Pulseira A Culpa é Das Estrelas

slide1

Top Comentarista Você Escolhe o Livro

slide2

Melhores Ilustrações de Fangirl

slide3

Qual seu Gênero Literário Favorito?

slide4

Mini Butter Cookies Lata Hello Kitty

slide5

4° Edição da turnê da Intrínseca - Ultima Parada: Rio de Janeiro
























No dia 13 de abril foi a última parada do evento promovido pela Editora Intrínseca, que aconteceu no Rio de Janeiro na Livraria Cultura. O evento é basicamente para apresentar os lançamentos e novidades que estão por vir na editora. Esse é o segundo do qual participo e quando cheguei a livraria foi impossível não comparar com o do ano anterior.

Peço desculpas a editora, mas a organização do evento estava uma porcaria, o que o do ano anterior teve de organizado, esse teve de desorganizado a começar pela distribuição das senhas. Na página do evento a editora publicou que haveria três sessões pra que todos ficassem cientes, a primeira ás 15hs, a segunda ás 17hs e a última ás 19hs.



Mesmo chegando com antecedência acabei pegando a segunda sessão, e ok, tudo bem até aqui, porém, a editora resolveu começar a distribuir as senhas para a segunda sessão apenas 16hs da tarde e fez com que ficássemos na fila por pouco mais de uma hora. Imagino o quanto aquelas pessoas que chegaram cedo e não pegaram nem a segunda sessão, tiveram que ficar esperando muito mais que uma hora, é muita falta de respeito deles.

Nada contra eles fazerem isso, o problema é que não tinha necessidade, eles podiam distribuir todas as senhas juntas já que só podíamos entrar no teatro da editora com a senha na mão, ou seja, não teria como "fraudar" ou algo assim.

E a segunda coisa que me deixou super chateada foi também a organização dentro da livraria, primeiro teve a formação de fila, depois eles disseram que não era necessário formar fila porque as pessoas iam entrando e sentando onde queriam, depois eles disseram para formar uma fila de novo. ENTÃO PORQUE ELES DISSERAM PRA DESFAZER A PRIMEIRA QUE ESTAVA TODA ORGANIZADA?!?!? (Um gif para demonstrar minha indignação, aqui)














































Por fim o evento começa e lá dentro as coisas são bem melhores, bem mais organizadas. Assim como o ano anterior eles apresentaram váaaaaarios lançamentos legais, ficou quase impossível sair de lá e não comprar pelo menos um livro (só não comprei porque o que eu queria tinha acabado), já inseri uns cinco deles na minha wishlist e mal posso esperar para comprar, bienal que me aguarde! 

O momento mais aguardado do evento, era obvio, os sorteios e eu como sempre não ganhei, nem mesmo alguém do meu grupo (ELES SORTEARAM UM KOBO!), mas todos nós que participamos ganhamos um brinde da turnê que é super fofo, uma bolsinha com alguns buttons, um lápis, marcadores de páginas, um pin e um bloquinho com alguns dos lançamentos e o restante de folhas para anotações.



























Bom, mesmo com todas essas coisas que me deixaram chateada com a equipe do evento, valeu mesmo muito a pena participar, foi muito divertido e tiveram muitos surtos dos leitores, quero muito participar das outras, mas por favor editora Intrínseca arrume melhor as coisas #FicaADica

Ah sim, já ia me esquecendo, no final também ganhamos um vale presente e com ele podemos escolher qualquer livro da editora, em ebook no site do KOBO, eu ainda não decidi qual livro vou pegar, mas provavelmente será um desses que me deixaram louca no evento. 

Enfim, vou ficando por aqui :

Beijos e até a próxima! (Outro gif, rs)
Fernanda Gonçalves.

Leituras do Mês - Março


Olá pessoal! Esse é o primeiro post coletivo de Leituras do mês do blog e queremos aqui compartilhar um pouquinho mais de tudo o que lemos no mês e o que achamos dele, espero que gostem. Vamos lá!

