhos sequestrados, acredito que esse enredo seja o diferencial desse livro, pois eu nunca tinha visto nada assim, apesar de o próprio autor afirmar que se inspirou em casos de sequestros onde os familiares trocavam de lugar com o ente querido que foi sequestrado antes, esses aconteceram no México e hoje servem de base para o livro "A corrente" e que anteriormente era somente um conto.
É agora ou nunca. A gente tem que arriscar.—Ok então.—Lá vamos nós
Apesar de ser uma obra instigante do início ao fim e uma leitura que passa rapidamente, o final não foi surpreendente para mim, acredito que não consegui compreender o porquê de tudo isso, na verdade os motivos poderiam ser mais convincentes e o desfecho para o vilão poderia ter sido mais drástico. Mesmo assim, a leitura foi muito legal e com certeza eu indico sim, principalmente para leitores iniciantes no gênero trilher.


Na Bienal do Livro de 2019, o stand da Editora Record tinha um espaço dedicado para a divulgação desse livro e eu não perdi a oportunidade de fazer a minha foto!

E aí, já leu!!?
Meeee contaaaa tudooo!

COMPRE SEU EXEMPLAR COM UM DE NOSSOS LINKS E AJUDE O BLOG SEM PAGAR NADA A MAIS POR ISSO!!

NOTA: 

ADRIAN McKINTY nasceu e cresceu em Carrickfergus, na Irlanda do Norte. Estudou Filosofia na Universidade de Oxford com bolsa integral e emigrou para os Estados Unidos. Publicou dezenas de suspenses premiados com o Edgar Award, o Ned Kelly Award e o Anthony Award. Seus livros foram traduzidos para mais de vinte idiomas. Escreve crítica literária para o Sydney Morning Herald, o Irish Times e o Guardian. Mora em Nova York com a mulher e duas filhas.