Título Original: Hola, te recuerdas de mi?
Autor: Megan Maxwell
Editora: Planeta
Gênero: Romance
Ano: 2016
Páginas: 496

Comprar: Submarino, Saraiva, Americanas
Sinopse: Alana é uma mulher independente que não acredita no amor e tem na profissão sua única razão de viver. Jornalista freelancer, é enviada a Nova York para escrever uma reportagem sobre a metrópole, onde conhece o atraente Joel Parker. Quando ela descobre que aquele homem bonito e sedutor que tem lhe feito companhia nos últimos dias é um militar, como seu pai uma lembrança que ainda a assombra , a jornalista desaparece sem deixar vestígios. Apesar de resoluta em sua vontade de se afastar do capitão da Marinha americana para não repetir a história de sofrimento de sua mãe, ela não conseguirá aplacar o desejo de seu coração por Parker. Quem vencerá essa disputa entre razão e emoção? O passado de sua mãe irá assombrá-la ainda mais ou irá ajudá-la a esclarecer muitas questões mal resolvidas? (SKOOB)

Este foi meu primeiro contato com qualquer tipo de escrita da autora, pois apesar de amar literatura erótica e ela ter muito livros do gênero, eu nunca consegui dar a Megan Maxwell uma chance. Mas ao ler uma resenha sobre este livro vi que tinha que mudar, que eu precisava lê-lo, e tenho que confessar: AMEI.

“Você se lembra de mim?” nos traz uma história envolvente e de certa forma verídica. Como assim? Simples. O livro foi dividido em duas partes, com a primeira se iniciando em 1960 e a segunda se iniciando em 2003. A primeira parte conta fatos que aconteceram com a mãe da autora, como foi sua vida por alguns anos, de sua juventude até Megan nascer. Foi a parte que mais me derramei em lagrimas, que se nas primeiras páginas eu não conseguia engatar quando engatei não quis mais parar. As lagrimas foram garantidas pela enorme carga dramática que a história me trouxe.


A segunda parte que já se inicia em 2003 é onde devemos concentrar tudo, nós temos a história de Alana, fruto do relacionamento da primeira parte do livro. Uma mulher de 38 anos, forte, independente, jornalista e aparentemente bem resolvida com todos os aspectos de sua vida. Nunca deixa de curtir a vida intensamente, até mesmo após ser largada uma semana antes de seu casamento. Pude sentir que este foi o grande marco na vida dessa mulher tão determinada.

Ela topa aproveitar a vida ao máximo, só tem uma regra: não se envolver com militar de forma alguma. O porque disto é devido ao relacionamento de sua mãe que foi o gerador da própria Alana. Seu pai, militar dos Estados Unidos, sumiu antes mesmo da própria nascer, deixando sua mãe sofrendo por décadas, e isso ela jurou que nunca iria passar em sua vida.

Bom, o mundo dá voltas, depois de uma promoção no trabalho ela se vê viajando para os Estados Unidos e tendo que ficar lá por algumas semanas, indo com sua melhor amiga (Isa) logo no primeiro dia para um bar. Na minha opinião esse bar foi o divisor de águas na vida de Alana, pois é aí que conhecemos nosso mocinho da vez: Joel Parker.

"Ela não acreditava em amor à primeira vista, mas por mais estranho que parecesse, não queria acabar com aquela loucura."

Joel é perfeito, alto, loiro, de olhos claros, educado, atencioso, cavalheiro, do tipo que abaixa a tampa do vaso ao terminar de usar!! (hahaha) O sonho de consumo de muitas mulheres, e no início de Alana também, até que... ela descobre que ele é militar, e tudo desanda, ela se torna o ligeirinho de tão rápido que foge deste belo partido, deixando o belo homem sem entender o que exatamente fez de errado. Mas ele não desiste, se tem uma coisa que o nosso 'Capitão América' não faz é desistir de respostas.

Se inicia então uma caça, a procura do porquê Alana fugiu dele tão ferozmente, se inicia a busca pela verdade do que realmente aconteceu no passado desta jovem, se inicia ainda mais a busca por perdão, superação e recomeço na vida desta mulher tão teimosa e obstinada.


