Titulo Original: Disgrace
Autora: Brittainy C. Cherry
Editora: Record
Páginas: 420
Ano: 2019
Gênero: Ficção / Literatura Estrangeira / Romance
Comprar: Amazon; Submarino

Sinopse: Um amor inesperado que surge de forma inusitada e arrebata a vida de Grace Harris. Grace Harris está perdida e sozinha em sua casa em Atlanta depois que o homem que ela pensou que ficaria a seu lado pelo resto da vida traiu sua confiança, partiu seu coração e saiu de casa, deixando seu casamento em suspenso. Grace resolve, então, passar o verão com a família em Chester, sua cidade natal, para respirar, dar um tempo de tudo. Sua vida está uma bagunça e o que ela precisa no momento é de um pouco de gentileza e compaixão. Por incrível que pareça, Grace encontra isso na pessoa mais improvável de todas: Jackson Emery, a ovelha negra da cidade. Conhecido como a erva daninha de Chester, ele é sinônimo de encrenca, e não faz nada para mudar essa imagem. Tendo perdido na infância o que havia de mais valioso na vida, Jackson se tornou um homem amargurado e não dá a mínima para o que pensam dele. Os caminhos de Grace e Jackson acabam se cruzando de um jeito inusitado e a tristeza profunda que carregam atrai os dois como ímã. Ambos sabem que não foram feitos um para o outro, mas, como tudo vai acabar mesmo com o fim do verão, resolvem deixar rolar e se entregar a uma diversão passageira. Porém, o que Grace não imaginava é que seu coração, já destroçado, seria obrigado a aprender que certos relacionamentos são capazes de causar dores muito profundas, e que é sempre preciso fazer uma escolha. (SKOOB)

'Vergonha' é o mais recente lançamento da minha querida, Brittainy C. Cherry, publicado aqui no Brasil através da Editora Record. Já adianto para vocês que essa leitura me fez lembrar muito um dos meus livros favoritos da autora, 'O Ar que Ele Respira', ganhando um espacinho no meu coração ao lado dele e de 'Sr. Daniels'.


Aqui conhecemos Grace Harris no momento mais difícil de sua vida, seu marido acaba de trai-la com outra mulher e está saindo de casa. É por isso que ela resolve ir passar o verão em Chester, uma pequena cidade do interior onde nasceu e onde vivem também os seus pais, sua irmã mais nova e seus melhores amigos.

Como em toda cidade pequena do interior, os assuntos se espalham rapidamente em Chester, logo, todos estão sabendo da 'crise' no casamento da filha do pastor. Além de ter a cidade inteira a julgando e palpitando em sua vida, Grace ainda precisa manter tudo aquilo que aprendeu na igreja, e seu desejo maior é que o marido possa ama-la de novo e voltar para casa.

É em meio a todo esse caos, que o caminho de nossa protagonista acaba cruzando o de Jackson Emerey, a ovelha negra da cidade. A vida não foi muito gentil com Jackson, principalmente na sua infância, é por isso que ele se tornou um homem amargurado, de poucos amigos, que não se importa nem um pouco para o que as pessoas dizem a seu respeito.

Mesmo sendo um o contrário do outro, essas duas almas despedaçadas encontram entre eles uma maneira de esquecer seus problemas, pelo menos temporariamente. Só o que ambos não imaginavam é que um completa o outro perfeitamente, e que suas tristezas poderão ser apagadas definitivamente no momento em que eles se entregarem pra valer à esses sentimentos.


Eu realmente não tenho o que reclamar da escrita de Brittainy C. Cherry, é incrível como os livros da autora são fluentes e conseguem me tirar das piores ressacas literárias. Como eu já disse em outros momentos, a autora tem o dom para escrever sobre perdas e todos outros sentimentos que vem acompanhados. A Brit (olha a intimidade) é o tipo de autora que deixa a fofura e outras coisas lindas dentro dela transbordarem através de suas palavras e histórias, tanto que da vontade de guarda-la dentro de um potinho (hahah).

A empatia durante dessa leitura foi algo gritante, eu mesmo sofri horrores me colocando tanto no lugar de Grace como no lugar de Jackson, o que confortou meu coração foi ver que mesmo diante a tanta dor, ambos os personagens tinham coisas lindas dentro deles. Isso só prova que por mais difícil que a vida seja, só cabe a nós mesmos moldarmos nosso próprio caráter, é você quem vai escolher ser uma pessoa boa ou ruim no fim das contas.


