Título Original: The First to Die at the End 

Autor: Adam Silvera 

Editora: Intrínseca 

Páginas: 544

Gênero: Literatura Estrangeira/ Jovem Adulto/ LGBT/ Romance 

Ano: 2022

Comprar: Amazon

Sinopse: Em Os dois morrem no final, obra que já vendeu mais de 100 mil exemplares no Brasil, acompanhamos a história emocionante de Mateo e Rufus, dois jovens que decidem compartilhar seus últimos momentos e viver uma vida inteira em um único dia. Agora, Adam Silvera retorna com maestria ao universo que conquistou fãs no mundo inteiro, em uma trama que se passa sete anos antes do primeiro livro. Na noite de 30 de julho de 2010, as pessoas se reúnem em diversas cidades dos Estados Unidos para a inauguração da Central da Morte, um serviço controverso capaz de informar se seus usuários terão um encontro prematuro com a morte ao longo das próximas 24 horas. Orion Pagan espera há anos que alguém lhe diga quando vai morrer. Só assim ele conseguirá aproveitar um pouco a vida, sem o temor de não saber quando a doença grave que tem no coração o fará partir dessa para a melhor. Receber uma ligação da Central da Morte é a última coisa que Valentino Prince deseja. Após deixar o Arizona e se mudar para Nova York, ele mal pode esperar para viver esse novo capítulo de sua história e realizar seus sonhos. Sob as luzes da Times Square, Orion e Valentino se conhecem, e a conexão entre eles é imediata. Mas, à meia-noite, a primeira ligação da Central da Morte anuncia que um dos dois vai morrer em breve. Embora não saibam como — ou quando — o dia vai terminar, eles só têm uma certeza: querem ficar juntos até o fim. O primeiro a morrer no final é uma história pungente e arrebatadora que narra o impacto indelével que deixamos na vida daqueles que amamos, a fugacidade do tempo e a força dos momentos que nos transformam para sempre. (SKOOB)



'O Primeiro a Morrer no Final' do autor Adam Silvera é um lançamento de 2022 da Editora Intrínseca e um prequel (livro que se passa no mesmo universo, mas anos antes) de 'Os Dois Morrem no Final'.


Aqui nós vamos acompanhar dois garotos que se conhecem durante a inauguração da Central da Morte em Nova York e um deles acaba sendo o primeiro Terminante da história, contudo uma confusão ocorreu durante as chamadas e pode ser que um deles ou até ambos morram ao final desse dia. Enquanto isso, Orion e Valentino vão aproveitar intensamente o último dia e viverem um romance arrebatador, e sim, você já viu essa mesma história no outro livro do autor.


Se você ama muito alguém, também morre. - Pág 55


Com o sucesso que 'Os Dois Morrem no Final' fez no Tiktok, não foi surpresa que o Adam Silvera resolveu escrever mais livros ambientados nesse universo, como a Colleen Hoover fez recentemente, e na minha opinião, ele devia ter parado por ali. Quando soube do lançamento desse livro, acreditei que o autor traria respostas para os nossos questionamentos: quem criou a Central da Morte, qual o mecanismo que permite que eles saibam quem vai morrer e como o mundo aceitou e se adaptou com essa nova tecnologia.


Alguns desses questionamentos até são respondidos, mas nada de forma aprofundada, por exemplo, sabemos quem criou a Central da Morte e quais as suas intenções com esse serviço, mas como exatamente isso funciona, não fica claro durante as quinhentas páginas da história e já aviso vocês, Adam Silvera prometeu mais um livro nesse universo e só aí teremos as explicações que desejamos, então não vá com essa expectativa para esta leitura.



Mesmo com essa frustração, eu gostei sim da história, inclusive prefiro os protagonistas desse livro, para quem viu minha resenha e a Semana Especial aqui no blog, sabe que o Mateo me irritou muito durante a leitura. Enquanto que Orion e Valentino têm total razão de serem do jeito que são, uma vez que Orion perdeu os pais no ataque do 11 de setembro e tem uma doença que faz com que seu coração seja uma bomba relógio, já Valentino precisou sair de casa, pois seus pais católicos são extremamente homofóbicos, ele é só um garoto de 19 anos sonhando com um recomeço, então suas motivações são muito mais legítimas ao meu ver, embora claro que o autor dramatiza suas histórias com tudo de ruim que pode acontecer na vida de um adolescente para deixar a trama mais carregada.