Thais


Quantos livros li no mês: Ao contrário dos meses anteriores este mês consegui bater minha meta de no minimo 4 leituras. Como eu trabalho o dia todo, de segunda a sábado, estabeleço a meta de um livro por semana, se eu consegui ler mais melhor ainda! 

Melhor leitura do mês: "Meia-Noite na Austenlândia"!! Não que tenha sido a melhor leitura de todos os tempos, mas dentre esses que eu li foi um dos que mais me prendeu. 

Pior leitura do mês: "A Mais Pura Verdade", não que tenha sido um livro ruim, mas o protagonista me decepcionou em um certo momento da leitura.

Demais leituras:

Geek-Girl 1 - Holly Smale: Um livro muito divertido, fácil e rápido de ser lido. Gosto muito de enredos juvenis (desde que bem elaborados) e a clichê época do colegial, então essa foi uma leitura muito boa.

O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry: Na verdade essa foi uma releitura, mas em uma edição totalmente diferente da minha primeira leitura, que foi um e-book. Simplesmente amei a qualidade da diagramação e o trabalho incrível da editora Geração. Sem falar no poder que esse livro tem de sempre nos trazer uma nova lição de vida, mesmo que você o esteja lendo pela centésima vez.


Fernanda


























Quantos livros li no mês: Eu nunca fui muito de sair contando quantos livros eu consigo ler num mês, porém tenho uma média (de 4 a 8) como qualquer leitor que se preze. Mas, como sempre esqueço quais e quantos livros li naquele determinado mês, eu resolvo marcar tudo no skoob (obrigada por existir, haha) usando as tags de estante. Por isso eu sei que nesse mês li apenas 4 livros, mas mesmo não sendo um mês tão produtivo não zerei.

Melhor leitura do mês: "Garota Online", esse livro chegou de surpresa aqui em casa e preciso dizer que estava na lista dos livros que não queria ler, mas assim que o peguei a curiosidade falou mais alto, acabei não resistindo e me apaixonando completamente pelo livro. Sem dúvidas ele entrou pra minha listinha de livros favoritos.

Pior leitura do mês: "Anexos", eu definitivamente não queria colocar esse livro nessa categoria, e eu amei ele. Então, imaginem ele como uma leitura "mais ou menos". Apesar de ter gostado bastante do livro eu demorei bastante pra ler e algumas partes foram meio cansativas pra mim. A leitura não fluiu tão bem quanto esperava.

Demais leituras:

Amante Desperto - J.R. Ward: Uma das minhas metas de leitura para esse ano é ler todos os livros da Irmandade da Adaga Negra que tenho e estou tentando ler pelo menos um por mês. E esse livro foi um dos melhores que li esse mês, finalmente eu fui conquistada pelos irmão guerreiros e eu recomendo essa saga pra todos aqueles que são fãs de vampiros, ela é maravilhosa!

True - Erin McCarthy: O que falar desse livro? Foi um dos melhores "New adult" que li! "True" também entrou para minha lista de livros favoritos. Ele é muito amorzinho ()! Já tem resenha dele aqui no blog, e vale super a pena ser lido, recomendo!


Ana Luisa


Quantos livros li no mês: Normalmente nas minhas férias eu sempre leio muito, juntando os dois primeiros meses do ano eu consegui ler 28 livros (porque estava de férias em casa). Março as aulas voltaram e a média de leitura caíram muito, então cheguei ao final do mês lendo apenas 5 livros.

Melhor leitura do mês: "Um Lugar no Coração" da Amy Hatvany, que foi o primeiro livro que recebi de parceria com a Editora Record. Foi um livro que eu solicitei sem grandes esperanças mas que no final me surpreendeu muitíssimo, virou um dos meus queridinhos, por isso ganhou um lugar no meu coração e virou a melhor leitura do mês.

Pior leitura: "Decapitados" do Leonardo Brasiliense, que recebi em parceria com a Benvirá. O livro na verdade começou de forma bem instigante e intrigante, eu achei que ia gostar bastante por ter um certo mistério. Foi um enredo construído de uma forma muito boa, mas no final - não sei se foi o autor ou se foi eu - ficou tudo muito confuso. Realmente não gostei do final, achei que atrapalhou todo o começo da estória.