É importante falar que por mais que a capa passe uma imagem de um livro erótico, 'Vergonha' não contém mais do que uma ou duas cenas picantes, nada que a gente já não tenha visto em livros como os da Carina Rissi.

Além disso, o livro aborda a importância de descobrir quem somos de verdade, nos mostra o poder da superação e que ser uma pessoa oposta a outra nem sempre significa que é algo ruim. As vezes o que falta em você sobra no outro, ou vise versa, e como diz o ditado: 'os opostos se atraem' (haha). Por isso, se você é fã de um lindo romance, daqueles que te envolve pra valer, eu super recomendo essa leitura. E se por acaso você leu e gostou muito de 'O Ar que Ele Respira', pode ter certeza que vai adorar 'Vergonha'.


NOTA:

OUTROS LIVROS DA AUTORA RESENHADOS NO BLOG:

      

Brittainy C. Cherry é formada em artes cênicas, com especialização em escrita criativa pela Carroll University, em Wisconsin. Quando não está escrevendo, adora brincar com seus bichinhos de estimação. Ela mora com a família em Milwaukee, Wisconsin. Seu site: www.bcherrybooks.com                                                                                      

Título Original: Woman at point zero
Autor: Nawal El Saadawi
Editora: Faro Editorial
Páginas: 160
Gênero: Literatura Árabe
Ano: 2019
Comprar: Amazon; Americanas; Submarino; Shoptime.

Sinopse: "Um dos livros mais francos e radicais sobre a vida feminina, de todas as origens, em todas as partes do mundo.” THE GUARDIAN Esta ficção é baseada no relato verdadeiro de uma mulher que espera sua execução em uma prisão no Egito. Sua história chega até a autora, que resolve conhecer Firdaus para entender o que levou aquela prisioneira a um ponto tão crítico de sua existência. “Deixe-me falar. Não me interrompa. Não tenho tempo para ouvir você”, começa Firdaus. E ela prossegue contando sobre como foi crescer na miséria, sua mutilação genital, ser violada por membros da família, casar ainda adolescente com um homem muito mais velho, ser espancada frequentemente, e ter de se prostituir... até que, num ato de rebeldia, reuniu coragem para matar um de seus agressores, levando-a à prisão. Esse relato é um implacável desafio a nossa sociedade. Fala de uma vida desprovida de escolhas, mas que em meio ao desespero encontra caminhos. E, por mais sombrio que isso possa parecer, sua narrativa nos convida a experimentar um pouco dessa liberdade encorajadora através das transformações internas de Firdaus. O que acontece com ela é o despertar feminista de uma mulher. A AUTORA: NAWAL EL SAADAWI, 87, é uma escritora, ativista, médica e psiquiatra feminista egípcia. Saadawi foi presa pelo presidente Anwar al-Sadat em 1981 por supostos “crimes contra o Estado”. Ela escreveu muitos livros sobre as mulheres no Islã, e se dedica, em especial, à luta contra a prática da mutilação genital feminina no Oriente Médio. Nawal é tratada como “a Simone de Beauvoir do mundo árabe”. Seus livros já foram traduzidos para mais de 28 idiomas e são adotados em universidades do mundo inteiro. Seus discursos atualmente se concentram na crítica à tentativa de normalizar o que ela considera a opressão aos costumes das mulheres na África e Oriente Médio. Depois de quatro décadas da revolução islâmica, muitos já consideram normais as restrições aplicadas às mulheres, incluindo as próprias mulheres. “A Simone de Beauvoir do mundo árabe”. REUTERS (SKOOB)

Oi, gente! Tudo bom? Espero que sim!
Comigo vai tudo bem, mesmo depois de ter saído de uma semana de provas (Sim, eu sobrevivi!)
Atualmente estou lendo bastante livros que falam sobre a vida das mulheres pelo mundo, seus dramas, suas tristezas, dificuldades e felicidades. O livro 'A Mulher com Olhos de Fogo' publicado pela Faro Editorial aborda bem esse assunto.


Uma pesquisadora se vê em um presídio feminino na cidade de Qanatir no Egito fazendo um estudo sobre neuroses em mulheres egípcias e lá ela ouve falar sobre uma prisioneira diferente. Uma prisioneira acusada de cometer um assassinato e que mesmo com a possibilidade de reverter a sentença de morte, se a mesma pedir clemencia ao presidente, se recusa a querer viver.