A liberdade deveria ser libertadora, mas isso não significa que ela não possa partir corações. - Pág 23


Também foi maravilhoso vê alguns personagens que aparecem ou que tem ligação direta com os protagonistas do primeiro livro, são os famosos easter eggs para quem está atento a leitura. Infelizmente isso acaba tornando as duas histórias muito semelhantes e por vezes eu me questionei qual o objetivo do autor com esse livro, uma vez que ele pouco acrescenta na expansão dessa "mitologia" que ele criou, acredito inclusive que se as histórias tivessem sido condensadas em uma só, eu teria favoritado o livro, mas deixo essa reflexão para outro post que vai sair no blog.



Eu indico esse livro para quem já gostou de 'Os Dois Morrem no Final' e quer passar mais tempo nesse universo, mas vá sem grandes expectativas de sanar todas as suas dúvidas, no geral é uma boa leitura e flui rápido para um calhamaço, além dos protagonistas, acompanhamos outros pontos de vista esporádicos, inclusivo do criador da Central da Morte, que tornam a leitura dinâmica e dão a perspectiva do que outros personagens estão enfrentando, seja como Terminantes ou entes queridos dessas pessoas. Leia e depois me conte qual dos dois é o seu livro favorito, agora só resta aguardar a conclusão dessa "trilogia".


NOTA:


OUTROS LIVROS DO AUTOR RESENHADOS NO BLOG:


Adam Silvera é escritor e trabalhou por anos no mercado editorial. Best-seller do New York Times, é autor de E se fosse a gente? e Here’s to Us, que escreveu em parceria com Becky Albertalli, e também de História é tudo que me deixou, Lembra aquela vez, Infinity Reaper e Infinity Son, todos sucesso de público e crítica. Nasceu e foi criado no Bronx, em Nova York, e atualmente mora em Los Angeles, onde escreve em tempo integral.


Título Original:
Changer l'eau des fleurs
Autor: Valérie Perrin 
Editora: Intrínseca 
Páginas: 480
Gênero: Literatura estrangeira / Ficção/ Romance 
Ano: 2022 
Comprar:

Sinopse: Os dias de Violette Toussaint são marcados por confidências. Para aqueles que vão prestar homenagens aos entes queridos, a casa da zeladora do cemitério funciona também como um abrigo diante da perda, um lugar em que memórias, risadas e lágrimas se misturam a xícaras de café ou taças de vinho. Com a pequena equipe de coveiros e o padre da região, Violette forma uma família peculiar. Mas como ela chegou a esse mundo onde o trágico e o excêntrico se combinam? Com quase cinquenta anos, a zeladora coleciona fantasmas — uma infância conturbada, um marido desaparecido e feridas ainda mais profundas —, mas encontra conforto entre os rituais e as flores de seu cemitério. Sua rotina é interrompida, no entanto, pela chegada de Julien Seul, um homem que insiste em deixar as cinzas da mãe no túmulo de um completo desconhecido. Logo fica claro que essa atitude estranha está ligada ao passado difícil de Violette, e esse encontro promete desenterrar sentimentos há muito esquecidos. À medida que os laços entre os vivos e os mortos são expostos, acompanhamos a história dessa mulher que acredita de forma obstinada na felicidade, mesmo após tantas provações. Com sua comovente e poética ode ao cotidiano, Água fresca para as flores é um relato íntimo e atemporal sobre a capacidade de redenção do amor.(SKOOB)

 


Oieeeeee, gente! Tudo bem?