Demais leituras:

Amrik - Ana Miranda: Esse é um livro de literatura Brasileira contemporânea que eu li para faculdade, eu gostei bastante, foi uma surpresa, e eu tenho aprendido gostar desse gênero de leitura, por isso entrou para minha listinha de favoritos.

Peça-me o que quiser agora e sempre - Megan Maxwell: Foi uma leitura legal, mas para passar o tempo, se trata de uma trilogia que eu já ouvi falar bastante, e estava com muita vontade de ler.

O Príncipe das sombras - Sylvain Reynard: Esse livro é uma espécie de apresentação da série Noites em Florença, que é a nova série do autor da trilogia 'O Inferno de Gabriel', da qual eu sou apaixonada, então queria muito ler esse novo projeto do autor, pois ele escreve muito bem, e eu já imaginava que ele iria brilhar. Devorei a leitura, é muito bom!


Priscila



Quantos livros no mês: Infelizmente neste mês consegui ler apenas dois livros, normalmente mantenho uma média de quatro, mas como tive muita correria com semana de prova e páscoa acabei me atrasando bem com minhas leituras :/

Melhor leitura: Dos dois, Wereworld do Curtis Jobling foi o melhor, eu não sabia que ele viria para mim, mas quando vi que ele estava no catalogo da Benvirá já fiquei super curiosa. O livro simplesmente me encantou e já estou dooooida para ler a continuação da série, mas ainda me falta grana para comprá-los =(

Pior leitura: Ok, não posso dizer realmente que 'Principe da Noite' foi uma leitura ruim, mas convenhamos, não foi das melhores (hahaha). Foi um livro longo para ler, isso também ajudou a me atrasar nas leituras, não foi muito fácil. Mas logo mais teremos resenha aqui no blog sobre ele para vocês conferirem.


Espero que assim fique mais fácil para vocês acompanharem nossas leituras, e também queremos aproveitar esse espaço para saber o que vocês leram no mês, quais foram suas melhores e as piores leituras. Queremos conhecer livros, autores e editoras novas, então fiquem a vontade para recomendar suas leituras para uma de nós quatro!

XOXO

[Resenha] O Sétimo Filho - @BertrandBrasil

Título Original: Seventh Son
Autor: Joseph Delaney
Editora: Bertrand Brasil
Série: Livros 1 e 2
Ano: 2015
Páginas: 512
Gênero: Literatura Juvenil, Ficção
Sinopse: Em um mundo dividido entre luz e trevas, John Gregory, o Caça-Feitiço, é o sétimo filho de um sétimo filho e mantém uma cidade do século XVIII relativamente bem e longe dos maus espíritos. No entanto, ele não é mais jovem e suas tentativas de treinar um sucessor foram todas mal sucedidas - os pouquíssimos que terminaram o aprendizado são medíocres ou fracos ou covardes, e não se igualam a ele. Sua última esperança é um menino chamado Thomas Ward, também sétimo filho de um sétimo filho. De alguma forma, Thomas terá de aprender a exorcizar fantasmas, deter feiticeiras e amansar ogros que surgem sempre que o sol se põe. Seu primeiro desafio será grande - ele terá de enfrentar a Mãe Malkin, a mais terrível e poderosa feiticeira do Condado. O Sétimo Filho reúne os dois primeiros volumes da série 'As Aventuras do Caça-Feitiço' - 'O Aprendiz' e 'A Maldição'. (Skoob)

Nesta edição maravilhosa que a Editora Bertrand fez, encontramos os dois primeiros volumes da série 'As Aventuras do Caça-Feitiço'. Vou começar falando de cada um separadamente e no final falo do livro inteiro.