Podemos pensar que ela vive de cabeça baixa, triste pelos cantos enquanto espera a morte, mas não, essa mulher anda pela prisão com uma superioridade que não se vê nas mulheres do Egito.

Firdaus se nega a receber visitas e não gosta de falar com ninguém. E após recusar várias vezes os pedidos de visita da psiquiatra, chega um momento em que a condenada decide recebe-la, mas a mulher tem pressa porque em poucas horas será levada para a morte.


'A Mulher com Olhos de Fogo' é dividido em três partes onde a primeira e a terceira são relatos da doutora sobre a sua vida antes e depois de conhecer a prisioneira. A terceira parte é narrada pela própria Firdaus e nos conta a história da sua vida, como ela chegou até a situação que se encontrava, essa será a narrativa que se sobressairá.

Em todo o momento do livro o leitor se deparará com a personagem principal falando sobre os olhos, relatando os olhos das pessoas que a cercam, isso me fez ver a associação do título com a narrativa.

Percebi que enquanto eu lia não via "sentimentos" transbordando da leitura, é como se a personagem quisesse falar a verdade nua e crua, isso me deixou até perturbada um pouco, pois não conseguia entender como uma pessoa passou por diversos tipos de abusos e relatava de uma forma tão crua, porém ao terminar a leitura compreendi melhor.
- Você é uma mulher violenta e perigosa - disse um deles.- Eu estou falando a verdade. E a verdade é violenta e perigosa. - Página  150
Acho que essa verdade nua me chocou um pouco porque os livros que li sobre o assunto ou até mesmo filmes que assisti sempre me passavam uma sensação de tristeza, de repudio, os personagens ou o narrador tentavam passar isso. Mas a autora talvez quis mostrar que quando um ser humano só passa por momentos tristes e que já chorou o que tinha que chorar, talvez não tenha mais o que ser dito ou expressado.


É de se lamentar que em muitos lugares do mundo a preocupação de algumas mulheres não é escolher a melhor roupa para se vestir ou qual corte de cabelo ficará mais bonito, existem mulheres que passam por dores inimagináveis, muitas vezes perto de nós.
- Mas como é possível levar a vida? Viver é duro demais.- Você deve ser mais dura que a vida. [...] As únicas pessoas que realmente vivem são as que conseguem ser mais duras que a vida. - Página 88
A Editora Faro como sempre é perfeita naquilo que faz, pois a diagramação é ótima, não deixa a leitura cansativa, mesmo com um tema difícil. A capa é linda, a contra capa é uma obra de arte e as divisões das partes também. Obrigada por trazer assuntos importantes e demonstrar isso através da escolha e da produção do livro.

Essa é a minha indicação de leitura de hoje, que mesmo difícil é extremamente necessária. Você não vai se arrepender e muito menos esquecer.

Um forte abraço e até logo!


NOTA:

Nawal El Saadawi, 87, é uma escritora, ativista, médica, psiquiatra feminista egípcia. Saadawi foi presa pelo presidente Anwar al-Sadat em 1981 por supostos "crimes contra o Estado". Ela escreveu muitos livros sobre as mulheres no Islã, e se dedica , em especial, á luta contra a prática da mutilação genital feminina no Oriente Médio. Nawal é tratada como "a Simone de Beauvoir do mundo árabe". Seus livros já foram traduzidos para mais de 28 idiomas e são adotados em universidades do mundo inteiro. Seus discursos atualmente se concentram na crítica à tentativa de normalizar o que ela considera a opressão aos costumes das mulheres na África e Oriente Médio. Depois de quatro décadas de revolução islâmica, muitos já consideram normais as restrições aplicadas ás mulheres, incluindo as próprias mulheres.