Como disse no início, o livro me tocou muito na primeira parte, chorei bastante, a emoção é garantida, e na segunda parte as emoções não param. Ao terminar esse livro fiquei pensando o que realmente vale a pena na vida. Que o nosso futuro é daqui a um segundo e que ele pode mudar rapidamente, então temos sim que aproveitar a cada oportunidade, a cada segundo da vida, pois nunca poderemos saber qual será o último, ou o que o acontecido pode lhe afetar. Esta foi sem dúvida uma leitura muito agradável, e eu não irei parar de ler os livros da Megan.

Amei, recomendo, e todos que gostam de um bom romance com drama garantido deveriam ler, pois eu sei que se apaixonar não é uma das opções, é a única opção na verdade.

Beijos

NOTA: 

MEGAN MAXWELL, nascida na Alemanha e radicada na Espanha, de mãe espanhola e pai americano, é uma famosa escritora de romances eróticos e femininos que vem conquistando diversos prêmios como o Prêmio Internacional de Seseña (2010, 2011 e 2012) e o Prêmio Dama de Clubromantica.com (2011), desde de seu primeiro lançamento "Te lo Dije" em 2009. Com mais de 20 títulos lançados, sendo 10 já publicados aqui no Brasil, seus relatos picantes ganharam fãs em todo o mundo inclusive por aqui onde a sua trilogia Peça-me o que quiser se tornou um best-seller. Megan atualmente vive em um vilarejo perto de Madri na companhia do marido, filhos, seu cão Drako, e seus gatos Romeu e Julieta.


Olá amiguinhos!! Olha só quem trouxe vídeo/post com os livros recebidos no mês de março \o/
A intenção era ter liberado no começo de abril, mas na correria do dia a dia acabei não conseguindo. No entanto sei o quanto vocês gostam de ver os recebidos do mês, então antes tarde do que nunca, não é mesmo?


Aliás, quem quiser me enviar cartas, marcadores ou qualquer outra coisa, o endereço é:
Caixa Postal 838
CEP: 18200-972     Itapetininga / SP



A resenha de 'Quando a Bela domou a Fera' já saiu no blog, e em breve teremos vídeo também. Para conferir é só clicar aqui.

Não esqueça de se inscrever no canal e ativar as notificações para ficar de olho nos próximos vídeos ;)


Acompanhe o blog também através das redes sociais
TWITTER ♥ INSTAGRAM  FACEBOOK  YOUTUBE  TUMBLR  G+   SNAP: AMIGADALEITORA

XOXO

Hello people! I'm back :)
Eu ando um pouco desatualizada do mundo das séries, as que assisto estão todas atrasadas e para melhorar ainda mais as coisas resolvi colocar mais duas na lista, culpa da Netflix, hahaha.

E a série que vim falar hoje, é uma dica que peguei esses dias de uma amiga no Facebook.


"Kurt Seyit ve Sura" é uma série turca que tem leva no título o nome do casal de protagonistas que embala a trama.

Kurt Seyit é um jovem tenente, um tanto quanto mulherengo que se rende aos encantos de Sura ao vê-la em um baile em São Petesburgo. Na verdade, ele faz uma aposta com seus amigos de beijar a primeira menina que entrasse no salão.


Sura faz parte de uma nobre família e se apresentará para a alta sociedade neste baile e assim que ela avista Kurt sente algo diferente por ele, de forma quase imediata.

Logo após isso, o romance tem início em meio a muitos obstáculos.


"Kurt Seyit ve Sura" é uma série de época e além do romance, tem muitos contextos históricos. E em meio a tantos comentários positivos sobre a série, eu só posso dizer que estou louca para assistir.


Não sei dizer quantas temporadas são ao todo, mas a primeira está completa na Netflix e possui muuuuuitos episódios.

A série também é baseada nos livros da autora turca Nermin Bezmen, que eu já estou curiosa para conhecer.


E ai, alguém já assistiu? Conte-me tudo nos comentários! Vou adorar saber o que acharam :)


Acompanhe o blog também através das redes sociais
TWITTER ♥ INSTAGRAM  FACEBOOK  YOUTUBE  TUMBLR  G+   SNAP: AMIGADALEITORA


Bjs!