Primeiro começamos com 'O Aprendiz' que é o primeiro livro da série. Nele conhecemos a história de Tom Ward, um sétimo filho de um sétimo filho, e no Condado onde eles vivem, ser um sétimo filho de um sétimo filho significa ter um dom. Eles conseguem ver o que outras pessoas não veem durante a noite, ou seja, eles tem uma sensibilidade muito grande para encontrar criaturas das trevas que perambulam pelo nosso mundo.

A história é narrada pelo próprio Tom, ele vive em uma fazenda e seu pai precisa encontrar um ofício para ele, assim como encontrou para todos os seis irmãos de Tom e é ai que conhecemos John Gregory, o caça-feitiço que aceita Tom por um mês para ver se ele irá se qualificar como seu aprendiz.


Nossa jornada com Tom e o Sr. Gregory começa ai, eles saem da fazenda de Tom e vão caminhando para Chipenden, onde se encontra a casa do caça-feitiço, porém no caminho Sr. Gregory passa com Tom por outras cidades afim de começar os testes e ver o quão corajoso Tom é.

Chegando a Chipenden Tom começa seu aprendizado sobre as criaturas das trevas, principalmente sobre ogros e feiticeiras e também sobre mulheres que usam sapatos de bico fino. É então que a ação do livro realmente começa. O Caça-feitiço mostra a Tom, Mãe Malkin, uma feiticeira poderosíssima que está trancafiada em um poço no jardim leste da casa e neste meio tempo Tom conhece Alice, uma garota de sua idade que usa sapatos de bico fino e vestido preto. O que será que o Caça-feitiço quis dizer com mulheres que usam sapatos de bico fino? Hahaha descobriremos lendo, é claro.

O verdadeiro teste de Tom neste livro só acontecerá quando Mãe Malkin se libertar do poço. Tom contará apenas com a ajuda de Alice para derrotar Mãe Malkin, mas muitas dúvidas surgem quanto a garota, será que ela é boa ou má?


Já na segunda parte temos o livro 'A Maldição', aqui já fazem quase seis meses que Tom está treinando como aprendiz do Caça-feitiço, o livro começa com Tom prendendo um ogro sozinho e tentando salvar a vida do padre Gregory, irmão do caça-feitiço. Há um certo preconceito com padres por parte dos caça-feitiços, e nesse livro eles explicam muita coisa sobre isso principalmente porque os dois passam a maior parte do livro em Priestown, a cidade com maior número de padres do Condado.

Primeiro eles vão para Priestown, para o velório do padre Gregory, que infelizmente não aguentou o ataque do ogro estripa-reses que Tom prendeu no inicio do livro e segundo, porque há o Flagelo. A criatura maligna que eles devem enfrentar nesta aventura. O Flagelo é temido por todos, inclusive pelo Sr. Gregory que já o enfrentou vinte anos antes e quase não sobreviveu para contar a história, e também é conhecido por seu incrível poder de entrar na mente de pessoas fracas e controlar essas pessoas para fazerem o mau e muitos acabam se suicidando por não aguentarem a pressão do Flagelo em suas mentes.


Como no livro anterior, o Flagelo acaba escapando de sua prisão nas catacumbas da catedral de Priestown graças a Alice que queria se vingar do Alto Inquisidor pelas maldades cometidas, não vou entrar em detalhes quanto a isso se não acabarei dando muuuitos spoilers que são importantes. xD Mas mais uma vez nosso herói Tom salva o dia, o caça-feitiço e a pele de Alice.

Bem, o livro é muuuuito bom, a escrita é envolvente e a leitura rápida e gostosa, recomendo a todos que leiam, principalmente se você gosta de feiticeiras, ogros e criaturas sombrias. Eu já estou louca para ler os outros livros da série. *-*


Eu não falei muito da Alice ai em cima, porque meio que tudo que gira em torno dela é um spoiler e tanto, mas ela é uma personagem muito interessante. Podemos ver que ela gosta do Tom, mas ainda não se decidiu realmente em sua forma de agir, não sabe para qual lado seguirá, trevas ou luz, e eu ainda não me decidi se gosto dela ou não xD (hahaha).