Sabe aquele livro que já te ganha pela capa? Então, Água Fresca Para as Flores me ganhou pela capa e pelo título! No instante em que vi , já sabia que seria um preferido da minha vida ...E realmente foi, prepare para uma resenha totalmente positiva ( sim, na minha visão : 0 defeitos!) e com vários motivos para que você leia essa obra de arte em forma de livro. Água Fresca para as flores foi lançado em março de 2022 no Clube Intrínsecos e agora tenho em minhas mãos a versão comercial, escrito por Valérie Perrin e consagrado como grande sucesso europeu ( e no mundo todo, posteriormente!), trazido pela Intrínseca para o cenário brasileiro e como grande aposta para conquistar o coração dos leitores.

A obra narra a vida de Violette Toussaint, uma mulher que sempre teve uma vida difícil, acompanhamos dese o início sua trajetória e como ela se tornou zeladora de um cemitério, isso já é ponto que me fez ver como essa história é diferenciada), quantos livros você já leu com esse enredo? Eu nunca tinha visto nada igual! Ao passar das páginas vemos Viollete e a pequena equipe de coveiros e e um padre lidam com a dor das pessoas que perderam algum familiar, essa parte é muito real e dolorosa. 

 Com quase 50 anos, Violette aindaleva no olhar cada perda que passou em sua vida , ela teve uma infância muito dolorida, uma vida cheia de percalços , um marido que desapareceu e muito mais tristezas que vão se emaranhando e , como leitores, nos faz ver essa mulher como uma personagem real e multifacetada. Água fresca para flores não é um livro que possa ser contado, eu te garanto que lendo você descobrirá o porquê esse livro é tão grandioso ( pois tudo que eu adentrar pode estragar sua surpresa de leitura ), vou me aprofundar em meus sentimentos ao ler o livro.


Com quase cinquenta anos, a zeladora coleciona fantasmas ― uma infância conturbada, um marido desaparecido e feridas ainda mais profundas ―, mas encontra conforto entre os rituais e as flores de seu cemitério. Sua rotina é interrompida, no entanto, pela chegada de Julien Seul, um homem que insiste em deixar as cinzas da mãe no túmulo de um completo desconhecido. Logo fica claro que essa atitude estranha está ligada ao passado difícil de Violette, e esse encontro promete desenterrar sentimentos há muito esquecidos. Esse livro é sobre amor, dor, perdão e recomeços, tudo isso de uma forma tão poética, tão linda que eu encho os olhos de lágrimas só de lembrar .

 A cada página que eu lia, Violette se tornava uma das melhores personagens que eu já encontrei ( Não fique com ciúmes , Lou Clark!) , essa mulher foi tão pisoteada pela vida e mesmo assim ela vê tudo com uma beleza tão singela , ela mostra como a percepção de cada um sobre os acontecimentos da vida podem ou não machucar, mas isso de uma maneira tão doce que eu não sei dimensionar.


Os personagens são apaixonantes( menos um hahaha) e o leitor vai ficar encantadíssimo como cada um deles mostra uma faceta da realidade, eles são tão reais que poderiam ser qualquer pessoa ,isso foi um ponto da escrita da autora , ela deixa os personagens serem tão reais que nós nos reconhecemos neles. Outro aspecto que me chamou a atenção a construção dos personagens é como nos afeiçoamos a eles, normalmente em livros com vários personagens ,nos afeiçoamos a alguns, aqui não, a gente vai pegando o melhor de todos eles! 


Água fresca para as flores me fez parar e refletir sobre como estou vendo a vida, pensar sobre meus valores e sobre minhas escolhas... No início de cada capitulo há uma frase e cada uma delas teve um bom significado para mim... Eu escrevi nas páginas, contei partes minhas para encontrar as partes de Viollete, sério , eu amei esse livro com todas as minhas forças!E as cenas de velório? Aiiii, nunca na vida achei que ler cada uma deles faria meus sentimentos entrarem em ebulição, e um que é sobre um avô , esse me fez sentir falta do meu avô, Valérie Perrim mexerá em suas lembranças e isso vai ser incrível!