Título Original: Até Onde o Amor Alcança
Autor: Júlio Hermann
Páginas: 176
Gênero: Literatura Brasileira/ Crônicas
Editora: Faro Editorial
Ano: 2019
Comprar: Amazon; Submarino; Lojas Americanas

Sinopse: Talvez estar apaixonado seja uma das melhores sensações da vida. Saber que existe alguém que faz seu coração bater tão forte alegra o nosso dia, mas abrir o coração e deixar tudo para trás quando o amor acaba pode ser difícil. Mostrar vulnerabilidade, raiva, tristeza, perdão e reconhecer erros é o melhor caminho para crescer de verdade. “Ninguém avisa a gente que amar faz a pele arder e o peito dilatar, seja com as coisas dando certo ou não. Contos de fadas não duram muitos dias na vida real, o amor é o que faz tudo valer a pena. Torço para que você seja feliz, e que possamos caminhar juntos. Hoje eu quero o para sempre, mesmo sabendo que não posso controlar tudo. Há coisas minhas que são tão suas, a ponto de eu não ter coragem de colocar uma roupa nova sobre elas, porque eu não quero te esquecer.” “Foi muito bom te reencontrar nesse processo. Nas viagens de carro que fizemos, nas noites em restaurantes baratos e nos domingos de carnaval fechados em nosso próprio mundo, nós construímos algo especial.” “Suportamos isso. Ignoramos inclusive as partes chatas da existência. Esses momentos difíceis retornam, de vez em quando. Contudo podemos nos perdoar e ter novas chances.” JURAMOS QUE DURARIA PARA SEMPRE MESMO SABENDO QUE O AMOR NÃO VIVE DE PROMESSAS, MAS NÃO VAMOS DESISTIR! **Autor do sucesso “Tudo que acontece aqui dentro” (SKOOB)

Oieee, gente! Tudo bem?
A resenha de hoje é de um dos recentes lançamentos da Faro Editorial, o livro 'Até onde o amor alcança' do autor Júlio Hermann, o mesmo autor de 'Tudo que Acontece aqui Dentro'. Eu ainda não tive contato com a outra obra de Júlio, mas me interessei bastante por 'Até Onde o Amor Alcança' e como um livro é independente do outro, por que não ler e tirar minhas próprias conclusões!?


Essa é uma coletânea de textos que tem como tema principal as variadas emoções e situações provocadas pelo amor, o autor fala de perdas, recomeços, términos, dores, amor próprio, encontros e reencontros (e muito mais!). Foi uma bela surpresa para mim já me apaixonar no primeiro contato com o autor.

O livro é dividido em três partes:
  • Redescobrir-se
  • Se permitir outra vez
  • Reerguer-se outra vez

REDESCOBRIR-SE tem textos sobre o processo do eu lírico em se ver após um término de relacionamento, são frases muito tocantes, reflexivas e que me deixaram com um nó na garganta, cada texto me fazia relembrar que na minha vida já houve términos, esse é um livro para ser sentido a cada linha lida.
A gente jurou que duraria para sempre
Sem se dar conta de que o amor não vive de juramentos.
SE PERMITIR OUTRA VEZ tem textos de recomeços, novas iniciativas e de fato se "permitir", são textos extremamente sensíveis, cada frase deixa aquela reflexão, por vezes eu me peguei refletindo e pensando sobre se dar novas oportunidades no amor e também na vida.
Você não tem direito nenhum de tomar posse do meu coração se não for para me amar direito.
Em REERGUER-SE OUTRA VEZ, somos agraciados com textos e poemas com um tom ainda mais positivo sobre o amor, o eu lirico ver novas possibilidades e decide se dar oportunidade de ver o amor e a vida com olhos de positividade. Eu amei essa parte do livro, pois me senti confortada ao ler cada página, o autor faz vários jogos de palavras e isso foi muito legal, interessante de ler, diferente!
Era a primeira vez em muito tempo que eu sentia afeto no silêncio, por mais que ele me devorasse às vezes. Naquela hora, olhar para a minha vida era perceber, em mim, uma vontade absurda de correr para um futuro novo.

'Até Onde o Amor Alcança' tem uma das edições mais fofas que já vi, não é novidade que toda resenha que eu faço de algum livro da Faro Editorial, eu babo mesmo nas edições que eles fazem porque realmente são ma-ra-vi-lho-sas, o livro tem uma capa a coisa mais fofa do mundo e que casa completamente com o tema que ele explora, além de desenhos fofos e tudo num tom de laranja.
Às vezes, os opostos se atraem. Às vezes, se repelem. Noutras, permanecem.

Um aspecto que eu gostei muito foi o de ter uma trilha sonora muito maravilhosa, vou confessar que li o livro em ambientes que não dava para eu ir ouvindo as músicas, mas antes de fazer essa resenha eu tirei uma tarde para reler ouvindo cada música sugerida pelo autor. Que experiência, sério, não cometa o erro de ler sem ao mesmo tempo ouvir as músicas (acredite em mim!), me emocionei muito, os textos parecem ganhar ainda mais significados ao serem lidos em conjunto com a playlist. Ahhhh e ainda renovei toda minha playlist!