Já o Tom e o Sr. Gregory nós aprendemos a amar desde o início, mesmo o velho caça-feitiço sento misterioso e muito preservado quando se trata de seu passado. São personagens maravilhosos que já fazem parte da minha vida como muitos outros personagens de outros livros por ai. :) Está favoritado!

NOTA:

Beijos, Pri!

Joseph Henry Delaney, conhecido como Joseph Delaney, é um ex-educador e, atualmente, um autor de ficção científica e livros de fantasia. Delaney aposentou-se de sua posição como um educador, a fim de dedicar suas energias na carreira de escritor em tempo integral. Ele mora em Lancashire, Inglaterra, com sua mulher. Tem três filhos e quatro netos.

[Resenha] Sua Última Duquesa - @EditoraRecord

Sua Última Duquesa Titulo Original: His Last Duchess
Autor: Gabrielle Kimm
Gênero: Ficção escocesa
Edição: 2015
Editora: Record
Paginas: 350
Sinopse: Seduzida pelo sol ardente e pelas paixões ofuscantes da Itália Renascentista, a jovem Lucrécia de Medici, de 16 anos, vê uma vida dourada estendendo-se à sua frente. Seu marido muito rico escolheu-a como esposa, e o grande castelo dele em Ferrara vai ser o seu playground. Mas Alfonso d’Este, Duque de Ferrara, rapidamente se mostra tão perigoso e misterioso quanto é moreno e bonito, e as paredes de pedra do castelo parecem fechar-se em volta de Lucrécia como os muros de uma prisão. Apenas a amante do duque, Francesca, parece capaz de domar sua fúria crescente, enquanto sua necessidade desesperada de produzir um herdeiro o faz cair numa obsessão delirante. Com a cabeça cheia de sonhos desfeitos, Lucrécia foge dele por um caminho perigoso que pode lhe custar muito caro. (SKOOB)

Lucrécia de Medici, é como qualquer garota de sua época, com apenas 16 anos seu maior sonho é fazer um bom casamento, e ter uma casa e um marido para cuidar e chamar de seu. E seu sonho será realizado, pois por pertencer a uma família de "novos ricos", o pai de Lucrécia conseguiu um ótimo casamento, com o duque de Ferrara.

No primeiro encontro entre o casal, é impossível negar a forte atração existem entre eles. O Duque chega a passar por momentos "dificeis" em relação a seus desejo por Lucrécia. O casamento não demora a acontecer, e é na noite de núpcias, que os primeiros problemas começam a destruir o sonho de Lucrécia de um casamento prefeito.


A inegável atração persiste, mas quando finalmente Alfonso vai consumar o casamento, ele simplesmente não consegue. Apesar de desejar Lucrécia imensamente, ele sente-se castrado por ela. Ambos sentem-se humilhados, Lucrécia por achar que não conseguiu despertar o desejo do marido, e Alfonso, por não ter cumprido com seu papel de "homem".



Mesmo com a primeira tentativa falha, Alfonso ainda insiste algumas vezes, antes de pelo ego ferido, desistir de consumar o casamento com Lucrécia. Dois anos mais tarde, Lucrécia está totalmente insatisfeita com sua vida, e Alfonso cada vez mais paranoico.


Alfonso, decide mandar pintar um afresco em seu castelo, e é assim que Jacomo um jovem e promissor pintor, entra na vida de Lucrécia. A atração mutua é instantânea, mas a relação primeiramente de amizade e depois de romance, cresce aos poucos.


Alfonso começa a ser pressionado por ter dois anos de casamento e nenhum herdeiro. Paranoico, o Duque começa a acreditar que Lucrécia está contando a todos do castelo que o casamento ainda não foi consumado - e por isso todos zombam dele -, e que essa "castração" sofrida por ele é algo feito intencionalmente por ela.


Lucrécia, que começou a manter um relacionamento pecaminoso e perigoso com o jovem Jacomo, teme que o marido descubra essa relação, e com as mudanças de comportamento do marido, acredita que ele está cada vez mais perto de descobrir a verdade.