Se você deseja uma leitura intensa e que fará você repensar tudo em sua vida, Água fresca para flores é sobre isso, recomendo a leitura e já peço desculpas por não aprofundar na história e sim no que seti , quero que sinta isso também... Leia essa narrativa e deixe que Viollete se torne sua amiga,você vai torcer para que ela encontre o amor ( outra parte bem explorada no livro e não nessa resenha), ahhhhhh e plot desse livro vai fazer voê querer reler ! Boa leitura! Já leu? Quer ler? Contaaaaaaa tudooooooooooooooo!


NOTA:  

Valérie Perrin nasceu em 1967, em Remiremont, e cresceu na Borgonha. Fotógrafa e roteirista, publicou seu primeiro romance em 2015, o best-seller Les Oubliés du dimanche. Desde então, já ganhou diversos prêmios, teve suas obras traduzidas para trinta idiomas e foi uma das autoras mais vendidas na França em 2019. Água fresca para as flores é seu primeiro livro publicado no Brasil.

Título Original: The Shadows Between Us

Autora: Tricia Levenseller

Editora: Planeta

Páginas: 288

Gênero: Aventura/ Jovem Adulto/ Fantasia

Ano: 2022 

Comprar: Amazon 

Sinopse: Se prepare para mergulhar nas intrigas da corte (e do coração) neste enemies to lovers que conquistou o TikTok. ELA NÃO É A TÍPICA MOCINHA. ELE NÃO É O TÍPICO VILÃO. Se prepare para mergulhar nas intrigas da corte (e do coração) neste enemies to lovers que conquistou o TikTok. Alessandra Stathos está cansada de ser subestimada, mas ela tem o plano perfeito para conquistar mais poder: 1. cortejar o Rei das Sombras, 2. se casar com ele, 3. matá-lo e tomar o reino para si mesma. Ninguém sabe qual é a dimensão do poder do Rei das Sombras. Alguns dizem que consegue comandar as sombras que dançam em volta de si para que façam o que ele desejar. Outros dizem que elas falam com ele, sussurrando os pensamentos de seus inimigos. De qualquer maneira, Alessandra é uma garota que sabe o que merece, e ela está disposta a tudo para alcançar seu objetivo. Mas ela não é a única pessoa que tenta assassinar o rei. Enquanto o soberano sofre atentados que vêm de todas as partes, Alessandra se vê tendo de protegê-lo por tempo suficiente para que ele faça dela sua rainha... Mas ela não contava que a proximidade entre os dois poderia colocar o próprio coração em risco. Afinal, quem melhor para o Rei das Sombras do que uma rainha ardilosa? (SKOOB)

 


'Coroa de Sombras' da autora Tricia Levenseller é um lançamento de 2022 da Editora Planeta e uma hype do Tiktok.


Alessandra Stathos é a segunda filha de um Conde falido e sempre foi ofuscada por sua irmã, a favorita do pai, sendo assim ela cria um plano que vai lhe permitir independência e poder: conquistar o enigmático Rei das Sombras, para isso ela vai para a Corte e além de seduzir o rei, ela planeja assassiná-lo e tomar a coroa para si, contudo ela vai encontrar alguns obstáculos durante essa jornada - tanto os outros inimigos do rei que estão planejando a sua morte quanto a aproximação entre ambos que pode comprometer seus planos de reinado absoluto.


Nunca encontraram o corpo do primeiro e único garoto que partiu meu coração. - Pág 7


Esse livro fez um burburinho grande na Gringa e já chegou aqui hypado, então quando vi que ele seria lançado pela Editora Planeta, solicitei imediatamente um exemplar. Apesar de não ter nada de inovador nessa premissa, eu gosto que Alessandra não se vende como a típica mocinha ingênua e por essa sinopse achei que o livro seria bem sanguinário, então já quero deixar o alerta de que, na minha opinião, essa história é muito mais um romance sobrenatural e com muito menos mortes do que prometia.