Então se você gosta de textos sobre o amor combinados a uma escrita fluída e poética, leia 'Até Onde o Amor Alcança'. A sensibilidade da escrita de Júlio Hermann é impressionante, o autor mostra que amar vale sim a pena. Eu ainda não li o primeiro livro do autor, mas depois de ler esse aqui, garanto que entrará para minha lista de desejados.


E você, já leu algum livro de Júlio Hermann?
Ficou curioso por 'Até Onde o Amor Alcança'?
Contaaaa tudo!!!


NOTA:

OUTROS LIVROS DO AUTOR RESENHADOS NO BLOG:


Júlio Hermann nasceu em Gramado, no Rio Grande do Sul, e quase se tornou cronista esportivo, mas a desilusão com uma derrota na Libertadores mostrou que ele não teria estômago para enfrentar muitas outras. Em 2015, começou a publicar crônicas na internet e esperava ser lido pelos amigos e algumas dezenas de pessoas, que logo se tornaram centenas, milhares e centenas de milhares depois de um tempo. Seus temas sempre são os seus amores e relacionamentos, e o que aprende com cada um deles. Mesmo com suas duvidas, ele acredita que isto tudo é apenas o começo, e cada aprendizado nos leva a melhores possibilidades.

Título Original: Colega de Quarto
Autor: Victor Bonini
Editora: Faro Editorial
Páginas: 279
Gênero: Ficção de Suspense - Literatura Brasileira
Ano: 2015
Comprar: Amazon

Sinopse: Eric Schatz, carioca que se mudou para São Paulo por conta do curso universitário, começa
a perceber indícios de que há mais alguém frequentando o seu apartamento.
Primeiro, um par de chinelos.
Então, uma outra escova de dentes. Um micro-ondas que é ligado sozinho durante a noite, barulhos estranhos a qualquer hora e luzes que se apagam de modo misterioso.
Até que, em determinada noite, Eric enxerga o vulto do colega de quarto entrar em seu apartamento pela porta da frente.
Desesperado, o rapaz vai atrás de um detetive particular, mas parece ser tarde demais. Em menos de 24 horas, tudo acontece de modo acelerado e depois de uma ligação desesperada, cortada abruptamente, Eric despenca da janela do seu apartamento.
Em seu livro de estreia, o autor nos apresenta uma história urbana de tirar o fôlego. Um mistério que passa por uma relação familiar complicada, suspeitas por todos os lados, e camadas e camadas de culpados. Há alguém inocente? (SKOOB)

Suspense? Morte? Arrependimento? Mentiras? Traição?
Em 'Colega de Quarto' você encontrará isso e muito mais.

Escrito por Victor Bonini, 'Colega de Quarto' foi publicado pela Faro Editorial em 2015 e foi o livro de estréia do autor que já possui muitos outros títulos publicados pela editora.


A estória se inicia com o Eric Schatz chegando em sua casa á meia noite, o mesmo já não vinha dormindo direito, pois coisas estranhas estavam acontecendo com ele, coisas que indicavam que além dele outra pessoa está vivendo em seu apartamento. Mas quem?

Sandálias são deixadas no chão do quarto de hospede, quarto este que não era utilizado, uma escova de dentes apareceu em seu banheiro e o vaso sanitário é ligado sem que ninguém esteja no banheiro.

Mas o estopim aconteceu após chegar em casa e levar o lixo para fora, pois o jovem viu claramente um vulto de uma pessoa entrar pela porta do seu apartamento.

Até o momento Eric não tinha visto de fato alguém, só evidências, mas esse vulto mudou tudo, foi uma pessoa que acabou de entrar pela porta da frente, disso ele tinha certeza, porém o que ele estava fazendo lá? Ou melhor, o que ele queria? Bem, era o que Schatz queria saber.
Diante de todo acontecimento gera-se um desenrolar, mesmo que completamente desconexo. E é um desenrolar involuntário, incontrolável e inesperado. Basta uma provocação para desencadeá-lo. - Página 195
Conrado Bardelli é um detetive particular  e mesmo sendo tarde da noite ainda se encontrava em seu escritório quando um jovem adentrou a sua porta pedindo por ajuda, dizendo coisas sem sentido algum. Após o detetive tentar entender a estória, mas tendo muita dificuldade, o mesmo decide aconselhar o recém chegado a procura-lo no dia seguinte e assim ajuda-lo melhor. Porém o que Corado não sabia era que aquela seria a última vez que veria o rapaz com vida, mas não antes de receber um último telefonema.