No ápice de seu desespero e do seu transloucamento, Alfonso chega a uma conclusão: A única forma de consumar seu casamento, será matando sua adorável e desejável Duquesa.



Além da sinopse, uma coisa que me chamou bastante atenção em relação a esse livro, foi uma pequena frase na capa, em que se coloca em pé de igualdade a autora do livro e a autora Philippa Gregory. Apesar de nunca ter lido nada da Philippa, já li muito sobre os livros dela e tudo o que eu li me agradou bastante e me fez ficar com muita vontade de ler. Então por essa linha de raciocínio eu acabei solicitando 'Sua Última Duquesa', quando o vi como um dos lançamentos da Record.

Que livro Maravilhos! Juro que durante toda a escrita da resenha ficava relembrando a trama na minha cabeça e batendo palmas para autora (hahah). Com um escrita envolvente e personagens verdadeiros, se é que isso existe (hahaha), a autora te prende da primeira a última página.


'Sua Última Duquesa' é um livro muito rico - no sentido de que toda uma pesquisa foi feita antes de sua escrita, os detalhes  que aparecem são muito pertinentes a trama, e os conflitos são apresentados e solucionados de maneira muito inteligente.


Quem gosta de uma boa estória, e principalmente numa estória bem escrita, precisa ler 'Sua Última Duquesa'.



NOTA:


Gabrielle Kimm nasceu no norte da Escócia e é autora de três romances: Sua Última Duquesa (2010), The Courtesan’s Love (2011) e The Girl with the Painted Face (2013). Seu próximo projeto será investigar uma década particularmente escandalosa no reinado de Luís XIV de França.                                                                                                                                                              

Beijos , Anna (:

Flip em Paraty


O Festival Literário Internacional de Paraty é considerado o maior evento da cidade, mas sua realização vai além disso. A Flip já é sinônimo de grande sucesso, iniciada em 2003 e hoje reconhecida como um dos principais festivais de literatura do mundo. É caracterizada principalmente pela presença de autores e profissionais renomados e respeitados pelo público nacional e estrangeiro. 

Apesar de pequena, a cidade de Paraty é extremamente hospitaleira durante o ano, e não seria diferente frente a um grande evento. Recebe pessoas de todas as idades nos cinco dias de festival e mais de 200 programações, entre shows, debates, exposições, oficinas, filmes e até mesmo apresentações de escolas. Os grandes eventos ainda contam com tradução simultânea e transmissão ao vivo nos telões da cidade e pela internet. 


O festival é realizado pela Associação Casa Azul, e as atividades são divididas em 4 cenários: Flip - Programação Principal, FlipMais, FlipZona e Flipinha. A segunda diz respeito a uma programação paralela a principal, porém complementar. Na Casa da Cultura de Paraty e em outros locais da cidade, a FlipMais é a responsável por promover pré-estreias e exibições de filmes, leituras de peças teatrais, além das exposições e debates. 

A FlipZona foi criada em 2009 como uma iniciativa de cultura, educação e tecnologia – dedicada principalmente aos jovens. Nos dias de festa, conversas, pautas, produções de texto e apresentações são realizadas, com o intuito de aproximar os jovens da leitura. Mas, o incentivo é oferecido durante todo o ano, da mesma forma que acontece com a Flipinha, uma ação social e educativa para as crianças. 


Com todas as ações, o evento pretende promover a literatura, além de oferecer um espaço para a discussão de temas relevantes do cotidiano, sendo assim essencial para todos e crescendo a cada ano com a presença de importantes profissionais. Em 2014, por exemplo, a 12ª Flip aconteceu dos dias 30 de julho a 3 de agosto, e fez homenagem a Millôr Fernandes. O dramaturgo, escritor, desenhista e tradutor foi participante da primeira edição do evento, sendo assim um nome mais que especial para o Festival Literário de Paraty. 