Alessandra é sim uma protagonista decidida e logo no primeiro capítulo vemos que ela está disposta a tudo, inclusive a cometer atrocidades, a autora conseguiu prender minha atenção logo de cara e por ser um livro curto, não fica aquela enrolação típica dos calhamaços de fantasia, Alessandra expõe seu plano para o pai e no capítulo seguinte já estamos na Corte vendo-a colocar as ideias em prática, isso deixou a leitura fluida e por não ter um worldbuilding desse universo fantástico, pois os nomes dos reinos, o "sistema de magia" e as regras que imperam nessa sociedade são informados aleatoriamente e de acordo com a necessidade da narrativa, mas nada é efetivamente explicado, um livro grande só teria me afastado da leitura.



O Rei das Sombras é aquele moreno sarcástico, lindo e enigmático que já vimos em várias outras histórias, mas eu gostei das interações entre eles, embora às vezes a protagonista dá aquela exagerada na ligação que eles estão formando, acredito que de tudo que a autora deixou de dar profundidade, o poder dele foi o mais bem desenvolvido, até porque tem uma ligação direta com os objetivos da nossa anti-heroína. Gostei também que ambos são observadores a respeito um do outro, então não é só aquela química inexplicável, Alessandra tem ideias perspicazes ao longo do livro, embora não pareça verídico que ninguém do governo, Rei e Conselho, tenha alguma ideia decente sobre como resolver os problemas.


Não sou gado, que você pode vender, e não pode me obrigar a aceitar um casamento que não quero. - Pág 123


Mesmo com tudo isso que eu expus e que normalmente me incomodariam na leitura, eu me diverti muito com essa história, dei boas risadas e simplesmente amei como a Alessandra trata o pai, eu juro que o homem morria de medo dela. Também gostei que ela tem convicção em si mesma e não fica menosprezando os seus talentos, claro que às vezes tem aquela prepotência, mas no geral ela soube maquinar muito bem na Corte. O círculo de amigos que ela cria também ganhou minha simpatia, nem todo mundo é bem desenvolvido e tem camadas de personalidade, porém as interações entre eles eram engraçadas e dinâmicas.



No geral eu gostei do livro e acredito que ele entregou tudo que se propôs, como eu disse no início não é uma fantasia, então quem for esperando um worldbuilding complexo, sistemas mágicos inovadores e muita intriga política vai se decepcionar, esse livro é aquela farofa que a gente ama e pega durante esses calhamaços densos que são tão comuns no gênero. Também é ótimo para quem está de ressaca literária, pois dá para ler em dois dias, fiquei curiosa para ler outros livros da autora e espero que a Editora Planeta traga novos livros dela em 2023. E um bônus: essa história é volume único, ou seja, já não temos mais trezentas continuações para comprar e ler.


NOTA:


Tricia Levenseller é autora best-seller do The New York Times e escreve livros cheios de fantasia e romance voltado para o público jovem adulto. Tricia cresceu no Oregon, onde passou a infância subindo em árvores e brincando de faz de conta. Atualmente, vive em Utah com sua cachorra mandona, e se dedica inteiramente a escrita.

Título Original: Rule of Wolves

Autora: Leigh Bardugo 

Série: Nikolai Duology #02

Editora: Planeta 

Páginas: 528

Ano: 2022 

Gênero: Fantasia/ Ficção/ Aventura/ Literatura Estrangeira 

Comprar: Amazon

Sinopse: O Rei Demônio. Enquanto o gigantesco exército de Fjerda se prepara para invadir Ravka, Nikolai Lantsov terá que evocar todo o seu charme e a sua perspicácia – e até mesmo a contar com a ajuda do seu monstro interior – para vencer a luta. Mas uma ameaça sombria aparece em seu caminho e vai desafiar o jovem rei. A Bruxa da Tempestade. Zoya Nazyalensky perdeu coisas demais para a guerra. Ela viu seu mentor morrer e seu maior inimigo ressurgir das cinzas e, agora, se recusa a enterrar mais um amigo. No entanto, a situação extrema exigirá que ela abrace seus poderes e se transforme na arma de que seu país precisa. Custe o que custar. A Rainha do Luto. Infiltrada em terras inimigas, Nina Zenik arrisca sua vida ao promover a guerra contra Fjerda. Mas ela está tomada pela sede de vingança, e isso pode significar o fim da pequena chance que o país tem de ser livre e impedir que seu coração enlutado se recupere. Rei. General. Espiã. Juntos eles devem encontrar uma maneira de criar um futuro em meio à escuridão. Ou assistir à queda de uma nação. (SKOOB)