No dia seguinte sabendo do suicido de Eric Schantz, Lyra, como também era conhecido, decide de fato descobrir o que aconteceu, pois algo não estava certo.
E essas investigações tinham fisionomia e nome: Conrado Bardelli. - Página 100
Narrado em terceira pessoa e dividido em três partes: Loucura, Turvo e Lucidez. 'Colega de Quarto' vai fazer o leitor se questionar e fazer especulações que irão por água abaixo no mesmo momento.


O livro é muito bom, o suspense maravilhoso, porém o que me decepcionou um pouco foi o final, que embora tenha sido inesperado, ainda assim me fez lamentar, pois esperava um motivo maior e mais profundo para as perguntas que eram feitas ao longo da trama.

Espero ter oportunidade de ler outras obras do Bonine, pois tenho ouvido falar muito bem das suas novas publicações, sem falar que a escrita do Victor é muito boa, sério, é muito boa!

A diagramação da Editora Faro, como sempre, impecável, uma obra de arte. Um livro que além da leitura ser muito boa, é de uma beleza incrível (rsrsrs).

Recomendo 'Colega de Quarto' para todos vocês e desejo que sejam tão enganados como eu fui porque é muito bom quando isso acontece, né?! (rsrsrs)

Um forte abraço e até a próxima!


NOTA:

Victor Bonine nasceu em São Paulo, morou em Vinhedo, interior do estado, e voltou á capital aos dezoito anos para cursar jornalismo. Sempre lhe perguntaram se, ao longo da vida, havia indícios de que seria um autor de mistérios. Aos sete anos, escolheu o filme Pânico como tema da festa de aniversário. Na adolescência, devorou todos os livros policiais e de terror que pôde encontrar. Na universidade, seu elogiado trabalho de conclusão de curso, em parceria com Mariana Janjácomo, foi um livro sobre o caso Pesseghini, apresentando vários aspectos do crime que chocou o país em 2013. O trabalho não foi publicado a pedido da família das vítimas. Além de Colega de Quarto, publicou O Casamento e Quando Ela Desaparecer, todos pela Faro Editorial. Victor é hoje repórter da TV Globo de São Paulo.

Título Original: The Knife of Never Letting Go
Autor: Patrick Ness
Série: Mundo em Caos #01
Editora: Intrínseca
Ano: 2019
Gênero: Distopia / Fantasia / Ficção científica / Jovem adulto / Literatura Estrangeira
Páginas: 480
Comprar: Amazon

Sinopse: Em um mundo pós-apocalíptico, uma infecção rara e perigosa causou o inimaginável: a morte de todas as mulheres. O mesmo germe fez com que os pensamentos dos homens se tornassem audíveis, e agora o caótico Ruído está por toda parte. É impossível guardar segredos no Novo Mundo. Todd Hewitt é o único garoto entre os homens da cidade de Prentisstown, e mal pode esperar para se tornar um deles. No entanto, o lugar esconde algo grave, capaz de mudar o futuro de Todd e do Novo Mundo para sempre. A apenas um mês de se tornar homem, um segredo impensável é revelado, e ele se vê forçado a fugir antes que seja tarde demais. Acompanhado por seu fiel escudeiro, o cachorro Manchee, ele empreende uma jornada repleta de perigos e se depara com uma criatura estranha e silenciosa: uma garota. Mas quem é ela? E por que não foi morta pelo germe como todas as mulheres? Publicado em mais de trinta países, Mundo em caos é o primeiro volume de uma distopia perturbadora sobre os laços que forjamos em situações extremas e traz à tona a infinita insensatez humana diante das diferenças. A adaptação cinematográfica da obra terá Tom Holland e Daisy Ridley como protagonistas. A Intrínseca relança em uma edição especial, com tradução inédita e um conto extra, a série que consagrou Patrick Ness como um dos maiores nomes da literatura jovem. (SKOOB)

'Mundo em Caos' é o primeiro livro da série distópica, 'Mundo em Caos', do autor Patrick Ness. Sua obra anteriormente lançada como 'O Motivo' aqui no Brasil, acaba de ganhar nova edição e título pela Editora Intrínseca. Além de ser uma série muito bem premiada lá fora, podemos contar com a adaptação cinematográfica desse enredo ainda para este ano com a interpretação de Daisy Ridley (Star Wars: Os Últimos Jedi) e Tom Holland (Homem-Aranha: De Volta ao Lar) nos papeis principais e a direção de Doug Liman.