A programação principal da Flip é realizada na Tenda dos Autores, no auditório com cerca de 850 lugares, que reúnem os mais diversos convidados para uma conversa informal. Dentre os destaques do ano passado estavam Gal Costa, que fez o show de abertura; Antonio Prata e os humoristas Gregorio Duvivier (Porta dos Fundos) e Hubert, além do músico Edu Lobo, os jornalistas Glenn Greenwald, David Carr e Andrew Solomon, as escritoras Jhumpa Lahiri e Eleanor Catton, a atriz e também escritora Fernanda Torres, além de outros cineastas, ativistas, arquitetos, escritores e grandes nomes do jornalismo brasileiro. Para reservas seu lugar em uma das pousadas em Paraty acesse http://www.roteirodeturismo.com.br/hoteis-e-pousadas/rio-de-janeiro/paraty/


[Resenha] O Menino e o Grifo - #EditoraGaivota @EditoraBiruta

Autor: Luiz Antonio Aguiar
Ilustrador: Sandro Dinarte
Editora: Gaivota
Ano: 2012
Páginas: 44
Gênero: Literatura Infantil
Sinopse: Você nunca leu um livro como esse. Nem nunca escutou falar de uma amizade como essa… O Grifo é um monstro nas histórias antigas. Quase ninguém acredita que ele exista. O Menino viveu sempre dentro da sua caverna. Não conhece coisa alguma do mundo lá fora. O Grifo voa e trava incríveis batalhas com basiliscos, seus inimigos. O Menino faz perguntas, querendo saber como é tudo o que ele nunca viu. O Menino sente muito medo. O Grifo está cansado de lutar. É também uma história de aventura, repleta de perigos, riscos e coragem. É uma amizade engraçada. Às vezes muito estranha. Mesmo assim, pode ser que ao ler este livro seu coração se transforme e você se torne um pouco daquilo que, lá no fundo, sonha em ser. (SKOOB)

'O Menino e o Grifo' é um livro apaixonante com suas ilustrações fofas e um ótimo livro para você que tem sobrinho, filho, irmão pequeno. A história é bem simples, basicamente conhecemos um menino que sempre morou em uma caverna e seu amigo Grifo, um animal reclamão e rabugento.

O que mais me chamou atenção na leitura desse livro foram as mensagens que consegui encontrar enquanto lia. Posso estar errada, mas no meu entendimento o livro mostra que a amizade e o amor não são escolhidos, eles simplesmente acontecem. Podemos ser amigos e amar quem quisermos, não existe preconceito ou maldade, mas sim o respeito para com personalidades diferentes. O Grifo era rabugento, vivia reclamando de tudo, mas estava sempre com o menino e o protegia sempre que um basilisco vinha atacar a montanha onde a caverna deles se encontrava.


Outra coisa que encontrei no livro é como o menino supera o medo do desconhecido. Muitas vezes nós, mesmo adultos, temos medo de sair da nossa zona de conforto, temos medo do desconhecido, mas acontece que se nunca tentarmos sair, conhecer o mundo, nunca saberemos realmente como é e podemos até nunca encontrar a felicidade.

Por tanto, você que tem alguma criança pequena por perto, deveria sim ler esse livro para ela ou dar para que ela leia, mas também acho que nós, como adultos deveríamos ler também, não só pelas imagens bonitas ou pela história curta, mas sim porque podemos descobrir um mundo inteiramente novo com as crianças ou também relembrar coisas que esquecemos com a vida rotineira que levamos de trabalho, estudos e etc.


E sim, dou cinco estrelas para esse livro e com certeza darei para meus sobrinhos lerem.

NOTA:

Beijos, Pri!

É escritor e mestre em Literatura Brasileira. Além de ganhar diversos prêmios nacionais, inclusive um Jabuti em 1994 por obra juvenil, o autor foi selecionado para o catálogo White Ravens com Sonhos em Amarelo. Já Brincos de ouro e sentimentos pingentes, publicado pela Editora Biruta, foi escolhido pelo Salão Nacional do Livro de Paris de 2010 como o representante em Língua Portuguesa da Literatura Juvenil (Pour lire en portugais). No Rio de Janeiro, Luiz Antonio é professor do curso de qualificação em Literatura para professores, oferecido pela parceria sme/fnlij. Tem dedicação especial aos clássicos da Literatura nacional e estrangeira, e em 2008 publicou o Almanaque Machado de Assis, que recebeu o Prêmio Malba Tahan da fnlij. É casado, tem dois netos e dirige com sua sócia, Marisa Sobral, a Veio Libri, consultoria literária que tem como clientes algumas das maiores editoras nacionais. É membro da aeilij e do Movimento Brasil Literário.