'Rule of Wolves: Trono de Prata e Noite' da autora Leigh Bardugo é um lançamento de 2022 da Editora Planeta e a conclusão da duologia de Nikolai, portanto a resenha conterá SPOILERS.


A história começa alguns dias depois do fim de 'King of Scars: Trono de Ouro e Cinzas' e daquele acontecimento bombástico, mais uma vez Ravka está sob ameaça interna e externa, enquanto Fjerda está bombardeando a fronteira, Nikolai precisa cumprir o que prometeu e se casar para garantir o apoio de Shu Han e neutralizar a sua ameaça, já Zoya precisa encontrar um jeito de fazer o Darkling retornar ao mundo dos mortos e Nina continua espalhando milagres Grishas na Corte de Gelo, tentando a todo custo virar a maré a favor da tolerância.


A morte é meu dom e eu não temo os que se foram. - Pág 129


Apenas por esse breve resumo, já deu para perceber que a jornada dos nossos personagens não será nada fácil, eu estou extremamente curiosa para saber como Leigh conseguirá amarrar todas as pontas e entregar uma luta épica como esse conflito merece. Percebi que nessa duologia, a autora entregou resoluções mais astutas, logo no início Nikolai tem um golpe de mestre à lá Kaz Brekker, e Nina também mostrou o que aprendeu com o Bastardo do Barril e conseguiu manipular muito bem os acontecimentos na Corte de Gelo, eu simplesmente amei esses momentos, pois mostra o quanto a sua escrita evoluiu quando comparamos a Trilogia Grisha.



O romance também estava prometendo muito, toda trama amorosa foi muito mais sutil, confesso que eu demorei um pouco para descobrir o nosso outro casal, mas adorei que autora continuou trazendo diversidade tanto nos relacionamentos quanto na caracterização física, não espere um instalove, aqui nós vamos ansiar muito antes dos beijos começarem (risos). A Liba também pendeu para o lado George R. R. Martin e causou algumas mortes inesperadas, com o passar dos livros vamos entendendo que a guerra não é ganha sem custos e depois daquela ressurreição de centavos na Trilogia Grisha, nós vamos começar a dar adeus a alguns personagens queridos que conquistaram o nosso coração. 


Contudo, um ponto crucial que me incomodou muito nessa nova duologia é esse plot reciclado do vilão, acredito que a autora não inovou e reacendeu antigos conflitos que já conhecíamos de cor: Darkling, Fjerda e o Apparat; por vezes senti que essa era uma versão mais elaborada e com personagens mais cativantes da Trilogia Grisha, então foi decepcionante rever essas mesmas batalhas, principalmente porque todos os personagens da história já haviam lutado na Guerra Civil e contra Fjerda há anos. Creio que a Leigh Bardugo poderia ter trazido conflitos grandiosos que os nossos protagonistas mereciam.


Somos todos monstros agora. - Pág 223


No geral, eu amei muito esse livro, o Grishaverso sempre me encantou e é nítido que a autora tem total domínio das regras que controlam os poderes Grishas ao ponto dela aprofundar a mitologia e desmistificar verdades e lendas que já eram conhecidas, em alguns momentos senti que ela fez como Aquela-que-não-deve-ser-nomeada em 'Relíquias da Morte' e isso mudou a configuração de mundo e nos mostra mais uma vez que talvez todas as lendas tenham a mesma origem. Também teve muito fan service que a gente ama e vários personagens conhecidos deram as caras e eu já estou prontíssima para mais um livro dos Dregs. 