Titulo Original: A Cabana
Autor:William P. Young
Editora: Sextante
Páginas: 240
Ano: 2008
Comprar: Amazon, Saraiva

A filha mais nova de Mackenzie Allen Philip foi raptada durante as férias em família e há evidências de que ela foi brutalmente assassinada e abandonada numa cabana. Quatro anos mais tarde, Mack recebe uma nota suspeita, aparentemente vinda de Deus, convidando-o para voltar àquela cabana para passar o fim de semana. Ignorando alertas de que poderia ser uma cilada, ele segue numa tarde de inverno e volta a cenário de seu pior pesadelo. O que encontra lá muda sua vida para sempre. Num mundo em que religião parece tornar-se irrelevante, "A Cabana" invoca a pergunta: "Se Deus é tão poderoso e tão cheio de amor, por que não faz nada para amenizar a dor e o sofrimento do mundo?" As respostas encontradas por Mack surpreenderão você e, provavelmente, o transformarão tanto quanto ele. SKOOB
Olá pessoal, hoje vamos conversar um pouco sobre o livro 'A Cabana', uma leitura que me emocionou muito, me trouxe aspectos interessantes sobre a maneira como enxergamos as coisas que acontecem em nossas vidas, e que na maioria das vezes não entendemos o motivo pelo qual aconteceu.


A cabana nos mostra uma situação interessante em que o ser humano passa constantemente, a falta de fé nas coisas, em Deus, a falta de sabedoria para compreender o plano que Deus tem para nós aqui na Terra entre outras coisas. Mack sofre uma perda que o causa sofrimento extremo, aquele tipo de dor incurável, inexplicável, em um final de semana em família onde os planos deste homem era curtir e aproveitar as férias com o filhos se transformou em um terrível pesadelo quando sua caçula Missy, desaparece, tudo aponta que Melissa sofreu um crime o que causa desespero no pai, alguns vestígios encontrados pela policia em uma cabana mostra que a garota foi vitima de um ato covarde perto de onde estavam. Alguns anos depois da morte da pequena Missy, surge um bilhete na caixa dos correios para Mack ir até cabana onde tudo aconteceu pois lá ele encontraria respostas.


Neste momento o leitor descobre o real significado da história, é perceptível que a ideia é transmitir que tudo tem um propósito e que não cai uma folha, se nosso criador não permitir. Foi uma das leituras mais tocantes que já realizei, criticadas por muitos e entendida por poucos. Um livro que te leva de encontro com Deus seu filho e todas as coisas ricas deste universo.

Mack dolorosamente aceita esse convite e lá na cabana, passa dias ao lado do Pai, do filho e do espírito santo, lá ele é curado, transformado, e reinventado pelo amor, pela compreensão, pela sabedoria, e pela fé.


Simplesmente recomendo a leitura, com a mente aberta aos aprendizados que a história nos passa, leia com coração aberto para as coisas boas, o que não for bom a você não absolva, deixe entrar apenas o que lhe fizer bem. 

Um grande beijo e até a próxima

NOTA: 

William Paul Young (Alberta, 11 de maio de 1955) é um escritor do Canadá.O mais velho de quatro filhos, Young passou grande parte da sua infância na Papua-Nova Guiné, junto com seus pais missionários, numa comunidade tribal. Os membros da tribo vieram a se tornar parte de sua família. O fato de ser a única criança branca na comunidade e que sabia falar sua língua veio a garantir um incomum acesso à cultura e à comunidade local. Pagou seus estudos religiosos trabalhando com DJ, salva-vidas e em diversos outros empregos temporários. Formou-se em Religião em Oregon, nos Estados Unidos da América. A sua obra mais conhecida é "A Cabana" (The Shack). 


Eu vivo falando por aqui que 'A Bela e a Fera' é o meu conto de fadas favorito, e quando começou o alvoroço do live-action muitos na industria se aproveitaram para lançar produtos inspirados no clássico, foram inúmeros objetos que aproveitaram essa onda para alavancar as vendas, inclusive os livros. No entanto 'A Bela e a Fera' vem inspirando nossos autores já não é de hoje, e quando eu decidi fazer um post dedicado a esses livros, reparei que já estava em meio a dez títulos que se encaixavam nessa categoria, alguns até mesmo já resenhados pelo Amiga da Leitora. Então confiram abaixo quem são eles, os 10 livros inspirados em 'A Bela e a Fera', porque sentimentos são...
1) Corte de espinhos e rosas: Um misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance. (...) Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira que ela só conhecia através de lendas, a jovem descobre que seu captor não é um animal...