Aqui somos apresentados a um novo planeta onde os humanos foram enviados para colonizar após a Terra se tornar inabitável. Nesse novo mundo todas as mulheres foram extintas por conta de um germe desconhecido que também fez com que os pensamentos dos homens e animais se tornassem audíveis.


Todd Hewitt é o ultimo garoto da cidade de Prentisstown, mas isso está prestes a mudar, uma vez que ao completar 13 anos e um mês os garotos dessa cidade passam a se tornar e receber funções de um homem de maior idade. No entanto, algo extremamente fora do comum acontece quando Todd dá de cara com uma garota, agora, tudo o que ele sabia e acreditava ser verdade sobre sua vida e a cidade em que mora está arruinado, e para sua segurança, ficar em Prentisstown e esperar pelo seu aniversário já não é mais uma opção.
Os homens mentem, e o pior é que mentem pra eles mesmos. - Página 30

Esse é o meu primeiro contato com a escrita de Patrick Ness, então não sabia bem o que esperar, pois o que de fato me chamou a atenção para sua obra foi com certeza por se tratar de uma distopia (um dos meus gêneros favoritos) que estará em breve nas telas do cinema. Por tanto, a maneira como o livro é narrado, todo no ponto de vista do personagem principal, a principio me deixou às cegas e com certa dificuldade de entrar na história, uma vez que Todd está tão perdido nisso tudo quanto a gente.

No decorrer da leitura me deparei com uma escrita extremamente fluída, Patrick Ness envolve o leitor com muita ação página após página e não deixa o enredo perder o ritmo, logo, percebi que a minha dificuldade inicial aconteceu por uma falta de atenção provocada pelo cansaço do meu dia a dia do que por outros motivos, tanto que quando consegui retomar a leitura em um momento mais calmo, não pude mais parar de ler, principalmente porque um capítulo amarra o outro, além de todo o mistério que paira sobre os verdadeiros motivos que obrigaram nosso protagonista fugir e o porque ele é tão importante para as pessoas que estão atrás dele.


No fim das contas acabei sendo invadida por um misto de emoções durante essa leitura, e nesse momento vivo uma relação de amor e ódio com 'Mundo em Caos', uma vez que adorei o ritmo frenético da leitura, mas ao mesmo tempo achei que o autor segurou por tempo demais a problemática lá do começo do enredo que só nos foi desvendada nos capítulos finais, e deixou tudo um pouco acelerado.
Taí um negócio que estou aprendendo sobre ser jogado no mundo por conta própria: ninguém faz nada por você. Se você não muda as coisas, elas não mudam. - Página 109
Ainda sim, minha curiosidade em relação ao que vai acontecer no próximo livro é maior que essa minha pequena frustração, pois o final mexeu com a minha esperança e me fez desejar algumas respostas, então estou curiosíssima para saber no que tudo isso vai dar. Inclusive não soltei muitas informações sobre o decorrer da história, pois esse é aquele tipo de livro que não entrega tudo ao leitor de primeira, e eu não quero estragar a experiência literária de vocês.


Levantando reflexões importantes de como a humanidade usa o poder que lhe é dado e também a dificuldade do ser humano em lidar com aquilo que lhe é desconhecido, 'Mundo em Caos' nos guia por uma aventura eletrizante com personagens palpáveis capazes de despertar nossos melhores e piores sentimentos. Eu recomendo que também façam essa leitura antes da estréia do filme e aproveitem para adquirir o exemplar belíssimo da Editora Intrínseca que além de ter deixado vermelho o corte das folhas, nos presenteou com uma incrível diagramação!


NOTA

Patrick Ness é o autor best-seller da trilogia Chaos Walking e de A Monster Calls. Aclamado pela crítica, já recebeu diversos prêmios como escritor de ficção para crianças, incluindo duas medalhas Carnegie, no Reino Unido. Já foi colunista do Sunday Telegraph e hoje é crítico literário no The Guardian. Patrick nasceu na Virgínia, nos Estados Unidos, e vive em Londres.