Espero muito que a Editora Planeta continue investindo nesse universo e trazendo todos os livros, felizmente não precisamos aguardar muito para ter a duologia completa na estante, fico muito feliz da autora ter uma nova casa editorial que esteja investindo pesado nas suas histórias e que venha por favor a segunda temporada de 'Shadow and Bone'. Não deixem de conferir as resenhas que nós temos aqui no blog e de acompanhar o projeto #DeVoltaARvaka no YouTube, eu juro que vocês também vão amar o Grishaverso.


NOTA:


OUTROS LIVROS DA AUTORA RESENHADOS NO BLOG:




Leigh Bardugo é autora best-seller do The New York Times de romances e contos de fantasia, mundialmente famosa por sua série Grisha. Ela nasceu em Jerusalém, cresceu na Califórnia e se formou na Universidade de Yale. Atualmente vive e escreve em Los Angeles. Além de Sombra e ossos, do qual Sol e tormenta é sequência, a Planeta Minotauro também publicou Nona Casa, romance best-seller e estreia de Bardugo no gênero adulto, trazendo uma história de poder, privilégio, magia e assassinato, ambientada na elite da Ivy League.

Título Original: The Hedge Knight

Autor: George R.R. Martin

Editora: Suma

Páginas: 264

Ano: 2022 

Gênero: Ficção/ Literatura Estrangeira/ Fantasia

Comprar: Amazon 

Sinopse:  Décadas antes dos acontecimentos descritos em As Crônicas de Gelo e Fogo, "O cavaleiro dos Sete Reinos" narra as aventuras do cavaleiro Dunk e de seu jovem escudeiro Egg – que se revelam importantes figuras de Westeros. Edição especial em capa dura, com novas ilustrações. Sor Duncan, o Alto, ou apenas Dunk para os íntimos, não teve uma vida fácil. Filho bastardo de uma prostituta, ele nunca pertenceu a nenhuma Casa, e suas oportunidades de vida parecem bastante reduzidas. Mas a esperança de alcançar a glória não está perdida, e Dunk está decidido a se tornar um grande guerreiro em Westeros. Dentre todos os grandes, Dunk quer escrever o seu nome na história como um verdadeiro Cavaleiro dos Sete Reinos. O único problema é que existem muito mais pretendentes do que posições disponíveis. A sorte começa a mudar quando ele encontra Egg, um garoto careca e cheio de atitude que se prontifica a ser o seu escudeiro. Quanto mais Dunk conhece o menino, porém, mais Egg parece o oposto de ser um mero plebeu, demonstrando uma inteligência muito além de sua idade. Juntos, eles viajam em busca de trabalho e aventuras – sem jamais revelar a verdadeira identidade do menino àqueles que encontram pelo caminho. Uma grande amizade nasce entre esses dois heróis improváveis, que persiste mesmo quando, anos mais tarde, eles assumem papéis centrais na estrutura de poder de Westeros. Reunindo os três primeiros contos protagonizados por Dunk e Egg – "O cavaleiro andante", "A espada juramentada" e "O cavaleiro misterioso" –, "O cavaleiro dos Sete Reinos" é o livro perfeito para quem quer se aventurar no fantástico mundo criado por George R.R. Martin e para aqueles que anseiam por mais histórias de Westeros, dos Targaryen e do fascinante universo de As Crônicas de Gelo e Fogo. (SKOOB)

 


'O Cavaleiro dos Sete Reinos' do autor George R. R. Martin é um lançamento de 2022 da Editora Suma, essa é uma nova edição pela atual casa editorial do autor.


Esse livro é um compilado de três contos que aconteceram anos atrás do evento das Crônicas de Gelo e Fogo, aqui nos vamos acompanhar Duncan, um jovem humilde que sonha em se tornar um dos grandes cavaleiros de Westeros e logo no início ele se inscreve num grande torneio, a porta de entrada para tornar seu nome conhecido e mostrar o seu potencial para os grandes senhores feudais, a partir daí o seu destino vai se entrelaçar com o menino Egg e vamos acompanhar suas aventuras como cavaleiro e escudeiro.