[Filme] Cinderela - @Disney

Sempre fui muito fã de contos de fadas, adorava desde criança assistir aos filmes da Disney com aquelas princesas, príncipes e seres mágicos e Cinderela é um dos meus contos preferidos. Para mim a melhor versão da história já feita é o filme "Para sempre Cinderela", produzido pela Fox Filmes. Na minha opinião, os atores, o cenário, as mudanças feitas na história, eram perfeitos. E por gostar tanto assim, eu fiquei bastante curiosa para assistir essa nova versão que a Disney estava lançando.

"Salagadula mexegabula bibidi-bobidi-bu. Junte isso tudo e teremos então. 
Bibidi-Bobidi-Bu..."


Diferente da trama original, a história contada no desenho foi mantida, com alguns ajustes, claro, mas nada de tão grandioso. Para quem não sabe, o conto da Gata Borralheira bastante antigo, com versão grega antes de Cristo e registros na China nos anos 800. É uma das história que tem mais versões. As mais famosas são, o conto escrito pelos Irmãos Grimm, que cá entre nós, de conto de fadas ele não tem nada, a coisa é bem mais séria e mais macabra do que parece (Para quem quiser ler o conto, clique aqui). E o conto no qual a Disney se baseou para criar o filme, escrito por Charles Perrault.
























Após a trágica e inesperada morte do seu pai, Ella fica à mercê da sua terrível madrasta, Lady Tremaine, e suas filhas Anastasia e Drisella. A jovem ganha o apelido de Cinderela e é obrigada a trabalhar como empregada na sua própria casa, mas continua otimista com a vida. Passeando na floresta, ela se encanta por um corajoso estranho, sem desconfiar que ele é o príncipe do castelo. Cinderela recebe um convite para o grande baile e acredita que pode voltar a encontrar sua alma gêmea, mas seus planos vão por água abaixo quando a madrasta má rasga seu vestido. Agora, será preciso uma fada madrinha para mudar o seu destino...
























Mas mesmo gostando muito da história e estando super curiosa para saber como estava filme, preciso dizer que de inicio escolha dos atores não me agradou, para mim eles não estavam se encaixando e eu esperava que fossem diferentes.

































Mas assim que assisti o filme tive minha opinião completamente mudada sobre eles e agora acho que as escolhas não poderiam ser mais perfeitas, alias o filme não poderia ser mais perfeito, com um cenário completamente mágico, figurino maravilhoso. A Disney voltou a ser Disney! 
























Helena Bonham Carter mesmo tendo aparecido pouco ficou maravilhosa no papel, essa mulher é diva, ponto! E Cate Blanchett não fica muito atrás dela. 

Uma das coisas que achei super legal, foi que os ratinhos foram mantidos, mas, eu senti bastante a falta do Bruno que aparece no desenho.

































O filme é simplesmente maravilhoso e recomendo a todos que gostam de contos de fadas assistirem, vale super a pena e vocês ficarão completamente encantados. Mal vejo a hora de ter esse filme em DVD na minha casa para poder assistir quando quiser!



Bom, eu vou ficando por aqui, e... Ah sim, já ia me esquecendo! Uma vez vi uma pergunta (não me lembro onde, hahaha) sobre o porque do sapatinho da Cinderela não perder o encanto depois da meia-noite quando tudo volta ao normal, ai lembrei de um livro que li e falava sobre isso, que na verdade os sapatinhos não voltam ao normal depois da meia-noite porque eles tem magia própria :) Legal, não? 

Beijos, 
Fernanda Gonçalves.
Curta nossa página no Facebook