2) Fera: Dylan não é como a maior parte dos garotos de quinze anos. Ele é corpulento, tem quase dois metros de altura e tantos pelos no corpo que acabou ganhando o apelido de Fera na escola. (...) Dylan vai ter que decidir entre esconder seus sentimentos por medo do que os outros podem pensar ou enfrentar seus preconceitos e seguir seu coração.

3) Beleza Cruel: Inspirado no clássico conto de fadas A Bela e a Fera, Beleza cruel é uma deslumbrante história de amor sobre como nossos desejos mais profundos podem mudar nosso destino.

4) Quando a Bela domou a Fera: Eleito um dos dez melhores romances de 2011 pelo Library Journal, "Quando a Bela domou a Fera" é uma releitura de um dos contos de fadas mais adorados de todos os tempos. (RESENHA AQUI)

5) Beleza perdida: Este é um livro profundo e emocionante sobre a amizade que supera a tristeza, sobre o heroísmo que desafia as definições comuns, além de uma releitura moderna de A Bela e a Fera, que nos faz descobrir que há tanto beleza quanto ferocidade em todos nós. (RESENHA AQUI)

6) A Bela e a Fera: Edição bolso de luxo da coleção Clássicos Zahar, nela você encontra reunidas duas variantes da versão original do clássico que inspirou o filme da Disney.

7) A Bela e a Fera:  Edição oficial do filme estreado por Emma Watson.

8) Bela e a Fera: Livro ilustrado com a primeira tradução integral da versão menos conhecida desse conto de fadas, escrita pela francesa Jeanne-Marie Leprince de Beaumont em 1757.

9) Um conto ás avessas de a Bela e a Fera: Uma saborosa e encantadora releitura, inaugurando uma série de livros para o público jovem adulto que reconta os clássicos Disney de um jeito jamais imaginado! Aqui Bela e Fera devem se unir para desvendar um assombroso mistério sobre suas famílias.

10) A Fera em mim: O livro conta a história por trás da Fera, como o príncipe foi amaldiçoado e como era sua vida antes de encontrar Bela. (RESENHA AQUI)

A sinopse oficial está lincada em cada  um dos títulos.


Eu já li 'A Fera em mim' que me deu uma perspectiva do passado do príncipe, o que  eu gostei bastante pois não fazia ideia de como ele vivia antes, uma vez que o clássico desenho da Disney só mostra uma feiticeira indo oferecer uma rosa para o príncipe que arrogantemente a recusa e despreza. No entanto não temos nenhuma justificativa de como essa bruxa se interessou em presentear o príncipe. Não que o livro siga essa mesma ponta solta oferecida pelo clássico, na verdade ele nos mostra novos e antigos personagens que fizeram parte do passado do príncipe, quem era a tal feiticeira e o que a levou enfeitiça-lo.

Já em 'Quando a Bela domou a Fera', temos o clássico apenas como uma pequena inspiração, uma vez que seus protagonistas se destacam por suas próprias características. É lógico que temos uma linda moça e um arrogante proprietário de um castelo, mas os elementos que envolve a história acaba por nos dar algo totalmente novo, fazendo apenas a moral da história soar semelhante ao conto de fadas.

Na minha estante tenho 'Beleza perdida' e 'Corte de espinhos e rosas' me esperando. E na wishlist estão todos esses outros citados, mas principalmente 'Um conto as avessas de a Bela e a Fera' lançado recentemente pela Editora Novo Século, e a edição bolso de luxo da Zahar com duas versões do conto original que inspirou o filme, que até onde já ouvi falar dessas versões originais são bem sombrias. Será que o da Zahar segue mesmo essa linha? Quem já leu me conta aí nos comentários por favor. Aproveite para me dizer qual desses você já leu e qual deles tem mais interesse em ler?


Acompanhe o blog também através das redes sociais
TWITTER ♥ INSTAGRAM  FACEBOOK  YOUTUBE  TUMBLR  G+   SNAP: AMIGADALEITORA

XOXO