'O Cavaleiro Andante' conta o início de uma das duplas mais amadas de Westeros, aqui Duncan acaba de perder o cavaleiro a quem servia como escudeiro, de posse das armas e o cavalo de Sor Arlan, ele parte para o Torneio de Vaufreixo e lá ele vai se envolver com a família Targaryen, logo de cara percebemos que Duncan é um dos poucos que leva a sério os ideais de nobre cavaleiro, ele e Egg não demoram a desenvolver um vínculo e o menino parte com ele atuando como seu escudeiro.


'A Espada Juramentada' vai narrar uma de suas aventuras, agora na Campina a serviço de um senhor feudal, Duncan e Egg vão ter que mostrar que além de bons com espadas, também podem ser diplomáticos, pois esse Lorde está numa disputa territorial com uma senhora conhecida como "Viúva vermelha", confesso que ela me lembrou muito Lady Olenna Tyrell, a famosa "Rainha dos Espinhos" e isso me deixou mais ansiosa para o último conto.


- Uma grande batalha é uma coisa horrível... Mas, no meio de todo o sangue e carnificina, algumas vezes há alguma beleza, beleza que pode partir seu coração. - Pág 90


'O Cavaleiro Misterioso' se passa durante uma das Rebeliões Greyjoy, aqui Duncan e Egg vão para o Norte interagir com a melhor família da série, além disso notícias sobre Rebelião Blackfyre chegam aos seus ouvidos, um dos cenários políticos mais importantes na história da Dinastia Targaryen vai sendo descrito nos bastidores, aqui também somos apresentados a um personagem que moldou o futuro de Westeros, inclusive em Game of Thrones, mas deixo a surpresa para vocês.


Quando dois príncipes lutam por uma cadeira onde só um homem pode se sentar, tanto grandes senhores quanto homens do povo, precisam escolher. - Pág 150


Para quem já é fã e ama acompanhar os sites dedicadas ao fandom, já sabe quem serão Duncan e Egg no futuro e como eles assumirão papéis decisivos na política, mas prefiro deixar que vocês sejam surpreendidos e encaixem todas as peças do quebra-cabeça, como eu disso logo no início da resenha, eu sou uma exímia admiradora desse universo e aguardo ansiosamente a conclusão dessa fantasia épica, e para quem não quer ficar só nos livros, House of the Dragon já estreou e vai mostrar outro período importante do governo Targaryen - a Dança dos Dragões.



Essa edição da Editora Suma está belíssima, em capa dura e com ilustrações inéditas, acompanho a editora no Twitter e já vi que teremos novidade para 2023 e os fãs de ASOIAF vão poder matar um pouco a saudade desse universo. E para quem tem curiosidade e quer ler esses livros ou amou a série (vamos ignorar o desenvolvimento da oitava temporada, exceto o final de alguns personagens - Starks!) esse é um ótimo livro para conhecer a escrita do autor e conhecer alguns pormenores do mundo.


NOTA:


OUTROS LIVROS DO AUTOR RESENHADOS NO BLOG:





George R. R. Martin nasceu em Bayonne, Nova Jérsei, filho de um estivador, cuja família de classe operária vivia perto das docas de Bayonne. Quando jovem, ele se tornou um leitor ávido de quadrinhos de super-heróis. A edição de novembro de 1968 do Quarteto Fantástico possui uma nota ao editor que Martin escreveu quando ainda estava na escola. Ele credita a atenção que ele recebeu com a carta, junto com seu interesse em quadrinhos, como sua inspiração para se tornar escritor. Em 1970, Martin recebeu sue Bacharelado em jornalismo na Universidade Northwestern, Illinois, se formando com muitos elogios. Ele depois completou um Mestrado em jornalismo, também em Northwestern, em 1971. Martin começou a escrever contos de ficção científica no começo da década de 1970, apesar de o início de sua carreira não ter sido fácil (uma de suas histórias foi rejeitada por diferentes revistas 42 vezes), ele nunca se desencorajou; anos depois ele venceria seu primeiro Hugo Award e Nebula Award por um de seus contos.